Operação policial contra facção criminosa prende quatorze na região de Canoinhas


Participantes da operação/Divulgação

Policiais civis e militares da região e de diversas cidades de SC, MPSC e Gaeco participaram da ação

 

 

 

Operação conjunta das Polícias Civil e Militar, Ministério Público e do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) foi desencadeada na manhã desta quinta-feira, 5, na cidade de Canoinhas e região. Participam da operação mais de 200 policiais de Canoinhas, Três Barras e várias regiões do Estado. Mais de 100 viaturas foram envolvidas na ação, além de um helicóptero da Polícia Civil.

 

 

 

 

Segundo a nota conjunta das polícias Civil e Militar, a operação denominada Barbaquá foi resultado de cinco meses de investigação. Os trabalhos foram presididos pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Canoinhas em conjunto investigativo, técnico e operacional com o 3º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Canoinhas, por meio da Agência de Inteligência e da equipe de Rondas Ostensivas com Auxílio de Motocicletas (Rocam).

 

 

 

 

De acordo com a nota conjunta, a investigação e a operação buscaram reprimir a prática de inúmeros crimes relacionados à influência da facção criminosa Primeiro Grupo Catarinense (PGC) na região, sobretudo no tráfico de drogas, armas e homicídios. De oito mandados de prisão preventiva expedidos, seis foram cumpridos nas cidades de Canoinhas e Três Barras.  Ainda, de cinco mandados de internação de adolescentes, três jovens foram capturados pelas equipes policiais.

 

 

 

Outras quatro pessoas foram presas em flagrante por tráfico ilícito de drogas, dentre outros delitos. Foram cumpridos, no total, 32 mandados de busca e apreensão. No total, 14 pessoas foram presas. Foram apreendidos, ainda, 540 gramas de maconha e 100 gramas de cocaína.

 

 

 

 

A operação foi deflagrada, simultaneamente, nos municípios de Canoinhas, Três Barras, Joinville, Araquari e Garuva, contando com a participação de aproximadamente 110 policiais civis, 85 policiais militares e 20 integrantes da força-tarefa do Gaeco de Joinville.

 

Comandantes das corporações no preparo para começar a operação/Divulgação

 

Cooperaram nos trabalhos, além da 22ª Delegacia Regional de Polícia de Canoinhas e do 3° Batalhão de Polícia Militar de Canoinhas, as Delegacias Regionais de Mafra, São Bento do Sul, Porto União, Lages, Caçador, Joaçaba, Campos Novos, Xanxerê, Joinville e São Lourenço do Oeste. Pela Polícia Militar, igualmente, integraram os trabalhos a Guarnição Especial de Mafra (Gemfra) e a 1ª Companhia de Porto União.

 

 

 

Compondo os trabalhos, participaram dos cumprimentos  de prisão o Gaeco de Joinville e do BPM de Joinville. O apoio aéreo ficou a cargo do helicóptero do Serviço Aeropolicial (Saer) da Polícia Civil, deslocados da cidade de Criciúma.

 

 

 

 

HOMENAGEM

O nome da operação, Barbaquá, foi uma homenagem ao aniversário do município de Canoinhas, que no próximo dia 12, completa 108 anos. Barbaquá se refere à técnica antiga de sapecar e produzir a erva-mate, matéria-prima referência do município.

 

 

 

Abaixo fotos do material apreendido na operação:

 

       

 

 

 

 

VÍDEO MOSTRA SOBREVOO DO HELICÓPTERO DA POLÍCIA CIVIL

 





Deixe seu comentário: