O exemplo que vem de São Bento do Sul

Objetivo é construir um modelo de cidade inteligente e humana até 2037/ Uau Drones, divulgação

Com crise de 2008, cidade se reinventou e se tornou referência em tecnologia

 

EXEMPLO A SER SEGUIDO

A crise que engoliu a indústria madeireira em 2008 também debilitou o polo moveleiro que funciona no Planalto Norte, com destaque em São Bento do Sul e Rio Negrinho. A diferença entre nós e eles (Canoinhas e São Bento do Sul) é que eles foram capazes de se reinventar. E a mudança foi radical.

 


São Bento do Sul encontrou nas empresas voltadas à tecnologia o seu caminho para o futuro e já provou ser possível a transformação social através de um novo modelo econômico.

 

Por iniciativa do Município e da Associação Empresarial (Acisbs), foi criada uma incubadora tecnológica que conta hoje com 32 empresas, que geram mais de 200 empregos e faturam juntas cerca de R$ 30 milhões ao ano. Fato que faz com que a cidade de pouco mais de 80 mil habitantes seja uma das evidências de que as médias e pequenas cidades catarinenses também estão comprometidas com o desenvolvimento dos polos tecnológicos no Estado.

 

Em entrevista ao jornal Diário Catarinense, em novembro passado, o gerente da Incubadora Tecnológica de São Bento do Sul (Itfetep), dá a receita que poderia muito bem ser seguida por Canoinhas: “Para que toda essa transformação fosse consolidada, primeiro nós resgatamos a autoestima da comunidade e criamos um trabalho de empreendedorismo e de capacitação. Também conseguimos unir o poder público, as universidades e as empresas e um dos principais ganhos está sendo o de parar o ‘êxodo de cérebros’, aqueles que se formam e vão embora. Conseguimos empregar o caminho reverso e quem vem para São Bento buscar conhecimento encontra oportunidades e quer ficar aqui”, destaca.

 

Na década de 1990 e início do novo século, São Bento do Sul era o eldorado para os canoinhenses, que para lá migravam em busca de uma vida melhor. Muitos voltaram com a crise de 2008, o que inchou o quadro de desempregados e subempregados na região.

 

O cenário agora é diferente. O mercado de tecnologia exige qualificação. Portanto, mais do que nunca os canoinhenses precisam buscar alternativas. Ao contrário de São Bento do Sul, ainda estamos lambendo as feridas do tempo em que éramos de fato a capital mundial da erva-mate e tínhamos nas madeireiras uma potência econômica.

 

 

 

EUGÊNIO DE SOUZA

Depois do auê provocado pela lentidão no primeiro dia de funcionamento da mão dupla na rua Eugênio de Souza, o segundo dia já foi bem mais calmo. De fato, num primeiro momento, o cruzamento pode suscitar confusão por parte do motorista ou motociclista, mas a tendência é de os usuários se acostumarem. Há organizações de trânsito bem mais complexas em cidades maiores.

 

O que importa é que a mudança desafoga a rua Getúlio Vargas e facilita o acesso ao Campo d’Água Verde, distrito mais populoso de Canoinhas.

 

 

 

“Não temos porque ficar dando voltas e voltas no centro se temos ruas largas”

do líder do governo na Câmara, Wilmar Sudoski (PSD), apoiando a necessidade de Canoinhas abrir as vias de mão única para mão dupla

 

 

PONTE

A Assembleia Legislativa vai mesmo instalar uma CPI para investigar a draga de triturar dinheiro que se transformou a obra de recuperação da Ponte Hercílio Luz nos últimos anos.

 



 

 

APOSENTADORIA

Dados do INSS revelam que nos últimos anos houve um aumento de 90,13% nas solicitações do benefício em Santa Catarina. O índice é maior que a média nacional. As solicitações no Estado saltaram de 90.161 em 2010 para 171.429 em 2018.

 

 

 

PEDÁGIO IRREGULAR

Empresas que operam rodovias concedidas pelo governo federal estão se apropriando indevidamente de recursos pagos pelo cidadão graças a falhas e normas irregulares editadas pela Agência Nacional de Transportes Terrestres  (ANTT), órgão que deveria fiscalizar o serviço.

 

 

Auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU), revelada na edição de hoje do jornal Folha de S.Paulo, estima que condutores de veículos tenham pago ao menos R$ 1,2 bilhão a mais que o devido em praças de pedágio país afora.

 

 

Ontem, o mesmo jornal mostrou que concessionárias como a Autopista Planalto Sul, que administra a BR-116, no Planalto Norte, quer aumentar a tarifa do pedágio em pelo menos 25%.

 

 

A agência, diz a investigação, deixou de aplicar descontos obrigatórios nas tarifas, autorizou reajustes sem previsão contratual e permitiu a ampliação injustificada de custos com equipamentos.

 

 

 

40%

da indústria brasileira fechou 2018 em crise, aponta levantamento do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial

 

 

MÍNIMO

Um projeto de lei de autoria dos senadores Paulo Rocha (PT-AC) e  Jean Paul Prates (PT-RN) propõe que este ano o salário mínimo deverá ser de R$ 1.006, como aprovou o Congresso Nacional na Lei Orçamentária Anual, e não de R$ 998, como determinou o Executivo por meio de decreto no início de janeiro. O texto (PL 547/2019) será inicialmente analisado na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

 

 

Deixe seu comentário: