O ano decisivo para Beto Passos

Divulgação

Penúltimo ano de mandato é a última oportunidade de cravar uma marca de gestão

 

 

ANO DECISIVO

Família no Parque, fim das filas nos postos de saúde, fim das filas de pais em frente aos Centros de Educação Infantil, Remédio em Casa?


 

Compra dos iPhones, conflito com a direção do Hospital Santa Cruz, morosidade em solucionar problemas do trânsito, aumento da Cosip?

 

Qual será a marca que ficará eternizada na história de Canoinhas pela gestão Beto Passos (PSD) à frente da Prefeitura?

 

A resposta pode ser injusta e contraditória. Veja o caso do ex-prefeito Leoberto Weinert (MDB). Se há muita gente que o tem por um bom gestor, há também muitos que colem nele a pecha de prefeito que levou um bolo da Aurora, o que é verdade. O que acho injusto é atribuírem a ele a arquitetura de um blefe que se provou bolha. Na minha visão Weinert foi tão vítima quanto qualquer canoinhense que alimentou esperanças de dias melhores. Mas, enfim, a história é impiedosa e a imagem que fica do prefeito nem sempre é comprometida 100% com a verdade. O que vale é o que a maioria prega, por mais que algum historiador tente mudar essa percepção.

 

Falar em marca do governo Passos com pouco mais da metade do exercício também soa injusto, mas a questão é: haverá outra marca?

 

Dados todos os impedimentos do último ano de gestão, que na verdade é meio ano, já que chegando julho a Justiça Eleitoral trava a máquina pública e, em se tratando de candidato a reeleição, como será o caso de Passos, nada mais se avança. Portanto, este é o ano para Passos propor outra marca que, evidentemente, tem de ser altamente positiva para garantir-lhe a reeleição.

 

As medidas positivas que elenquei logo no primeiro parágrafo são significativas, mas o que mais se ouve nas redes sociais e nas ruas são críticas indignadas contra aumento da Cosip e a forma como Passos conduz a crise com o Hospital Santa Cruz.

 

Se por um lado pode-se argumentar que o negativo sempre rende mais que o positivo, por outro o governo Passos tem de focar em outra questão premente. Há um grande contingente de canoinhenses descontentes com a estagnação econômica do Município. A atração de algo de vulto na consistente geração de emprego e renda é imprescindível para o governo deixar uma marca positiva. Passos parece saber disso ao demonstrar empenho em atrair uma cooperativa de laticínios para o Município. Pode ser o início de algo extramamente promissor. Uma marca que pode garantir-lhe futuro político.

 

 

CONVÊNIO

O Município de Canoinhas pediu autorização para a Câmara de Vereadores para destinar R$ 105 mil para a Polícia Militar adquirir um veículo e equipamentos como armamentos, acessórios tático-operacionais e instrumentos que concorram para o melhor desempenho da atividade policial.

 

 

CULTURA

A Fundação Cultural de Canoinhas vai abrir empregos públicos para os cargos de instrutor de fanfarra e instrutor maestro de fanfarra. O salário para 40 horas no primeiro caso será de R$ 1,9 mil e no segundo caso, com 20 horas semanais, será de R$ 950. Depende de autorização da Câmara.

 

O Município pediu autorização à Câmara para abrir, ainda, os cargos de instrutor de artesanato, instrutor de inglês e instrutor de acordeon, todos com salário de R$ 950 por 20 horas semanais. Os profissionais atuarão na Casa da Cultura.

 

 

ADMINISTRATIVO

Também subiu para a Câmara de Vereadores projeto de lei que cria quatro cargos na estrutura administrativa do Município. São três cargos efetivos de agente administrativo com carga horária de 40 horas semanais e salário de R$ 2.262 e um cargo de engenheiro civil com carga horária de 40 horas semanais e salário de R$ 3.610. Para o Município, o atual quadro de funcionários não condiz com a demanda de trabalho.

 

 

EXAMES

O Município de Canoinhas está disposto a pagar até R$ 600 por cirurgias eletivas feitas no Hospital Santa Cruz a título de complementação aos valores irrisórios e injustos pagos pelo SUS e também pelo que paga o CIS Amurc. Projeto de lei nesse sentido foi enviado a Câmara.

 

NA CAPITAL



O vice-prefeito de Canoinhas, Renato Pike (PR), esteve nesta semana cumprindo agenda de visitas em Florianópolis. Ele esteve na Secretaria de Agricultura e de Desenvolvimento Sustentável (SDS), na Caixa Econômica Federal e no Comando Geral da Polícia Militar do Estado. O secretário de Obras, Gil Baiano, acompanhou o vice.

 

As reuniões das quais participaram tiveram como objetivo principal solicitar recursos para compra de equipamentos, aumento de efetivo da Polícia Militar e liberação de recursos para a construção do parque industrial da cidade.

 

 

 

SEGURANÇA NAS ESCOLAS

O presidente da Câmara de Vereadores de Três Barras, Fabiano Mendes, comentou sobre o massacre na escola de Suzano (SP) nesta semana lembrando que a segurança das escolas da cidade também está sendo colocada à prova. “Recentemente um traficante foi visto vendendo drogas em frente ao Caic. Foi preso, tá lá registrado. Precisamos cobrar segurança da administração pública e do governo do Estado”, afirmou o vereador.

 

 

 

QUESTIONAMENTO

Vereador de Três Barras, Marco Antonio de Sousa (MDB) está pedindo informações a fim de assegurar que a melhor solução será, de fato, a construção de um novo prédio (e não a reforma) da Escola Guita Federmann. A obra de um novo prédio foi anunciada recentemente pelo prefeito Luis Shimoguiri (PSD).

 

 

ÔNIBUS LOTADO

Os vereadores tresbarrenses têm questionado, também, o Município, sobre a superlotação nos ônibus escolares. Vídeos com estudantes em pé no corredor de um ônibus escolar foram publicados recentemente nas redes sociais causando indignação.

 

 

INTOLERÂNCIA

Olha como a intolerância com a opinião alheia está se tornando surreal. Ontem uma mãe aqui de Canoinhas preocupada postou no Facebook que “ano que vem o amigo de seu filho pode estar indo à escola com o revólver do pai na mochila”, uma reflexão sobre o abominável ataque à escola de Suzano (SP). Um internauta vai e comenta: “O meu vai levar para atirar em filho de PTista”. Dá pra acreditar?

 

 

DERROTA

O ex-deputado federal João Rodrigues (PSD) sofreu mais um revés em sua luta para retornar à Câmara dos Deputados. O TSE rejeitou recurso dele para que fosse validado seu registro de candidato em 2018 – indeferido com base na Lei da Ficha Limpa. Todos os ministros acompanharam o voto do relator.

 

 

GREVE SUSPENSA

A greve dos professores da rede municipal de ensino de União da Vitória foi suspensa. Em assembleia realizada na manhã desta sexta-feira, 15, a categoria decidiu suspender a paralisação, após reunião com o prefeito Santin Roveda.

 

 

POÇO DE RESSENTIMENTO

A revista Época desta semana traz um detalhado relato sobre as aulas ministradas pelo filósofo Olavo de Carvalho, dito guru do governo Bolsonaro. Ressentido com o tratamento que recebia no Brasil (hoje mora nos Estados Unidos), Olavo é retratado como um poço de contradições, como quando exalta que não completou o ensino fundamental e se tornou um autodidata em franca cruzada contra os intelectuais na sua maioria cegados pelas ideologias de esquerda.

 

O mais curioso é que seu principal alvo, o ex-presidente Lula, também se orgulhava de dizer que não tinha estudado.

 

 

Na minha humilde percepção, é justamente a falta de estudo que leva gente como Olavo a questionar se o planeta é plano ou não, para além da paranoia de se achar sempre vítima, nunca algoz.

Deixe seu comentário: