Novo pacote de pavimentações demarca racha entre vereadores governistas e oposição


Passos recebeu os vereadores de oposição e o deputado Sargento Lima/Divulgação

Beto Passos combinou com governistas que pacote será montado mediante indicação dos seis vereadores

 

 

 

DISCÓRDIA INSTALADA COM SUCESSO

Na sessão de terça-feira, 23, da Câmara de Canoinhas, os governistas Gil Baiano (PL),  Silmara Gontarek (PSL), Willian Godoy (PSD), Maurício Zimmermann (PL), Osmar Oleskovicz (PSD) e Wilmar Sudoski (PSD) apresentaram uma indicação ao prefeito Beto Passos e ao secretário de Planejamento João Linzmeier, solicitando para que seja incluído no Plano de Pavimentação várias ruas do município. Tratava-se de um jogo jogado. As ruas já haviam sido definidas. A ideia era mostrar protagonismo dos aliados de Passos na tomada de decisões. O combinado já havia ido por terra quando a coluna adiantou as ruas a serem incluídas. Passos ficou tão irritado com o vazamento da informação que adiou o anúncio do pacote de R$ 10,9 milhões.

 

 

 

A oposição não gostou nem um pouco da jogada ensaiada, mas ninguém pode culpar Passos por ter começado a pendenga. Desde a sessão extraordinária de janeiro os opositores vêm se articulando para pisar nos calos do prefeito. Nas comissões conseguiu pelo menos adiar os planos de Passos de regularizar as funções dos advogados que trabalham na assessoria jurídica do Município. Depois foi vistoriar obras, denunciou material de má qualidade (a empreiteira disse que era refugo aguardando para ser descartado) e cobrou a lista de nomes de vacinados contra a covid. O clima é dos mais azedos entre eles, apesar de Passos ter posado ao lado dos quatro e do deputado Sargento Lima na semana passada.

 

 

 

 

A queda de braço entre Passos e a oposição só está começando. Como a coluna previu, a oposição não é a mesma do primeiro mandato. O “quarteto fantástico” parece mais disposto a questionar do que Paulinho Basilio, Camila Lima, Norma Pereira e Telma Bley. A ver até onde a corda aguenta.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A PROPÓSITO

Os vereadores governistas solicitaram que seja incluído a pavimentação das ruas Benjamin Constant (trecho entre as ruas Agenor Fábio Gomes e São José); Júlio Budant Neto, (trecho da Avenida dos Expedicionários à Avenida Rubens Ribeiro da Silva); Otávio Tabalipa (trecho da Avenida dos Expedicionário até a Adolfo Bading); Antônio Salomão (trecho entre a Francisco de Paula Pereira e Alois Stueber); Curitibanos (trecho entre as ruas Agenor Fábio Gomes e São José); Pastor George Weger (trecho da rua Agenor Fábio Gomes até São José); Otto Friederich (trecho das ruas Álvaro Soares Machado e Roberto Ehlke); João Leandro Gonçalves (trecho final da pavimentação da Avenida Ivo de Aquino até o trevo da Sereia/Serrito); Alfredo Mayer (trecho da Nazir Cordeiro e Teodoro Humenhuk); Major Vieira (trecho da Barão do Rio Branco até Agenor Fábio Gomes, e também trecho da rua Eugênio de Souza até a Getúlio Vargas), bem como, todas as travessas que fazem ligação com a Avenida dos Expedicionários e a rua Alfredo Mayer e a Avenida dos Expedicionários com a rua Frederico Kohler.

 

 

 

Destas indicações, Passos deve selecionar os trechos possíveis de serem asfaltados com o recurso financiado junto ao Banco do Brasil.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Resolvemos em conjunto fazer uma solicitação ao prefeito para que juntos possamos buscar a pavimentação de algumas ruas”

do vereador Osmar Oleskovicz

 

 

 

 

 

 

 

RECADO

Secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro/Divulgação

O pedido de socorro do secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro nos grupos de WhatsApp foi feito pra vazar mesmo. Ao se dirigir aos prefeitos e secretários municipais pedindo medidas urgentes, Motta queria mandar um recado discreto ao governador Carlos Moisés (PSL). A mensagem, que vazou, não foi formalizada em ofício, o que alguns secretários municipais chegaram a pedir.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LISTA

O procurador-geral de Justiça do Ministério Público de Santa Catarina, Fernando da Silva Comin, e o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Santa Catarina, Rafael de Assis Horn, enviaram ofício conjunto a presidência da Assembleia Legislativa, no qual manifestam apoio ao projeto de lei do deputado Felipe Estevão (PSL) que promove alteração na lei estadual 17.066/2017, conhecida como a Lei da Transparência, que obriga a publicação na internet da relação atualizada de pessoas vacinadas contra a covid-19 em Santa Catarina.

Para o deputado Felipe Estevão a manifestação das duas entidades reforça a importância do projeto feito para dar mais acesso a sociedade participar de forma mais efetiva da fiscalização. “É um momento muito crítico pelo qual estamos passando.  É fundamental que tenhamos um procedimento coerente e uniforme em todo o país, respeitando as normas técnicas de que estabeleceram as prioridades e a ordem de vacinação”, afirma Felipe.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PRIORIDADE

O deputado estadual Dr. Vicente Caropreso (PSDB) apresentou moção solicitando ao governador Carlos Moisés que o Estado dê início ao processo de compra própria de vacinas disponíveis contra a covid-19. A proposição foi protocolada nesta semana. Ele também apresentou pedido de informação sobre quais foram as ações de comunicação do governo frente à pandemia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

COMISSÃO

Waldemir Barreto/Agência Senado

A Comissão de Infraestrutura (CI) do Senado Federal será presidida nos próximos dois anos pelo senador Dário Berger (MDB). É a primeira vez que um catarinense comandará este colegiado. Dário foi indicado e eleito por unanimidade nesta quarta-feira, 24.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

QUESTÃO

Os deputados estaduais aprovaram em Plenário, nesta quinta-feira, 25, requerimento convocando o Presidente do Colegiado Superior de Segurança Pública de Santa Catarina, Charles Alexandre Vieira, para esclarecer quais foram os critérios usados pelo governo do Estado para determinar a distribuição aos municípios de 500 policiais militares recém-formados.

 

 

 

 

 

 

 

301

pessoas morreram por covid-19 fora de UTIs e enfermarias em SC desde o começo da pandemia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

RECUO

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa aprovou a retomada de medidas restritivas que vão vigorar pelos próximos 15 dias, como esforço do Parlamento catarinense para a contenção do avanço da pandemia de covid-19 no estado, em sintonia com o decreto do governo do Estado publicado na quarta-feira, 24. O atendimento externo será suspenso e o acesso aos setores e gabinetes será limitado, entre outras restrições.





Deixe seu comentário: