Encontro entre líderes dos poderes discute solução para déficit na saúde

Reunião foi realizada na manhã desta segunda-feira, em Florianópolis/Peterson Paul/Secom

Segundo encontro aconteceu nesta segunda, em Florianópolis

 

 

Os chefes dos poderes Executivo, Legislativo, Judiciário, do Tribunal de Contas e do Ministério Público de Santa Catarina se reuniram na manhã desta segunda-feira, 6, em Florianópolis, para debater formas de mitigar o déficit da saúde estadual e garantir a manutenção dos serviços essenciais aos cidadãos. Na opinião do governador Carlos Moisés, o tema deve ser tratado como uma prioridade absoluta, e o encontro é uma demonstração da vontade de todos para encontrar uma solução.


 

 

“Herdamos uma dívida milionária resultado da má gestão na área da saúde, mas todos nós que hoje estamos à frente dos poderes do Estado vamos nos unir para resolver estes problemas e garantir os serviços de saúde aos catarinenses”, enfatizou o governador.

 

 

Entre as alternativas discutidas, está a criação de um fundo específico – concentrando diversas fontes de recursos – para o pagamento da dívida, hoje reconhecida em R$ 334 milhões. Essa proposta será analisada por todos os participantes do encontro, com o objetivo de chegar a uma conclusão em uma próxima reunião.

 



Em relação ao pagamento dos fornecedores em atraso, o governador Carlos Moisés afirmou que está chamando todos os credores para conversar e sugeriu a criação de um mecanismo que permita que aqueles que também devem ao Estado possam abater parte dessas dívidas com o valor que governo estadual deve a eles. Ainda segundo o governador, o foco agora está nos chamados grandes credores, aqueles que possuem valores maiores para receber. Inicialmente, centraram-se forças nos que tinham menos para receber.

 

 

De acordo com o procurador-geral de Justiça do Estado, Fernando Comin, embora o problema não tenha sido criado pelos poderes nem pelo atual governo, uma resposta precisa ser dada.

 

 

“Hoje nós discutimos algumas questões mais abrangentes e genéricas. Nós vamos fazer uma análise do que foi proposto e voltarmos a nos reunir com as considerações do Executivo e de todos os demais intervenientes”, destacou Comin.

 

 

Além de Moisés, Comin e do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Julio Garcia, também participaram do encontro o presidente do Tribunal de Justiça de SC, Rodrigo Collaço, e o presidente do Tribunal de Contas de Santa Catarina, Adircélio de Moraes Ferreira Júnior.

Deixe seu comentário: