quinta-feira, 23

de

setembro

de

2021

ACESSE NO 

Novas epizootias confirmam expansão do vírus da febre amarela em SC

Últimas Notícias

- Ads -

Atualmente, a cobertura vacinal no Estado é de 76%

 

 

Mais dezesseis epizootias (mortes de macacos) foram confirmadas para febre amarela em Santa Catarina. O município de Santa Rosa de Lima, regional de saúde de Tubarão, registra os primeiros casos da doença, com dois macacos mortos pelo vírus. Lages (1), São José do Cerrito (7) e Campo Belo do Sul (6) também tiveram novos registros de mortes de primatas.

 

 

 

Confira aqui a tabela com as epizootias registradas no estado.

 

 

 

As novas epizootias confirmam a expansão do vírus para a região Sul do estado. Os macacos vivem no mesmo ambiente que os mosquitos transmissores da doença (Haemagogus e Sabethes) e por isso, são as primeiras vitimas da doença. “Os primatas sinalizam por onde o vírus está circulando. Por isso, é tão importante que a população comunique à Secretaria Municipal de Saúde quando um macaco morto ou doente é encontrado”, explica João Fuck, diretor da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de SC (DIVE/SC).

 

 

 

FEBRE AMARELA EM SC

A vacina é a melhor maneira de prevenir a febre amarela. “Todos os moradores de Santa Catarina, a partir dos nove meses de idade, devem ser vacinados contra a febre amarela. A dose está disponível nos postos de saúde”, destaca Arieli Fialho, gerente de imunização da DIVE/SC. Atualmente, a cobertura vacinal é de 76%.

 

 

 

Além das epizootias, SC já tem dois casos humanos confirmados de febre amarela. O primeiro, registrado em janeiro, foi de uma moradora de Taió, região do Alto Vale do Itajaí, de 40 anos. O segundo foi confirmado em março, sendo de um homem, de 62 anos, morador de Águas Mornas, na Grande Florianópolis. Ambos não tinham registro de vacina.

 

 

 

A febre amarela é doença infecciosa febril aguda. Os principais sintomas são: início abrupto de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas e no corpo, náuseas e vômitos, fraqueza e cansaço, dor abdominal e icterícia (pele amarelada). Ao apresentar algum sinal ou sintoma, é importante procurar atendimento médico.