Norma Pereira abre caixa de pandora dos ataques


Decisão judicial proibiu veiculação de propaganda de Norma/Reprodução

Troca de acusações entre os candidatos a prefeito de Canoinhas é antecipada por questão imobiliária

 

 

 

CAIXA DE PANDORA

Quem se desligou das redes sociais no fim de semana, uma rápida atualização sobre a disputa eleitoral em Canoinhas. No sábado, a candidata Norma Pereira (PSDB) usou seu programa de rádio para cutucar o prefeito e candidato a reeleição Beto Passos (PSD) criticando sua ação na área da saúde. O dia foi de um ataque atrás do outro, com duas peças bastante contundentes pulverizadas nas programações das emissoras de rádio. Em uma delas, Norma coloca um suposto parente de paciente que teria morrido à espera de sessões de fisioterapia, só liberadas quatro meses depois de ele ter sido enterrado. A outra, que provocou recurso à Justiça Eleitoral levantava insinuações sobre a compra de uma casa que valeria R$ 1 milhão. Passos apresentou à Justiça documentação que comprova que a casa vale R$ 700 mil e que está sob financiamento. Para a juíza Marilene Granemann, o suficiente para mandar retirar a propaganda do ar.

 

 

 

 

O mais interessante foi a tentativa de Passos de fazer do limão uma limonada. O prefeito focou não exatamente em explicações (em política quanto mais se explica, mais se complica, não que seja o caso), mas apelou ao sentimentalismo, recortando o trecho da propaganda que se referia a ele como vendedor de coxinhas, que de fato foi. Para Passos, uma mensagem deslavada de preconceito. “Um vendedor de coxinhas não pode ter sua casa própria, então”, reclamou.

 

 

 

 

Norma se apressou em tentar se descolar da imagem de integrante da elite que não admite um ex-vendedor de coxinha na prefeitura. Lembrou que também citou Passos como radialista e prefeito.

 

 

 

 

O efeito dessa guerra de narrativas só se entenderá com o passar do tempo. Agora, é fato que uma hora ou outra a caixa de pandora dos ataques iria ser aberta, mas não com apenas uma semana de programa de rádio. Se Norma seguir na ofensiva, terá de se municiar com muita bala até  dia da eleição. Será que tem tudo isso?

 

 

 

 

Passos, por sua vez, deve decidir se é o momento do contra-ataque. Repare que o candidato a reeleição não mudou o discurso propositivo e só citou a adversária para se defender. Manter essa estratégia é o mais inteligente a se fazer neste momento é a pergunta que Passos deve estar se fazendo junto com seus assessores neste momento.

 

 

 

 

 

 

 

 

ESTRATÉGIA

Falando em estratégia, Norma não fala um “a” contra Passos, usando Paulinho Basilio (MDB) e seu locutor Wellington Luben para tanto. Só sua coordenação de campanha acredita que isso a livra do julgamento popular, no entanto, para o bem e para o mal.

 

 

 

 

 

 

 

 

PELAS COSTAS

Beto Passos gravou vídeo ao lado de vendedora de coxinhas condenando divulgação da adversária/Reprodução

Chamou a atenção no vídeo em que uma cozinheira que não por acaso vende coxinhas aparece enaltecendo Beto Passos (PSD) e defendendo quem se sustenta da venda de salgadinhos, o carro da mulher que aparece ao fundo. Aparentemente eleitora de Passos, ela tem um vistoso adesivo ostentando o número 28 no vidro traseiro do carro. 28 é o número de Ivan Krauss (PRTB).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ELES QUE LUTEM

Para Ivan Krauss (PRTB), a leitura da pendenga entre Norma e Beto Passos parece clara: quanto mais fogo no parquinho alheio, é ele quem fatura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PELAS REDES

“A nossa adversária está fazendo uma campanha de baixo nível, dizendo que um vendedor de coxinha não pode vencer na vida e não pode ser prefeito. Preconceito de quem vem de baixo, preconceito com as pessoas mais humildes. A Dona Maria Lemos se orgulha muito de vender coxinha com muita dignidade, assim como eu fui vendedor de coxinha, pois todo trabalho dignifica o ser humano, por isso vamos fazer uma campanha limpa”, postou Beto Passos (PSD) junto ao vídeo citado na nota acima.

 

 

 

Norma Pereira (PSDB) fez live ontem à noite sobre geração de emprego e renda, turismo e cultura. “Criar parcerias para pesquisa e desenvolvimento de produtos, fomentar isso, para não ficar sempre no mesmo”, falou, e referindo a necessidade de desenvolver a cidade.

 

 

 

 

Ivan Krauss (PRTB) postou foto em igreja evangélica. “Quando o justo governa, o povo se alegra, mas quando o ímpio domina, o povo geme” – Provérbios 29:2. Recebendo a oração Pastoral, com Deus no comando!”, escreveu.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DATA VENIA

O que os três candidatos a prefeito de Canoinhas têm em comum? Ivan Krauss é advogado, Beto Passos é estudante de advocacia e Norma trabalha em um escritório de advocacia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SEM HOHOHO

Os papais-noéis também foram atingidos pela pandemia. Segundo a Escola de Papai Noel do Brasil, empresa especializada nesse tipo de profissional, nenhum contrato foi fechado, ainda, em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Os shoppings estão na moita por enquanto. Temem o contato dos bons velhinhos com a garotada em tempos de pandemia. Já se estuda colocar o papai noel em casa de vidro ou torná-lo virtual.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DOIS PESOS, DUAS MEDIDAS

Em 2018, no auge da campanha, o cantor Gustavo Lima pediu votos a Jair Bolsonaro, explicitamente, em um show em Canoinhas durante a Fesmate, custeada em partes com recursos públicos, e nada aconteceu, muito embora tenha havido ameaça ao prefeito Beto Passos (PSD) que, se a Justiça fosse provocada, poderia pagar pela boca do sertanejo.

 

 

 

Agora, com Bolsonaro eleito, a jogadora de vôlei Carol Solberg foi punida por dar um “Fora Bolsonaro” em entrevista à TV.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

500 mil 

postos de trabalho para empregadas domésticas foram extintos durante a pandemia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

REFORMA SILENCIOSA

Enquanto a grita é geral no governo sobre fazer ou não a reforma administrativa, o Ministério da Economia vem promovendo uma reforma silenciosa simplesmente não autorizando concursos e não substituindo aposentados. Dessa forma, o Governo Federal já economizou R$ 68 bilhões segundo reportagem da Folha de S.Paulo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ME CHAME PELO SEU NOME

Há 300 doutores, 234 santos, 187 Lulas e 87 Bolsonaros entre os candidatos nas eleições municipais deste ano espalhados pelo Brasil.





Deixe seu comentário: