Nome de Paulinho Basilio sofre resistências dentro e fora do MDB


Vereador Paulinho Basílio

Partido está em busca de aliados, que aceitariam coligação só se Norma Pereira (PSDB) for na cabeça

 

 

 

 

 

RESISTÊNCIA

A candidatura de Paulinho Basilio (MDB) a prefeito pode subir no telhado se o MDB quiser atrair apoios. Começa pela sua principal meta, o PSDB de Norma Pereira. Assim que Paulinho foi escolhido por unanimidade pela executiva do MDB como pré-candidato a prefeito de Canoinhas, Norma se apressou em reforçar que também é pré-candidata a prefeita, sem sequer citar parceria com o MDB.

 

 

 

Não é só pelo PSDB que Norma seria a titular da chapa. O PDT foi convidado a coligar com o MDB e sugeriu que só aceita o convite se Paulinho topar ir na vice de Norma.

 

 

 

Dentro do MDB também há resistência velada por conta de quem teria participado da unanimidade que escolheu Basilio como o nome certo para disputar a prefeitura. Um desses nomes seria o do ex-vice-prefeito Wilson Pereira. Ele nega: “Esta tudo certo!!!
Paulinho é o candidato único!!! Tem apoio integral do partido !!!”

 

 

 

Basílio diz que a informação apurada pela coluna junto a um interlocutor do PDT e integrantes da executiva do partido, não confere. “Não confio nesse diz que me disse. Como já falei, tenho uma boa conversa com eles (PDT) e acredito que o meu nome tem uma boa aceitação”. Basilio diz ainda que confia integralmente em Wilson Pereira.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BOLSONARISTAS

Presidente da República, Jair Bolsonaro/Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O fim do PSL na versão 1.0 em Canoinhas levou a uma diáspora de bolsonaristas-raiz e levanta dúvidas sobre o quanto eles serão relevantes na eleição municipal. Com boa parte deles no Podemos e a declaração nesta semana do presidente do partido, Roberto Todt, de que o Podemos não é o partido de Bolsonaro em Canoinhas mostra uma guinada daqueles que, imaginava-se, usariam a ótima votação que o presidente teve em Canoinhas (75,4% dos votos no segundo turno) para fazer decolar um nome ligado ao que chamam de “nova política”.

 

 

 

Os bolsonaristas mais fervorosos não chegaram a migrar para outras siglas. Aguardam a oficialização do Aliança pelo Brasil, partido que Bolsonaro articula, mas que não poderá lançar candidato nestas eleições por questões de prazo. Outros entraram no PRTB, que lançou a pré-candidatura do advogado Ivan Krauss, mas que tem apenas 22 filiados na cidade, segundo dados atualizados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 

 

 

 

Os bolsonaristas não admitem, mas uma hipótese para a possível desistência de colocar Bolsonaro na vitrine com vistas às eleições pode ter a ver com as sucessivas crises que o presidente provoca, o desempenho dele no combate à pandemia, a aproximação do Centrão e, mais recentemente, a obsessão dele em ter gente de confiança na Polícia Federal do Rio e a prisão de seu amigo e ex-assessor Fabricio Queiroz.

 

 

 

 

 

 

 

NA QUARENTENA

Quatro funcionários da Caixa Econômica de Canoinhas estão em casa em quarentena porque foram diagnosticados com covid-19. A grande movimentação de gente para tirar dúvidas e receber o auxílio emergencial na agência certamente contribuiu para a proliferação da doença.

 

 

 

 

 

 

 

 

CRISE, QUE CRISE?

Uma parte do setor de serviços em Canoinhas tem muito a aprender e não é por causa da pandemia. Nos últimos meses, forçado a terminar uma obra, precisei de diversos serviços. Fui muito bem atendido por muitos, que me prestaram um excelente serviço. Mas há uma ala considerável que simplesmente ignorou os pedidos de orçamento, me deixou no vácuo no WhatsApp e prometeu o que não cumpriu. O ápice foi uma dona de loja de cadeiras que disse não ter tempo, naquela semana, de fazer um orçamento para 11 peças. Prometeu para a próxima semana, semana esta que até hoje, passados dois meses, não chegou.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CONTRADITÓRIO

Quem se der ao trabalho de visitar as páginas no Facebook de muitos da lista vip que receberam o auxílio emergencial do Governo Federal aqui em Canoinhas vai perceber algo em comum. Praticamente todos pregam contra a corrupção. A vasta maioria apoiadora do presidente Jair Bolsonaro, deixa claro que apoia o presidente por ser ele um contraponto a Lula e Dilma, para eles, sinônimos de corrupção. Autocrítica, ao que parece, não é o forte da turma.

 

 

 

 

 

 

 

 

500

salas de cinema fecharão em julho, o que representa quase 20% dos espaços existentes no Brasil, por causa da pandemia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

AGORA VAI

No meio de toda a crise política e sanitária que o País vive, o presidente Bolsonaro cobrou – e a equipe de Paulo Guedes correu para liberar – o texto da medida que acabará com a tomada de três pinos no Brasil. A informação é da coluna Radar da revista Veja.

 

 

 

 

 

 

 

7%

dos municípios do Brasil tem times de futebol

 

 

 

 

 

 

VOLTA

O total de 31 dos 32 partidos políticos registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2014 terá de devolver aos cofres públicos mais de R$ 27 milhões, atualizados e corrigidos monetariamente, por irregularidades na aplicação do Fundo Partidário destinado às legendas para o exercício financeiro daquele ano (R$ 364 milhões). A soma foi apurada a partir das decisões tomadas pelos ministros do Tribunal nas análises das prestações de contas de 2014. Apenas uma foi aprovada, 11 foram aprovadas com ressalvas e 20 foram desaprovadas.

 

 

 

 

 

 

 

 

ALÔ, VOCÊ

Radialistas de Canoinhas estão de olho na possibilidade de as eleições municipais serem adiadas para novembro. Isso porque, dentro do calendário atual, eles têm de deixar o ar em 30 de junho. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, promete colocar o tema em pauta na próxima semana.

 





Deixe seu comentário: