Nilson Cochask é o novo secretário de Desenvolvimento Econômico de Canoinhas

Nilson Cochalsk na Câmara/Biluka/Divulgação

Nome foi anunciado durante a sessão da Câmara desta segunda-feira, 23

 

 

DE VEREADOR A SECRETÁRIO

Suplente do PR na Câmara de Vereadores de Canoinhas, Nilson Cochask deixa o cargo para assumir a Secretaria de Desenvolvimento Econômico a partir desta terça-feira, 23. O anúncio foi feito durante a sessão da Câmara nesta segunda-feira, 22. “Um passarinho me contou”, disse Wilmar Sudoski (PSD).


 

À coluna, Cochask confirmou a informação. “Eu sabia que meus dias estavam contados na Câmara”, disse demonstrando certo descontentamento com seu destino.

 

Fato é que Cochask demonstrou que daria trabalho ao governo na Câmara. Apesar de ser da base aliada, ele deixou claro que não se intimidaria se visse algo que não concordasse, independente de ser algo de interesse do governo.

 

Mais uma vez, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, de tanta importância para o Município, se torna a solução ideal para acomodar quem precisa ser acomodado.

 

Com a saída de Cochask da Câmara, Edmilson Verka volta a ocupar a vaga de suplente do PR.

 

 

CONSELHO

Vereadores de Canoinhas aprovaram ontem por unanimidade projeto de lei que permite pagamento de jeton aos conselheiros do Instituto de Previdência dos servidores públicos municipais, o ICPrev. Eles vão receber cerca de R$ 500 mensais para participar de ao menos uma reunião por mês.

 

 

Cel Mario Erzinger (PR) disse que embasou seu voto em amplo estudo. Wilmar Sudoski (PSD) se disse relutante em aprovar o projeto, mas disse ter se convencido de sua importância. Chico Mineiro (PR) enalteceu os membros do conselho como “pessoas de bem”. Paulo Glinski (PSD) disse que há muitas responsabilidades para os conselheiros e que a questão não é “se eles vão se incomodar, mas quando eles vão se incomodar lá na frente”. Glinski ponderou que se houver eventual dificuldade em remunerar os conselheiros, o valor aprovado agora pode ser reduzido.

 

 

 

O projeto segue hoje para segunda votação.

 

 



CONTRAMÃO

O Conselho do ICPrev vem na contramão de decisão recente do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Ele anunciou a extinção de centenas de conselhos sociais com participação popular, responsáveis pelo debate e pelo acompanhamento de políticas federais em distintas áreas, como parte das medidas anunciadas no evento em alusão aos seus 100 dias de Governo. Em 11 de abril, foi publicado no Diário Oficial da União o decreto 9.759 assinado pelo presidente — que determina a extinção de colegiados que não foram instituídos por lei e que não tenham sofrido nenhuma modificação por seus ministros — sob o argumento de desburocratizar e economizar na administração pública. Sem apresentar a lista dos conselhos afetados nem a estimativa de seus gastos, o Governo se limitou a contabilizar que existem mais de 700 coletivos atualmente. Os participantes, porém, não são remunerados pelo trabalho que exercem. Recebem apenas transporte e diária para as reuniões em Brasília.

 

 

 

 

SEGURANÇA

Vereadora Telma Bley (MDB) cobrou mais empenho da Polícia Militar em relação ao Residencial Nossa Senhora Aparecida. Moradores reclamam que fazem denúncias pelo 190 e ninguém aparece no bairro. “Uma senhora me relatou que filmou um rapaz furtando telhas de uma casa, chamou a Polícia avisando que se eles viessem naquela hora pegariam o ladrão. Ninguém apareceu”, relatou. Telma relatou que ela mesma chamou a PM, esperou por 40 minutos e nada. “As famílias ruins são muito poucas, mas elas conseguem fazer um estrago muito grande”, avaliou a vereadora.

 

Cel Mario Erzinger (PR) lembrou que avisou que o Residencial se tornaria o que se tornou, “sem equipamentos de lazer, esporte, sem creche, com asfalto se deteriorando”. Antes da inauguração do Residencial, Erzinger alertou que criar um “depósito de gente” aumentaria os problemas sociais. Aumentou, de fato.

 

 

 

SC 477

Foi marcado para sábado, 27, a partir das 15 horas, mais um protesto na rodovia SC-477, que liga Canoinhas à BR-116. As razões são óbvias: a buraqueira da rodovia. O protesto acontece em frente ao portal de Major Vieira.

 

 

 

Alguém, depois de 120 dias, tem de tomar as rédeas e, ao menos, tapar os buracos”

Do vereador cel Mario Erzinger (PR) sobre a situação da SC-477

 

 

 

 

NOVA POLÍTICA

Como muito bem pontuou a colunista do Diário Catarinense, Carolina Bahia, o discurso de uma nova política tem servido apenas para falas inflamadas no plenário e discurso nas redes sociais. De prático e efetivo, nada.

 

 

Deixe seu comentário: