“Não erramos em nada, absolutamente”, diz Norma Pereira


Norma Pereira vota no domingo, 15/Divulgação

Norma se queixou da tentativa de veiculá-la à Brasília durante a campanha

 

 

SOBRE CASA E COXINHAS

Norma Pereira (PSDB) não viu nenhum erro na sua campanha. Em entrevista ao programa Fala Cidade da 98FM,  disse que “trabalhamos incansavelmente, fizemos a nossa parte muito bem feita, com respeito e consideração, sem ataques, sem absolutamente nada, nunca fui de levantar a voz, não consigo visualizar erro ou equívoco”. Questionada sobre o spot de rádio no qual se levantava suspeitas sobre a compra da casa do prefeito Beto Passos (PSD), avaliada em R$ 1 milhão pela propaganda veiculada no rádio, mas que, provou-se mais tarde, tem valor de mercado de R$ 700 mil, Norma se buscou se descolar da sua equipe de marketing, dizendo que foi “uma estratégia da equipe de marketing e foi feita em nome da coligação e foi atacada minha pessoa indevidamente. Nunca fui preconceituosa. Tenho muito orgulho da minha vida, de ter cuidado dos meus irmãos, do Francisco (seu falecido marido). Infelizmente se levou para um lado totalmente distorcido para desviar o foco de responder de onde veio o dinheiro para comprar a casa e jogar a culpa na Norma”.

 

 

 

 

Seu candidato a vice, Paulinho Basilio (MDB), disse que a peça de rádio sobre a compra da casa do prefeito atendeu a uma demanda popular. “Onde íamos nos perguntavam, o questionamento era da sociedade. Como é que o prefeito que ganha durante os quatro anos aproximadamente R$ 700 mil, no último ano de mandato consegue adquirir uma casa nesse valor. O que aconteceu foi a inversão dos fatos. Nunca achei que uma coxinha pudesse esconder uma casa, e aconteceu. A coxinha foi maior que a casa, mas em momento algum nós falamos que um vendedor de coxinha, que um radialista não poderia comprar uma casa. Essa explicação ele deve para a população. Nós somos pessoas politicamente expostas, temos um trâmite totalmente diferenciado para financiar qualquer coisa”, disse o atual vereador.

 

 

 

Basilio admite como erro somente ter inflado o valor da casa na peça veiculada no rádio.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CONCILIAÇÃO

“É o momento de quem é líder de verdade, aglutinar. Jamais agir com vingança, com intolerância. Que a população não se sinta dividida entre três projetos.” “Precisamos aceitar e entender a derrota. Sou muito tranquilo em reconhecer que a população, neste momento, optou pela sequência com Beto Passos.”

 

 

 

Tanto Basilio quanto Norma acham que a tentativa de espalhar que Carmem Zanotto (Cidadania) já estava eleita em Lages visou prejudicar Norma e atrapalhou sua campanha. Se Carmem fosse eleita (ela ficou com uma diferença de 56 votos em relação ao eleito, Antonio Ceron), Norma assumiria sua suplência no Congresso.

 

 

 

Basilio pontua, também, a falta de unicidade entre a oposição. “Nosso poder de fogo seria maior”, acredita. “Mas temos de aceitar esse resultado, nos colocar a disposição e trabalhar por Canoinhas da melhor maneira possível. Se ele (Passos) entender que deve conversar com nossa bancada, que não tenha o mesmo tratamento que teve com a oposição neste mandato, espero que ele, com mais uma eleição nas costas, tenha sabedoria para conduzir a relação com a Câmara. Mais de 40% das pessoas não votaram nele, mais de 40% da população estão insatisfeitos com ele. Não vamos contestar a vitória dele, mas também não vamos contestar quem votou contra ele”.

 

 

 

 

 

 

 

 

2022

Sobre as próxima eleições, Norma não deu sinais de que vá disputar novamente o Congresso. “Vamos ver como as coisas vão se encaminhar”, diz.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FRESCOR

Vereadores eleitos em Bela Vista do Toldo: sete dos nove são governistasReprodução

Além da incipiente oposição, a Câmara de Vereadores de Bela Vista do Toldo já pode ser considerada a mais jovem da região.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CENTRO

Beto Passos vota no domingo/Divulgação

O mapa da votação em Canoinhas mostra que indiscutivelmente Beto Passos (PSD) tem motivos para sorrir. Ampliou sua votação mesmo tendo dois e não um adversário como em 2016 e ganhou em absolutamente todos os locais de votação, do centro ao interior.

 

 

 

Contudo, olhando os dados com lupa, tem algumas questões interessantes. Em 2016, Passos perdeu por uma diferença de 2.645 votos para Beto Faria (MDB) no centro. Virou o jogo por 402 votos quando as urnas do interior foram abertas. Desta vez, Passos conseguiu a maioria dos votos no centro, mas foi o único local no qual ele teve menos da metade dos votos (47%), o que mostra que a maior resistência a sua figura segue no centro.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PELAS REDES

Arquivo

O uso do impulsionamento de conteúdo nas redes sociais ganhou força nas eleições de 2020 e subiu, até a reta final do primeiro turno, três posições no ranking das despesas eleitorais dos candidatos.

 

 

 

Há dois anos, nas eleições gerais de 2018, o impulsionamento representou a 9ª maior rubrica de gastos dos candidatos, no valor total de R$ 78 milhões, sendo que duas multinacionais de tecnologia apareciam na lista das dez maiores fornecedoras de campanha.

 

 

 

 

Agora, já é o sexto maior gasto declarado dos candidatos, R$ 56 milhões, com quatro empresas no ranking das dez maiores prestadoras de serviço: Facebook, Google e duas plataformas de pagamento digital usadas pelos gigantesda internet, dLocal e Adyen.

 

 

 

 

Os dados, reunidos por ferramenta do Movimento Transparência Partidária desenvolvida pela agência de dados Volt Data Lab, mostram ainda que os quatro campeões de todo o país no uso de dinheiro para impulsionar a campanha nas redes sociais, no primeiro turno, disputaram uma mesma prefeitura, a de Fortaleza.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Acho que o Brasil nunca saiu dessa posição de centro. Em 2018, acabou afunilando para duas posições extremas, uma progressista e outra conservadora, mas naquele momento a esquerda estava com a imagem muito ruim, fazendo crescer a alternativa oposta. Isso não quer dizer que vai acontecer de novo em 2022”

do presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, fazendo um balanço das eleições municipais deste ano. O PSD foi o terceiro mais votado no domingo 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BOLSONAROS

Carlos Bolsonaro/Arquivo

Somente 1 dos 74 candidatos que disputaram as eleições de domingo usando na urna o nome “Bolsonaro” foi eleito. Apenas Carlos Bolsonaro (Republicanos), filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), conseguiu uma vaga e renovará seu mandato na Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ESSENCIAL

Deputado Coronel Mocellin/Bruno Collaço / AGÊNCIA AL

Foi aprovado na comissão de finanças da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira, 18, o projeto de lei que define o que é considerado serviço essencial durante a pandemia da covid-19. A proposta do deputado coronel Mocellin (PSL), pretende deixar claro quais são esses serviços em possíveis situações de emergência ou calamidade pública.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PARCERIA

A Comissão de Saúde da Alesc promoveu um debate sobre a possibilidade de uma parceria com a Itália para desenvolvimento e teste em território catarinense de uma vacina contra o novo coronavírus. Em reunião virtual na manhã desta quarta-feira, 18, os parlamentares conversaram com o conselheiro internacional do Ministro das Universidades Italianas, Paolo Carbone, diretamente de Roma, sobre o atual cenário e ações que possam resultar em um acordo.

 

 

 





Deixe seu comentário: