domingo, junho 20, 2021

ACESSE NO 

Nada pode estar tão ruim que não possa piorar nesta pandemia

Últimas Notícias

Canoinhas vem quebrando sucessivos recordes de casos e mortes

 

 

 

QUANDO SERÁ O FIM?

Nesta quarta-feira, 12, a Saúde de Canoinhas informou que caiu o número de casos ativos da covid-19 na cidade de 603 (o recorde até aqui) para 549 doentes. A má notícia é que quatro novas mortes foram computadas. No total já são 83 óbitos. Se para termos uma queda de 54 casos ativos precisamos contabilizar quatro mortes estamos mal, muito mal.

 

 

 

 

Esse quadro desolador me remeteu à coluna de Vinicius Torres na Folha de S.Paulo desta quarta-feira, 12. “Quando voltarmos a mil mortes de covid por dia talvez se faça uma festa pela ‘volta à normalidade'”, concluiu ao comentar sobre a lentidão com que vacinamos e a nítida impressão de que os brasileiros se conformaram com as consequências da pandemia.

 

 

 

 

Seguindo o pensamento de Torres fico a imaginar qual é o limite para Canoinhas e cidades da região. Quantos mortes precisamos computar para mobilizar medidas individuais mais efetivas? Quantos mais na fila de espera por leito precisamos ter? Isso porque, desde o início, a despeito dos decretos contraditórios, cheios de regras boa parte delas inviáveis, o combate à pandemia sempre se tratou de medidas individuais para obtermos efeitos coletivos. É a velha receita máscara, álcool em gel e distanciamento social. Se essas regras fossem rigorosamente seguidas por todos – como os chineses e japoneses fizeram fiéis a sua ancestralidade disciplinada -, nossa realidade seria outra e, ao contrário do que se faz necessário, estaríamos reabrindo tudo com muito mais segurança.

 

 

 

 

Escrevo este texto, contudo, não para chorar sobre o leito derramado ou bancar o engenheiro de obra pronta. Não sei nem se medidas individuais seguidas à risca é a resposta líquida e certa para se combater essa pandemia visto que muita gente que jura estar se cuidando aparece com o vírus, extremamente fácil de se contrair.

 

 

 

 

 

Gostaria, entretanto, de propor uma reflexão ao nobre leitor: o que eu estou fazendo para conter essa pandemia? Será que estou me cuidando ou poderia fazer mais? “Saio de casa porque preciso garantir o sustento da minha família!”, muitos respondem. Ok, mas não houve nenhum surto da doença em indústrias e nenhum comércio foi fechado por aglomeração. É fato, porém, desde dezembro pessoas estão agonizando nos leitos lotados do Hospital Santa Cruz e isoladas em casa porque se descuidaram em algum momento. Não temos respostas prontas, nenhum especialista em epidemiologia, muito menos eu. mas, ao que parece, atitudes individuais afetam sobretudo o coletivo. O que você está fazendo nesse sentido?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

AVANÇO

Divulgação

Ao longo do dia pessoas com sintomas de covid têm esperado até sete horas para ser atendido na Central Covid aqui em Canoinhas. Isso sem contar os que estão recorrendo ao exame particular. Uma das farmácias de Canoinhas que faz o teste rápido tem atendido uma média de 70 pessoas por dia. Destas pelo menos 40% testam positivo para a doença.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ADAPTAÇÃO

Câmara de Três Barras/Divulgação

A Câmara de Vereadores de Três Barras voltou às sessões presenciais nesta quarta, 12, com o plenário adaptado para a covid-19. Os vereadores foram separados por placas de acrílico para evitar o disparo de perdigotos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“É coisa do diabo que tá dominando o mundo”

do vereador tresbarrense Marcos Rogério de Paula (PL) sobre jogos online. Ele comentava sobre o fato de o assassino de Saudades gostar de jogar pela internet 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

AGILIDADE

O deputado Neodi Saretta voltou a falar da demora na aplicação das doses da vacina contra a covid-19. Conforme apurou o deputado, Santa Catarina recebeu até agora 2.564.570 doses de vacinas contra a covid-19. Desse montante 1.892.236 doses já foram aplicadas, sendo que 1.236.406 receberam a primeira dose da vacina e 655.830 a segunda dose. Os dados são do Governo do Estado. “Fazendo uma subtração matemática, 672.334 ainda não foram aplicadas. Não da para admitir o porquê dessas vacinas não serem aplicadas com mais rapidez. Além disso, vemos municípios que não aplicam a vacina todos os dias, mesmo tendo o imunizante em estoque”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NA CAPITAL

Prefeito de Canoinhas, Beto Passos (PSD), liderou comitiva canoinhense que esteve em Florianópolis nesta quarta em busca de recursos para novas obras para o município. Acompanharam o prefeito, o vice Renato Pike (PL), o secretário de Desenvolvimento Rural Celio Galeski e os vereadores Osmar Oleskovicz e Willian Godoy, ambos do PSD.

 

 

 

Eles participaram de audiências com o deputado Ricardo Alba na Assembleia Legislativa e com o secretário da Casa Civil do Governo do Estado, Eron Giordani.

 

 

 

“Avançamos muito nas tratativas aqui e em breve vamos anunciar novas obras de infraestrutura para Canoinhas. Neste processo estamos tendo o importante apoio do deputado Ricardo Alba que está colaborando com os pleitos dos canoinhenses”, afirma o prefeito Beto Passos.

 

 

 

 

Também participou da audiência na Casa Civil Juliano Batalha Chiodelli.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NA TV

Nesta quarta Beto Passos foi o prefeito entrevistado pelo Jornal do Almoço da NSC TV na série que a sucursal de Joinville da emissora vem fazendo com os mandatários do Norte sobre o avanço da vacinação contra a covid. Perguntado sobre as restrições impostas por decretos, ele disse que acha que “eles não deram muito certo” ao restringir a circulação de pessoas. “A responsabilidade é de cada um de nós”, afirmou ao defender as medidas individuais no combate à doença.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

APLAUSO

O deputados estaduais  aprovaram nesta terça-feira, 11, moção de aplausos à Associação Catarinense de Medicina (ACM) pelo repasse de R$ 3,5 milhões para o enfrentamento da covid-19 em Santa Catarina.  A proposição foi apresentada pelo deputado estadual Dr. Vicente Caropreso (PSDB). Os recursos são provenientes do processo de inscrição na prova ACM de Residência Médica. Ao todo, 39 instituições, entre hospitais e fundações hospitalares públicas e privadas, que participam do programa, receberam recursos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SELO ARTE

Está pronto para votação em Plenário o projeto de lei que regulamenta a concessão do Selo Arte no estado. Trata-se da indicação que possibilita a venda em todo o Brasil de produtos alimentícios artesanais de origem animal elaborados em Santa Catarina. A medida, prevista na legislação federal, pode ser adotada desde que o produtor atenda normas sanitárias estaduais.

 

Deixe seu comentário:

Você perdeu renda por causa da pandemia?