Na bolha de Moisés, vai tudo muito bem


Moisés com novos defensores públicos, empossados no mês passado/Divulgação

Governador acredita estar fazendo um governo inovador, resta saber o que isso quer dizer

 

A BOLHA DO GOVERNADOR

O governador Carlos Moisés da Silva completa em menos de dois meses um ano de governo. Como já escrevi aqui na coluna, vejo com bons olhos medidas saneadoras tomadas por ele e vislumbro um futuro promissor com ideias como a do programa Recuperar, que visa firmar convênios com associações de municípios para que essas associações assumam a manutenção de estradas estaduais.

 

 

 

Na entrevista que Moisés concedeu à NSC veiculada neste sábado, 9, no entanto, dá a impressão que para Moisés está tudo encaminhado e dando resultados. Só que não. Seu governo, até o momento, nos encheu de esperança e promessas, mas nada de exitoso a comemorar até o momento. É cedo? OK, mas para o governador já dá até pra falar em reeleição. “O resultado que a gente apresenta é muito bom”, afirma.

 

 

 

Comemora os primeiros resultados do Recuperar que, segundo ele, já economizou 48% na primeira licitação. Com a SC-477 em frangalhos é um mistério porque a Amplanorte ainda não recebeu um centavo do programa, mesmo tendo assinado o contrato de adesão em agosto. Por que algumas associações já receberam e outras não? Moisés não explica porque não tem noção do tamanho do Estado. Tira o nariz para fora da Casa da Agronômica, vislumbra a linda paisagem da Beira Mar Norte e acha que o Estado segue muito bem. Afirma que está investindo duas ou três vezes mais que seus antecessores, como se em se tratando de recursos públicos fosse pequena a diferença entre o dobro e o triplo. Onde está investindo? No Planalto Norte é que não. Aliás, conta-se nos bastidores que Moisés nunca passou de Campo Alegre. Desconhece a existência de Canoinhas e região.

 

 

 

 

Moisés defende o modelo descentralizado de recursos para os prefeitos. Pergunte a Beto Passos, Luis Shimoguiri, Adelmo Alberti ou Orildo Severgnini quanto já receberam destes recursos. Vão te responder que além de nada, nem o compulsório veio em dia.

 

 

 

 

 

Ao comentar como consegue atrair a simpatia de deputados emedebistas, afirma que troca por projetos que tenham grande impacto nas regiões. “Tragam obras que impactem no desenvolvimento da sua região. Não precisa ser do meu partido para eu atender isso”. Será que nenhum político da região apresentou nem ao menos a necessidade de reforma da SC 477?

 

 

 

Afirmou, também, que “só viaja para entregar obras”. Ótimo. Mas quando será que vem para o Planalto Norte?

 

 

 

 

DÍVIDA

Do ponto de vista político, repercutiu a declaração de Moisés de que não tem dívida com Jair Bolsonaro. O trecho, compartilhado por deputados bolsonaristas, é uma assinatura de divórcio do governo federal. Moisés acrescentou que se Bolsonaro deixar o PSL, ele fica.

 

 

 

 

 

“Eu ajudei a eleger muita gente, não tenho dúvida”

do governador Carlos Moisés, se esquecendo de que era um ilustre desconhecido que nem atenção da imprensa chamava antes do segundo turno

 

 

 

SÓ NO DISCURSO

Moisés disse, na mesma entrevista, que pretende declarar apoio a candidatos a prefeito alinhados a sua visão administrativa, não necessariamente do PSL. Recusa-se, no entanto, a militar distribuindo santinhos.

 

 

 

 

FOGO AMIGO

Eduardo Bolsonaro reuniu-se com deputados bolsonaristas: Jessé Lopes, Felipe Estevão, Coronel Armando, Caroline de Toni, Daniel Freitas, Ana Campagnolo e Sargento Lima/Divulgação

O governador foi fortemente criticado por Eduardo Bolsonaro durante passagem por Santa Catarina ontem. O parlamentar disse que o catarinense foi “picado pela mosca roxa” e que auxilia a esquerda ao contrariar pautas do governo Bolsonaro. Citou como exemplo a taxação dos agrotóxicos.

 

 

 

 

VEM AÍ

Prefeito Beto Passos (PSD) está empolgado com os empreendimentos que vem por aí. Além do Superpão, há mais três empreendimentos comerciais que somam mais de R$ 1 bilhão em investimentos. Tudo para 2020, segundo ele.

 

 

 

 

O TRAJETO PERFEITO

Romeo Vier

Não está na entrevista publicada neste sábado aqui no JMais, por isso publico aqui. Conhecedor das entranhas administrativas de Canoinhas, Romeo Vier contou que o bairro Industrial número 1 está em área residencial porque era plano de Alfredo Garcindo, quando prefeito, formar um anel viário de acesso a Canoinhas pela BR-280 pelo bairro. O plano diretor, cuja cópia Romeo guarda até hoje, não foi levado adiante e, por isso, hoje temos uma área industrial no centro e uma bela universidade no meio do mato.

 

 

 

 

 

NADA DE NOVO NO FRONT

Canoinhas teve em 2018 o ano com menor taxa de investimento desde 2013 segundo o Índice Firjan de Gestão Fiscal. Prefeito Passos justifica a queda nos investimentos pela necessidade de negociar a dívida de mais de R$ 3 milhões da Previdência que o Município contraiu por não pagar FGTS de servidores entre os anos de 2010 e 2016, além da dívida de cerca de R$ 1 milhão do não pagamento do Pasep, também dos servidores entre 2007 e 2011. Neste ano o dado não deve oscilar muito não, já em 2020, deve ter um salto expressivo com os empréstimos que estão sendo finalizados junto à Caixa. Segue a mesma tendência do seu antecessor, Beto Faria (MDB), que no ano eleitoral atingiu excelência em investimentos, isso depois de dois anos de dificuldades em investir.

 

 

 

OPS

Vereador Cel Mario Erzinger (PL) propôs pedir ao Estado a inclusão da Festa do Tiro no calendário oficial das Festas de Outubro. Há anos, no entanto, a Festa do Tiro ocorre em novembro.

 

 

 

 

ROTAS

Acontece na próxima terça-feira, dia 12, na sede da Amplanorte, em Mafra, o lançamento oficial da Região Turística Caminhos do Contestado. A solenidade iniciará às 14 horas e contará com a presença já confirmada da Presidente da Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur), Flávia Didomênico.

 

 

 

Caminhos do Contestado reúne municípios da região do Planalto Norte Catarinense que têm sua história ligada à Guerra do Contestado, dentre eles Mafra, Itaiópolis, Major Vieira e Porto União. Seu roteiro foi reconhecido como uma das mais novas regiões turísticas de Santa Catarina.

 

 

 

Por desleixo do setor de Turismo do Município, inacreditavelmente Canoinhas está fora da rota.

 

 

 

 

 

 

PROTESTO

A Federação Catarinense de Municípios (Fecam) teve acesso ao documento assinado pelo governador do Estado, Carlos Moisés (PSL), em apoio a manifestação de interesse do Estado do Rio de Janeiro, especificamente tratando da Ação Direta de Inconstitucionalidade – ADI 4917. O documento, que contém a anuência do governador catarinense, propôs ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) o adiamento do julgamento marcado para o dia 20 de novembro próximo.

 

 

 

Resumidamente, o governo catarinense concordou com matéria que traz prejuízo milionário e perda de valores para o Estado de Santa Catarina e também aos seus 295 municípios, uma vez que os interesses catarinenses são divergentes dos interesses defendidos pelo Estado do Rio de Janeiro que resiste na justiça contra a nova regra de divisão dos royalties do petróleo que pretende distribuir os recursos para todo o país. A Fecam estima que, desde 2013, a perda para Santa Catarina alcança aproximadamente R$ 800 milhões.

 

 

 

 

“A Fecam lamenta profundamente mais este adiamento inaceitável do julgamento junto a Suprema Corte e requererá esclarecimentos do Governo Estadual pelo posicionamento do governador, atitude que a Federação reputa como prejudicial à sociedade catarinense. O adiamento açoita e afronta direitos do povo catarinense e prejudica a vida das pessoas nas 295 cidades de Santa Catarina”, disse a entidade em nota.

 

 

 

ALESC

Deputado Julio Garcia, presidente da Alesc/Rodolfo Espínola/Agência AL

O deputado estadual Julio Garcia (PSD), presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, sofreu um acidente de carro na tarde desta sexta-feira, 8, na BR-282, em Lages, onde tinha compromisso familiar. Levado ao Hospital Nossa Senhora dos Prazeres pelo Samu, está bem e será submetido a exames.

 

 

 

O parlamentar estava acompanhado da esposa, Adalgisa Scheer, que também recebeu atendimento médico no local e foi encaminhada ao mesmo hospital. Os ocupantes do outro veículo envolvido no acidente também receberam atendimento e a eles será prestada toda a assistência necessária.

 

 

 

 

 

PAÍS DAS COINCIDÊNCIAS

É coincidência que Lula dava ordens na reforma do tríplex do Guarujá, é coincidência que os pedalinhos do sítio de Atibaia tinham os nomes dos netos de Lula gravados, é coincidência que o juiz que condenou Lula e o tirou da campanha hoje é ministro da Justiça, assim como é coincidência Bolsonaro ser vizinho de milicianos.

 

 

 

Se o Brasil fosse um filme, teria um roteiro de péssima qualidade.

 





Deixe seu comentário: