Município notifica empreiteiras sobre obras de pavimentação em Canoinhas


Pike conduziu reunião com representantes de empreiteiras e o secretário de Planejamento João Linzmeier/Divulgação

Prefeito em exercício Renato Pike disse que atrasos não serão mais tolerados

 

 

ULTIMATO

Em reunião na tarde desta segunda-feira, dia 1º, o prefeito em exercício de Canoinhas, Renato Pike (PL), deu um ultimato a representantes de empreiteiras que venceram processos licitatórios para fazer pavimentação asfáltica em ruas de Canoinhas. “Não vamos admitir o atraso de obras sem justificativas plausíveis”, foi enfático.

 

 

 

Na semana passada, ao entregar a prefeitura para Pike e iniciar o período de 20 dias de férias, prefeito Beto Passos (PSD) já havia sido bastante claro na mensagem. “Hoje nós estamos sendo criticados por algumas obras que não estão em andamento. Não é culpa da Secretaria de Planejamento, mas sim, lamentavelmente, porque às vezes somos vítimas de algumas empresas, que infelizmente, querem abraçar muitas obras e acabam não respeitando o cronograma, as datas das entregas das obras”, desabafou o chefe do Executivo.

 

 

Passos explicou que o Município está sendo cobrado diariamente na rua Antonio Liller, no bairro Alto das Palmeiras, na Frederico Kohler, no Campo d’Água Verde, no Loteamento Santa Cruz e também em outras obras.

 

 

 

De fato, o atraso nas obras de pavimentação é uma conjunção de infelizes fatores. Licitada para cumprir o maior pacote de obras do governo Passos em 2018, a Progresso Ambiental perdeu a concessão a partir de suspeitas de fraude em documentação apresentada na licitação. A partir de então iniciou-se uma batalha jurídica pela retomada das obras que invadiu 2020. Depois de idas e vindas e da desistência da segunda colocada, novo processo licitatório foi realizado na metade do ano passado. Boa parte das obras foi herdada pela Prado e Prado, impedida de iniciar os asfaltamentos porque em outubro entramos em período eleitoral. Enfim empreiteira liberada para inícios das pavimentação vem um janeiro com mais de 300 milímetros de chuvas.

 

 

 

O drama causado por toda essa conjunção de fatores foi pontuada em reportagem do Semana JMais que mostrou uma família que teve a rampa de acesso a sua casa destruída pelo início das obras de pavimentação da rua Frei Menandro Kamps em janeiro de 2020, ainda pela Progresso. Como a empresa perdeu a licitação, a família ficou à deriva. A Prado e Prado, que promete retomar a obra em fevereiro, fez uma rampa provisória para a família na semana passada.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SOMOS TODOS AMIGOS

Presidente eleito por unanimidade: deputado Mauro de Nadal (MDB)/Alesc

Há 16 anos a Assembleia Legislativa elege chapa de consenso para a presidência da Casa. Pode parecer harmônico, mas sob o ponto de vista da democracia, não parece producente. Quando 40 pessoas se reúnem nos bastidores para eleger um ungido sem espaço para o contraditório, algo estranho está acontecendo.

 

 

Estes mesmos deputados ainda devem uma explicação sobre a escolha de 2019, afinal o ungido Julio Garcia está preso por falcatruas dentro da Operação Alcatraz. Não parece uma boa escolha, não?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FICOU PRA HOJE

Ao contrário do que a coluna postou ontem, a primeira sessão da nova legislatura da Câmara de Vereadores de Canoinhas ocorre nesta terça-feira, 2. Teoricamente deveria ter ocorrido ontem, porém, o artigo 22 da lei Orgânica Municipal estabelece que as sessões ordinárias, sabe-se lá porque, voltam apenas dia 2. “A Câmara Municipal reunir-se-á, anualmente, na sede do Município, de 2 de fevereiro a 17 de julho e de 1º de agosto a 22 de dezembro”, diz o artigo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

GESTÃO DEMOCRÁTICA

Dentre os projetos de lei que irão a votação nesta terça-feira na Câmara de Canoinhas está a gestão democrática das unidades escolares. O projeto foi proposto pelo bloco da oposição, formado por Juliana Maciel (PSDB), Marcos Homer – na foto à esquerda – (Podemos), Tatiane Carvalho e Zenilda Lemos (ambas MDB).

 

 

Marcos Homer, idealizador da projeto, afirma que a gestão democrática e prevista na Lei de Diretrizes Básicas da Educação, sendo um passo importante para a autonomia das unidades escolares, fazendo com que os gestores possam utilizar de suas atribuições de forma plena. “O projeto possui mais 90 artigos e levou quase quatro meses para sua elaboração, contando com a contribuição de vários especialistas da área” afirma Homer.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

AGUARDO

O presidente do Hospital Santa Cruz de Canoinhas (HSCC), Reinaldo de Lima Jr, estima que levará pelo menos 30 dias para instalar o tomógrafo novo do Centro de Diagnóstico por Imagem (CDI). Isso porque a instalação exige toda uma adaptação da sala. A promessa de que o Governo do Estado liberaria R$ 1,2 milhão na semana passada se renovou para esta semana.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

RESSONÂNCIA

Para piorar a situação, o aparelho de ressonância magnética também apresentou problemas no fim de semana e os exames tiveram de ser suspensos. O problema, afirma Lima, deve ser resolvido até esta terça.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VOLTA ÀS AULAS

Um projeto de Lei (PL) proposto pela bancada do PT na Assembleia catarinense inviabiliza a volta às aulas presenciais no Estado. Diz o PL: “nenhum trabalhador ou trabalhadora poderá ser obrigado a trabalhar de forma presencial, sem que o Estado tenha disponibilizado a vacina, de forma gratuita”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

4,52%

foi o reajuste concedido pelo Município de Três Barras aos servidores públicos municipais

 

 

 

 

 

 

RUMO À CAPITAL

Adilson Lisczcovski/Gilberto Havrelhuk

Na próxima sexta-feira, 5, o prefeito de Major Vieira Adilson Lisczkovski (Patriotas) viaja para Florianópolis onde cumprirá agenda com deputados e com o governador do estado, Carlos Moisés (PSL).

 

 

 

Na segunda-feira, 8, Adilson viajará para a capital federal, Brasília, em busca de recursos para pastas como saúde, assistência social, obras entre outras.

 

 

 

Lisczkovski vai visitar gabinetes de deputados, senadores e ministérios.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SEM PERDÃO

Uma proposta que torna inafiançáveis crimes relacionados à prática da pedofilia tramita no Senado Federal. De autoria do senador catarinense Dário Berger (MDB), o PL 4406/2020 altera o Código de Processo Penal impedindo o pagamento de fiança nos casos de favorecimento de prostituição de menores, divulgação de imagens de estupro e crimes virtuais. De acordo com o projeto, os crimes previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente Lei 8.069, de 1990) também serão inafiançáveis.

 

 

 

 





Deixe seu comentário: