Município despeja Liga Esportiva Canoinhense do Estádio Ditão


Um dos quadros do acervo da LEC/Divulgação

Em ofício, Município deu prazo para entidade deixar o local

 

 

DESPEJADOS

Entidade com mais de 70 anos de história, a Liga Esportiva Canoinhense (LEC) foi despejada da sala que ocupava no Estádio Municipal Benedito Therezio de Carvalho, o Ditão. Um ofício do gabinete do prefeito Beto Passos (PSD) comunica a Liga que “não há mais interesse da Administração Pública em manter a referida cessão (de uso), razão pela qual a municipalidade requer a reversão do imóvel.”

 

 

 

Em uma postagem nas redes sociais, a LEC lamenta o despejo. “A Liga Esportiva Canoinhense possui 70 anos de existência. Em todos esses anos vem atuando em prol do desenvolvimento de campeonatos esportivos na nossa região, trabalhando com arbitragem em todas as modalidades desde as regiões do Planalto Norte de SC até em regiões do Sul de Paraná. A sede da LEC estava localizada no Estádio Municipal Benedito Therezio de Carvalho, o Ditão. No local, havia arquivos dos campeonatos, carteiras de atletas, livros, relatórios e diversos documentos que fazem parte da história da Liga. O local também era onde ocorria a realização dos congressos técnicos dos eventos e demais reuniões, julgamento, escalas de arbitragem etc. Recentemente a diretoria foi comunicada que deveria se retirar do local. Aguardamos até o presente momento, por parte do gestor de esportes municipal o motivo de tal ação para que, como sempre possamos repassar a todos os desportistas da nossa região e todos que acompanham a LEC. Deixando todos informados dos acontecimentos!”

 

 

 

 

Paulo Bredun, secretário da LEC, disse à coluna que a entidade cobra um posicionamento do prefeito, mas que até o momento Passos não sinalizou com uma explicação sobre o motivo do despejo.

 

 

 

 

A coluna procurou o gestor de esportes do Município Jocimar Jubanski. Ele explicou que o pedido pela sala se deu por ser “um espaço público e a LEC foi comunicada há alguns meses que a Fundação Municipal de Esportes (FME) iria precisar da sala, “visto que estamos fazendo algumas mudanças nas nossas dependências”. Ele frisa que “a sala não é da Liga e há muito tempo era bem pouco usada, tanto que há mais de um ano não víamos ninguém da Liga no local”. A LEC deixou de vez a sala na manhã desta quarta, 28.

 

 

 

 

 

 

Perguntado se a sala será destinada ao Nação Futebol Clube, equipe de Joinville que pretende representar Canoinhas na série B do Campeonato Catarinense, Jubanski explica que “ainda não resolvemos se essa ou uma outra, que hoje atende o nosso professor do atletismo. Agora que temos a chave, vamos reformar a sala para ficar em condições de uso, ficou muito tempo fechada”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

HISTÓRIA

Fichas de atletas filiados à LEC/Divulgação

Paulo Bredun diz que a grande preocupação da LEC é com seu acervo composto por fotos, fichas e premiações que remetem a 70 anos de história já que não tem um espaço adequado para armazenar o material. Ele destaca, contudo, que já recebeu sinalização de interesse de municípios da região em alojar a Liga. “Só que não será mais de Canoinhas né”, lamenta. Ele explica, também, que a pandemia fez com que todos os campeonatos em andamento fossem suspensos, mas que as atividades foram intensas até então, conforme é possível checar nos registros postados no perfil da LEC no Facebook. “A sala era usada mais como arquivo porque nenhum dos membros da diretoria da LEC recebia ou tinha condições para cumprir expediente na sala”, admite.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VERBA

Representantes do Cidadania entregam ao presidente do Hospital Santa Cruz de Canoinhas (HSCC), Reinaldo de Lima Júnior, ofício endereçado ao prefeito Beto Passos, de verba destinada pela deputada federal licenciada Carmen Zanotto, no montante de R$ 150 mil, como aporte ao HSCC.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TOLERÂNCIA ZERO

A criminalidade anda irritando tanto os moradores de Major Vieira ao ponto de um cidadão colar este cartaz no poste em frente à sua casa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NEM UM ZAP

O ex-prefeito de São João Batista, Daniel Netto Cândido (PSL), foi exonerado do cargo de secretário-adjunto de Desenvolvimento Social de Santa Catarina. A decisão é da governadora interina, Daniela Reinehr. Ele havia sido indicado pelo governador afastado, Carlos Moisés da Silva. Cândido, em vídeo nas redes sociais, afirmou que ficou sabendo da exoneração pelo Diário Oficial do Estado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ELES QUE PEDIRAM

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse em entrevista à rádio CBN, que agiu no caso da apreensão recorde de madeira no Pará a pedido de parlamentares. Entre os citados por Salles estão o senador Jorginho Mello (PL) e a deputada federal Caroline de Toni (PSL).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DIREITO

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Mauro de Nadal (MDB), assinou, nesta quarta-feira, 28, o autógrafo do projeto de lei que torna infração funcional do servidor público a violação de prerrogativas de advogados no exercício da atividade. Com isso, o texto está pronto para a sanção governamental. A assinatura do autógrafo foi acompanhada pelo presidente da OAB de Santa Catarina, Rafael Horn.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TEM SAÍDA

Deputada Paulinha/Divulgação

O Plenário da Assembleia Legislativa aprovou, nesta quarta-feira, 28, projeto de lei da deputada Paulinha (PDT) que cria o Programa Tem Saída. A iniciativa é voltada para a promoção da autonomia financeira de pessoas em situação de violência doméstica e familiar.

 

 

O Parlamento também aprovou projeto do deputado Kennedy Nunes (PSD) que estabelece, em Santa Catarina, a data de 8 de agosto como Dia de Conscientização contra a Prática do Aborto.

 

 

 

Os parlamentares ainda aprovaram proposição que obriga o governo do Estado a pagar as despesas de remoção e estada de veículos recuperados após roubo, furto ou apropriação indébita. A matéria é de autoria do deputado suplente delegado Ulisses Gabriel (PSD).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TOMA LÁ DÁ CÁ

Durante a sessão ordinária da Assembleia Legislativa nesta quarta-feira, 28, deputados criticaram o corte de verbas do governo federal para Santa Catarina. Os vetos na Lei Orçamentária Anual (LOA) da União somam mais de R$ 152 milhões, que seriam aplicados em educação, saúde, assistência social e economia. Do total, pelo menos R$ 113 milhões seriam utilizados em obras de infraestrutura.

 

 

 

 

Detalhe: há duas semanas os deputados catarinenses aprovaram alocação de recursos estaduais para bancar obras de infraestrutura que são prerrogativa do Governo Federal em SC.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

HOMESCHOOLING

Foi aprovado pela Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira, 28, o requerimento para formação de comissão mista com a proposta de debater o ensino domiciliar em Santa Catarina. A iniciativa é da deputada Ana Campagnolo (PSL) e vai reunir, ainda, membros das comissões de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente e de Legislação Participativa.

 

 

 

 

Também foi aprovada a realização de audiência pública para debater o ensino domiciliar, que deve ocorrer em maio, com data e local a serem definidos.

 





Deixe seu comentário: