Mudança de postura de Moisés sobre pandemia prejudica o Estado


Governador afastado Carlos Moisés/Maurício Vieira/Secom

Em fase de namoro com a política, governador se esquiva de medidas impopulares

 

 

MUDANÇA DE RUMO

Há exato um ano a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretava pandemia de coronavírus. Pouco depois o governador Carlos Moisés (PSL) decretou lockdown em Santa Catarina e, diariamente, passou ele mesmo a informar sobre os novos casos no Estado, reforçando as medidas sanitárias. De lá pra cá a pandemia teve altos e baixos, mas em nenhum momento se teve tantos casos e tantas mortes pelo vírus no Estado, ao ponto de Santa Catarina figurar na temível liderança de novos casos no País.

 

 

 

O cenário desolador e preocupante, no entanto, não encontra o mesmo Moisés de um ano atrás. Muita água correu por debaixo dessa ponte. Traumatizado por dois pedidos de impeachment na Assembleia, Moisés teve de experimentar a política com ela é. Cortejou deputados, entregou secretarias a aliados estratégicos e passou a ouvir o setor produtivo, que também teve papel importante no seu afastamento do cargo em outubro do ano passado.

 

 

 

 

O Moisés que surge agora com a escalada da doença não é o mesmo que levou essa pandemia mais a sério quando ela era apenas uma previsão. Escolado, o governador tenta se esquivar de polêmicas. Prova disso é o fato de ter feito ouvidos moucos aos apelos dos profissionais de saúde por medidas mais enérgicas e publicar um decreto que, além de confuso, pouca coisa acrescenta a que já vinha acontecendo.

 

 

 

A tentativa mais óbvia de se esquivar de suas responsabilidades foi o destaque que deu ao fato de os prefeitos poderem determinar medidas mais rígidas. Com exceção de um ou outro, os prefeitos também temem perda de popularidade. Veja o exemplo de Beto Passos (PSD), que cedeu na semana passada aos apelos de pastores e os autorizou a aglomerar em cultos.

 

 

 

 

O momento é caótico nos hospitais, mas muitos prefeitos e o governador acreditam que têm de esconder a situação como forma de não confessar uma suposta incompetência. Não deveriam pensar assim. Foi com medidas brandas e passando a mão na cabeça de folgados que acham que porque pagam impostos ao ficarem doentes precisam ter garantido seu leito hospitalar que chegamos ao ponto que chegamos. Admitir que o sistema não suporta mais, que não se trata de questão de capacidade, mas consciência coletiva, seria um bom passo, impopular, mas imprescindível para salvarmos vidas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MORDE E ASSOPRA

A prova de como os decretos tentam ferir e consolar alo mesmo tempo está no que diz respeito aos bares. Um dos artigos proíbe a venda de bebidas alcoólicas a partir das 21 horas. Outro artigo, no entanto, diz que os bares podem funcionar até 23h59. Como seguir aberto depois das 21h sem poder vender seu principal e, muitas vezes, único produto?

 

 

 

 

 

 

 

 

PREPOSTO

Eron Giordani/Divulgação

A colunista da NSC, Dagmara Spautz, diz que Moisés desistiu de gerir a pandemia. Prova disso é que seu novo braço direito, Eron Giordani, ‘emprestado’ pela Assembleia Legislativa, é quem conduz a maior parte das reuniões em que se discute a pandemia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Os melhores que Canoinhas já teve estavam lá”

do vice-prefeito Renato Pike, comentado a coluna de ontem em postagem no Instagram

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MODO OFF

Prefeito Beto Passos (PSD) tomou chá de sumiço nesta quinta-feira, 11. Aos assessores disse apenas que estaria viajando e só volta no fim de semana. Os mais entusiastas acreditam que possa ter ido à Rússia, buscar pessoalmente a prometida vacina contra a covid-19.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

OUÇAM-ME

Prefeito Beto Passos (PSD) vai investir R$ 110.717,28 na Rádio Clube e R$ 61.430,40 na Massa FM ao longo deste ano. Contratos com dispensa de licitação tiveram extrato publicado nesta quarta-feira, 10, no Diário Oficial dos Municípios. Só com o valor repassado mensalmente à Rádio Clube seria possível pagar o salário de mais um secretário municipal.

 

 

 

 

 

 

 

 

“Somos o epicentro da nova cepa”

do secretário de Saúde de SC , André Motta Ribeiro, sobre avanço da covid-19 no Sul do país

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

COLAPSO

Com 100% de lotação dos leitos de UTI em São Bento do Sul, o superintendente do Hospital Sagrada Família, Renato Figueiredo, pontuou em coletiva de imprensa nA terça-feira, 9, que a situação se aproxima de um colapso. Segundo dados estaduais, até terça-feira, 50 pacientes aguardavam por leitos de UTI na macrorregião Norte e Nordeste de SC. A média por dia é de 50 pacientes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

R$ 6

é a previsão de quanto chegará, em breve, o preço do litro de gasolina em SC

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LUTO

Morreu na madrugada desta quinta-feira, aos 82 anos, o ex-deputado estadual Ademar Duwe. Natural de Jaraguá do Sul, foi deputado constituinte e deputado estadual na Assembleia Legislativa de 1987 a 1991, pelo PMDB. Ademar Duwe também foi secretário de Estado e vice-prefeito de Jaraguá do Sul.

 

 

 

 

Em 2019 foi homenageado como Deputado Constituinte, em sessão especial da Assembleia Legislativa, nas comemorações de 30 anos da Carta Constitucional catarinense, assinada em 5 de outubro de 1989.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

RESPIRADORES

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-SC) avançou na apuração sobre a compra de 200 respiradores pelo governo de Santa Catarina em abril de 2020. Os equipamentos foram adquiridos de forma fraudulenta por R$ 33 milhões. O Pleno do TCE seguiu o conselheiro Herneus de Nadal, relator do caso, e autorizou a abertura de uma tomada de contas especial sobre a aquisição. Com isso, 10 pessoas serão intimadas nos próximos 30 dias para dar explicações sobre o caso.

 

 

 

 

 

 

 

 

GRATIFICAÇÃO

O Plenário da Assembleia Legislativa aprovou a admissibilidade da Medida Provisória que mantém até 31 de março o pagamento de gratificação a profissionais de saúde que atuam no combate à covid-19 no estado. MP 233 prorroga os efeitos de lei que vigorou de junho a dezembro de 2020.

 

 

 

 

A Retribuição por Produtividade Médica (RPM) vinha sendo paga a profissionais das unidades hospitalares, assistenciais e de gestão da pandemia, sejam eles de gestão própria do Estado ou de organizações sociais que tenham servidores do Estado. O valor da Retribuição por Gestão Hospitalar (RGH) também foi prorrogado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TELEFONE MUDO

O projeto de lei que proíbe a oferta e contratação de empréstimo ou financiamento de qualquer natureza, por meio de ligação telefônica para aposentados e pensionistas foi aprovado na Comissão de Trabalho da Assembleia Legislativa nesta quarta-feira, 10. Segundo o autor da iniciativa, deputado licenciado Luiz Fernando Vampiro (MDB), esse tipo de contratação desrespeita regras jurídicas previstas no Código de Defesa do Consumidor (CDC).





Deixe seu comentário: