Mesmo na rota Caminhos do Contestado, Canoinhas está fora do mapa do Ministério do Turismo


Portal da cidade de Canoinhas/Moises Gonçalves/Arquivo

Falta de documentação retirou a cidade do mapa nacional

 

 

FORA DE ROTA

Canoinhas é um dos 13 municípios que integram a região turística Caminhos do Contestado. O lançamento da região foi realizado pela presidente da Agência de Desenvolvimento do Turismo de SC (Santur), Flavia Didomenico, nesta terça-feira, 12, em Mafra. A informação pode confundir os desavisados que leram, aqui no JMais, que Canoinhas estaria fora da rota turística do Contestado.

 

 

 

Ocorre que a rota divulgada ontem pelo Governo do Estado nada tem a ver com a rota nacional, divulgada recentemente pelo Ministério do Turismo. Trata-se de uma nova categorização de regiões turísticas definidas pelo Governo Federal que, em Santa Catarina, chega a 13.

 

 

 

Fazem parte da nova rota do Ministério do Turismo os municípios de Major Vieira, Itaiópolis, Mafra e Porto União. Segundo a gerente de Políticas Públicas da Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur), Ana Paula Schveitzer, 13 municípios poderiam participar da rota, mas só os quatro apresentaram a documentação necessária. Entre esses documentos estão as atas das duas últimas reuniões do Conselho de Turismo.

 

 

 

O JMais mostrou que Canoinhas ficou de fora da rota simplesmente por não conseguir colocar em prática o Conselho de Turismo. Depois da perda, que deve perdurar por dois anos, quando nova avaliação do Ministério será feita, a gerência de turismo da prefeitura de Canoinhas se mexeu e, finalmente, fez a primeira reunião do Conselho.

 

 

 

A atualização do Mapa do Turismo de SC, realizada a cada dois anos, foi homologada pelo Ministério do Turismo em outubro. O documento está disponível para consulta e download em alta resolução, em duas versões (completa e simplificada), diferentes formatos e ainda nos idiomas português, inglês e espanhol. Basta acessar o link: http://bit.ly/MapadoTurismo_SC

 

 

 

 

Como vantagem que o Município deixou de ter está o acesso a possíveis editais que estimulem o turismo.

 

 

 

 

 

FALANDO NISSO

Fátima Santos

Engenheiros contratados pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan) já estão trabalhando nas obras de restauração da estação ferroviária de Marcílio Dias. Os trabalhos começaram na semana passada.

 

 

 

 

 

VAI ENTENDER

No mesmo dia em que foi lançada a região Caminhos do Contestado, a mudança do nome da região do Contestado, que abrange parte do Vale do Rio do Peixe e do Planalto Norte, para região dos Imigrantes gerou críticas na sessão da Assembleia Legislativa. Essa seria, portanto, a segunda estrutura regional com denominação diferente a ser lançada recentemente pelo Governo do Estado.

 

 

 

 

 

PRESENÇA

O médico ortopedista e traumatologista Marcelo Gallotti, que atualmente atende junto ao Centro Médico do Hospital Santa Cruz de Canoinhas (antigo Pronto Atendimento) participa de 14 a 16 de novembro do Congresso Anual da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, que acontece em Fortaleza (CE).

 

 

 

 

PP

O Progressistas é o partido alvo do vereador Célio Galeski, que inclusive, nas tantas idas e vindas partidárias, já esteve na diretoria do partido. Foi pelo PP que ele emplacou seu primeiro mandato, ainda na suplência. A ideia de Galeski é, ao ingressar no PP, se cacifar para disputar a prefeitura de Canoinhas na vice de Beto Passos (PSD).

 

 

 

 

PSL

A saída do presidente Jair Bolsonaro do PSL vai rachar a bancada do partido na Câmara. Projeção feita pelo jornal O Globo aponta que 24 dos 53 deputados federais da sigla devem acompanhar o presidente para fundar a Aliança pelo Brasil. Outros 27 indicam que vão permanecer nos quadros da legenda, enquanto dois ainda não decidiram qual rumo vão tomar. Se a criação do partido de Bolsonaro for adiante, a tendência é que as forças de centro se fortaleçam ainda mais no Congresso. Com a base esfacelada, o governo pode ter mais dificuldades na relação com o Legislativo.

 

 

 

 

 

NONA BANCADA

O PSL, segundo maior partido da Câmara, passaria a ser a nona maior bancada, caso os deputados hoje indecisos decidam continuar no partido, enquanto a Aliança pelo Brasil ficaria com a 12ª posição. O PL, integrante do centrão —que reúne ainda PP, DEM, Republicanos, PTB, PSD e Solidariedade —, seria alçado à segunda bancada, atrás do PT. O bloco informal soma mais de 250 votos na Casa.

 

 

 

 

 

“A representada participou de encontros e fatos que dizem respeito às atribuições parlamentares”

parecer do Ministério Público sobre viagens da deputada estadual Ana Caroline Campagnolo (PSL) pelo Estado supostamente para lançar seu livro

 

 

 

 

 

TAXA AMBIENTAL

Deputado estadual Ivan Naatz (PV) informou os colegas e os catarinenses que após o STF considerar legal a cobrança da taxa ambiental de Bombinhas, ela será cobrada a partir de sexta-feira, 15, naquele município, assim como em Governador Celso Ramos.

 

“É o melhor negócio do verão catarinens,e e o sujeito pagando para entrar, achando que o dinheiro vai para proteção ambiental”, ironizou Naatz, que garantiu que as empresas que vão operar a cobrança faturarão cerca de R$ 21 milhões em dois anos.

 

“É um absurdo, vossa excelência tem razão”, concordou Eskudlark.

 

 

 

 

 

 

DE GRAÇA, NÃO

O juiz Humberto Goulart da Silveira, titular da 3ª Vara Cível da Capital, revogou o benefício da gratuidade da justiça que havia sido deferido a dois autores de uma ação de cobrança de taxa de corretagem.

 

 

 

Na decisão, o magistrado observa que ambos ostentam condição financeira e têm padrão de vida e gastos incompatíveis com a miserabilidade passível de usufruir do benefício. Com base nos próprios documentos juntados pelos autores, que atuam como corretores de imóveis, o juiz verificou que a autora gastou mais de R$ 400 em cabeleireiro de uma só vez, além de pagar mais de R$ 300 de conta de celular e possuir renda fixa superior a R$ 6 mil.

 

 

 

 

Em consulta ao serviço do Google Maps, também foi verificado que o endereço indicado como domicílio da autora é ocupado por uma casa de três pavimentos, em área valorizada da cidade. Já o autor, conforme observado na decisão, é proprietário de uma pousada, viaja ao exterior para surfar e é sócio de uma empresa de capital social de R$ 1,7 milhão. 





Deixe seu comentário: