Maiores empresas de Canoinhas faturam menos da metade das de Três Barras

Vista aérea da WestRock em Três Barras/Divulgação

No ranking das 20 maiores empresas do Planalto Norte, WestRock e Mili SA, sediadas em Três Barras, são as que mais faturaram em 2017

 

 

A Associação dos Municípios do Planalto Norte Catarinense (Amplanorte) divulgou no final do ano passado o anuário  Planalto Norte em números. Trata-se de um relato detalhado de dados que traçam uma radiografia da economia da região. A ideia com o anuário é de fornecer dados precisos que vão desde saúde até educação e saneamento básico a possíveis investidores.


 

Entre os dados, chama atenção o que elenca as 20 maiores empresas da região em termos de faturamento. A Rigesa Celulose, Papel e Embalagens LTDA, razão social da WestRock, e a Mili SA, ambas em Três Barras, foram as que mais faturaram em 2017 na região. Juntas, eles lucraram R$ 761,66 milhões em 2017, mais que a metade que as duas empresas de Canoinhas que compõem o ranking faturaram no mesmo período. CIA Canoinhas de Papel e Fricasa Alimentos alcançaram juntas a cifra de R$ 211,29 milhões.

 

 

A cifra aumenta se considerarmos as outras três empresas tresbarrenses que compõem o ranking – Brasnile, que deve montar uma unidade em Canoinhas neste ano, Compensados Fuck SA e Dalquim (a WestRock aparece no ranking com uma segunda razão social). Juntas, essas três empresas faturaram R$ 80,9 milhões em 2017.

 

 

A cidade que tem mais empresas no ranking é Mafra, com seis indústrias. Juntas, no entanto, elas faturaram R$ 166,6 milhões.

 

 

Itaiópolis tem três empresas no ranking. Juntas, elas faturaram R$ 213,3 milhões em 2017. Completam o ranking, Papanduva com duas empresas e Porto União com somente uma empresa.

 



TRÊS BARRAS

Prefeito de Três Barras, Luis Shimoguiri (PSD) disse que é uma honra hospedar as seis empresas que compõem o ranking. “Isso representa uma boa arrecadação ao Município. O valor agregado aos produtos compõem o ICMS, que rende repasse para Três Barras basicamente semelhante ao repassado a Canoinhas”, compara. Ele vê potencial de crescimento em todas as empresas, não só nas que compõem o ranking.

 

 

Para atrair novos investimentos, o prefeito diz que o Município oferece benefícios como cessão de uso de terrenos públicos. Ele cita como atrativo, a quantidade de água em abundância como um diferencial em relação a outros municípios. Cita também, o trabalho da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico.

 

 

Sobre a arrecadação tributária, diz que embora a contribuição das empresas seja decisiva, há outros fatores que incrementam o orçamento como o que se arrecada como o Serviço Autônomo de Água e Saneamento (Samasa), dinheiro que deve ser revertido em melhorias no fornecimento do serviço. “Uma coisa é o que se arrecada com as empresas outra coisa é a composição final do que pode efetivamente ser distribuído e aplicado pelo Município por pessoa, o que a gente chama de distribuição per capita”, frisa.

 

 

FATURAMENTO NO ESTADO EM 2018

As vendas da indústria de Santa Catarina no acumulado do ano (entre janeiro e dezembro de 2018) fecharam em alta de 12,2% no comparativo com 2017, apontam dados da Federação de Indústrias de SC (Fiesc) divulgados nesta terça-feira, 5. Foi observado avanço em 13 das 14 atividades. Os melhores desempenhos estão em produtos alimentícios (32,2%), produtos de metal (20,5%) e vestuário e acessórios (18,4%). Os menores desempenhos ocorrem com celulose e papel (-3,8%), borracha e material plástico (0,5%) e em produtos têxteis (1,1%).

 

Deixe seu comentário:

Top