segunda-feira, 27

de

setembro

de

2021

ACESSE NO 

Justiça Eleitoral absolve vereador acusado de financiar festas em campanha em Irineópolis

Últimas Notícias

- Ads -

José Julio Nogara (PSDB) era acusado de financiar três festas

 

 

RESQUÍCIOS 

A Justiça Eleitoral julgou improcedente denúncia contra o vereador eleito em 2020 por Irineópolis, José Julio Nogara (PSDB). A denúncia afirmava que um amigo dele teria promovido uma festa em sua residência, situada na localidade de Pedra Branca, interior de Irineópolis, durante o período eleitoral do ano passado, para promover sua candidatura. Dias depois, outra amiga do candidato teria promovido outra festa com a presença de Nogara. Seis dias depois, outro suposto cabo eleitoral de Nogara teria promovido um almoço com distribuição de material de campanha e, claro, presença do candidato.

 

 

 

O Ministério Público Eleitoral (MPE) viu na organização dos eventos a “finalidade político-eleitoral dissimulada, a caracterizar abuso de poder econômico, dada a distribuição de comida e bebida gratuitas para os convidados”. Indicou que a carne utilizada para a realização do primeiro e segundo eventos foi adquirida na mesma oportunidade e custeada pela mesma pessoa.

 

 

 

O MPE pediu a inelegibilidade não só de Nogara, mas também das três pessoas que promoveram as festas.

 

 

 

O vereador, segundo mais votado na eleição do ano passado, negou as acusações, reconhecendo ter participado das festividades, mas como convidado e sem pedir votos.

 

 

 

“Assim, verifica-se que a prova oral colhida dá lastro à conclusão de que as festividades tratadas na inicial foram organizadas pelos réus Marli, Dirceu e Evaldo, sem qualquer finalidade político partidária, nas quais o réu Jose Julio esteve presente, contudo, sem patrocínio econômico”, concluiu a juíza Andrea Regina Calicchio na sentença.

 

 

 

Trabalharam na defesa de Nogara os advogados Paulo Henrique Brolini Glinski e Luis Alfredo Brolini Glinski.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Peço perdão por ter me excedido”

Do vereador Marcos Homer (Podemos), arrependido de ter chamado de assalto o que empreiteiras fazem em Canoinhas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

HOMENAGEM

Ana Marisa é diretora do Laboratório de Bioquímica e Biofísica/Divulgação/Butantan

Vereador Willian Godoy (PSD) propôs título de cidadã benemérita para a bioquímica canoinhense Ana Marisa Chudzinski-Tavassi, nascida no distrito de Felipe Schmidt, que ganhou destaque na mídia internacional. Está nas suas mãos uma das mais promissoras esperanças no combate à pandemia. O JMais contou essa história em reportagem publicada nesta segunda.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

POSSE

O governador Carlos Moisés deu posse ao novo chefe da Defesa Civil de Santa Catarina, David Christian Busarello. O ato foi nesta segunda-feira, 8, na Casa d’Agronomica, com a presença do presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, deputado Mauro de Nadal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

8%

Foi quanto aumentou o consumo de alimentos por mais pobres no ano passado. Presuntos e apresentados foram os itens mais consumidos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ÓLEO DE PEROBA

Mensagens obtidas pelo jornal Folha de S.Paulo da rede interna usada por procuradores da República mostram a insatisfação de integrantes do Ministério Público Federal com a qualidade de um novo telefone celular, cujo preço de mercado oscila de R$ 2.600 a R$ 3.600, que passou a ser fornecido pela instituição.

 

 

 

O aparelho foi chamado de “esmola” por procuradores que recebem, além do salário de R$ 33,6 mil, auxílio-alimentação (R$ 910), abono pecuniário (de até R$ 29,9 mil) ou gratificação por acúmulo de ofício (de até R$ 7,5 mil).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“A gente poderia ter tido o auxílio mais amplo no primeiro mês e começado a descobrir quem era quem. No terceiro mês, saberíamos que, no Brasil, no máximo, foram perdidos 10 milhões de postos de trabalho, não tinha sentido termos continuado com 70 milhões de beneficiários”

do pesquisador Ricardo Paes de Barros

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MEMÓRIA

Schumacher, prefeito de Canoinhas no período de 01/02/1970 a 31/01/1973/Fátima Santos

Projeto de lei que vai à votação nesta terça, 9, na Câmara de Canoinhas, homenageia o ex-prefeito Alcides Schumacher com o nome do Centro da Cidadania de Canoinhas. Alcides Schumacher morreu em abril do ano passado.