Justiça deve arquivar inquérito sobre assassinatos de empresário e caseiro


Divulgação

Se novos indícios surgirem inquérito pode ser reaberto em até 30 anos

 

 

 


O delegado da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Canoinhas, Marlon Bosse, concluiu na semana passada o inquérito que apurou os assassinatos de  Antonio Machado Massaneiro, 66 anos, e seu caseiro, José Alcir Alves Cardoso de Oliveira, 32 anos, em março deste ano. Em entrevista ao programa Repórter 98, da 98FM, ele disse que remeteu o inquérito sem conclusões para a Justiça.

 

 

 

“É o crime mais difícil que já investiguei até hoje. Não conseguimos concluir autoria e, portanto, remetemos ao Fórum sugerindo o arquivamento temporário até o surgimento de novos indícios de autoria”, explicou o delegado. Denúncias podem ser feitas à Polícia Civil por meio do WhatsApp (47) 9 9932 8677. Se em até 30 anos novos indícios surjam, o inquérito é reaberto.

 

 

 

Massaneiro e Oliveira foram assassinados a tiros na madrugada de 15 de março deste ano, na chácara de Massaneiro na localidade de Salto d’ Água Verde, interior de Canoinhas.

A caminhonete de Massaneiro foi encontrada com manchas  de sangue dentro da chácara.

 



 

 

Massaneiro tinha 66 anos/Arquivo Prefeitura de Canoinhas

Policiais militares fizeram o atendimento inicial da ocorrência. Ainda durante a madrugada a Polícia Civil assumiu o caso e iniciou as buscas que prosseguiram até a manhã daquele dia na propriedade de Massaneiro, que tem cerca de 40 alqueires.

 

 

 

De acordo com o delegado regional Rui Orestes Kuchnir, à época do crime, a equipe da Divisão de Investigação Criminal fez uma varredura na chácara, que fica próxima ao campo do Primavera, na estrada que dá acesso a localidade de Tira Fogo, em Bela Vista do Toldo. Durante as buscas no local, foram encontrados os corpos de Massaneiro e do caseiro, a uma longa distância um do outro.

 

 

O médico perito  do Instituto Médico Legal (IML)  concluiu que os dois homens foram assassinados por disparos de arma de fogo.

 

 





Deixe seu comentário: