Jovem é baleado e amigos da vítima são acusados de depredar hospital em Rio Negrinho


Evandro Alves de Lima foi atingido por disparos de arma de fogo e morreu no hospital/Reprodução

Fundação Hospitalar de Rio Negrinho teve a porta de emergência quebrada e enfermeiros foram agredidos

 

 

A Polícia Militar foi acionada na tarde deste domingo, 13, para atender a uma ocorrência na rodovia SC 112, em Colônia Olsen, próximo ao bar do Donizete, em Rio Negrinho. No local, um homem teria efetuado alguns disparos de arma de fogo contra um rapaz. Segundo a PM de Rio Negrinho, o rapaz estaria ferido e seus amigos estavam levando-o até o hospital.

 

 

No entanto, durante o deslocamento, os policiais tiveram que abandonar o chamado e  retornaram  para atendimento  na Fundação Hospitalar de Rio Negrinho. Segundo a Polícia, havia cerca de 20 pessoas no hospital, amigos da vítima, quebrando a porta de entrada da unidade hospitalar e agredindo os funcionários.

 

 

 

Após conseguirem restaurar a ordem, os policiais constataram que a vítima, Evandro Alves de Lima, que havia sido ferido na ocorrência anterior, teria sido atingido, a princípio, com dois disparos de arma de fogo na cabeça, já estava hospitalizado e em atendimento.

 

 

 

Posteriormente, os policiais recolheram o relato de pessoas que testemunharam os disparos. O proprietário da casa onde aconteceu os disparos relatou que estava com seus amigos no local conhecido como  Lage dos Pires, retornou pra sua casa e que logo em seguida chegaram também alguns amigos. O irmão do proprietário da casa falou que um homem, dono de um veículo Parati, estava armado com uma pistola preta, teria invadido o terreno deles e efetuou três disparos a cerca de um metro de distância da vítima e errou todos. No entanto, a vítima teria caído no chão e o suspeito teria efetuado dois disparos em direção a cabeça dele.

 

 

 

O autor dos disparos saiu com a Parati e efetuou mais três disparos para cima, de acordo com a Polícia.

 

 

Após colocarem um pano na cabeça da vítima, os amigos o levarem para o hospital. Na casa, ficaram estojos da munição caídos no gramado.

 

 

Um dos amigos de Evandro alegou à Polícia que como houve demora no atendimento, perdeu a cabeça e quebrou os vidros da porta de emergência da unidade.

 

 

 

Imagens de vídeo divulgadas, mostram a briga em Colônia Olsen.

 

 

Policiais civis também estiveram no hospital coletando informações e no local do crime.

 

 

 

Diante dos fatos foi lavrado um boletim de ocorrência. Equipes policiais e da Agência de Inteligência realizaram rondas na busca pelo suposto autor do homicídio, contudo, o suspeito não foi localizado.

 

 

 

 

 

DEPREDAÇÃO E AGRESSÃO

Quando chegaram na Fundação Hospitalar, os policiais conseguiram abordar os supostos vândalos, que segundo a PM, foram identificados com a ajuda dos funcionários do hospital: três pessoas, entre elas duas mulheres e um homem, amigos da vítima dos disparos.

 

 

 

Imagens de vídeo mostram a tensão no local, na hora do atendimento da vítima. São ouvidos gritos de socorro e pode-se ver o tumulto na entrada da unidade hospitalar.

 

 

No boletim de ocorrência da PM, consta que todos os abordados e envolvidos estavam em visível estado de embriaguez, alterados, gritando e causando algazarra em todo setor de Emergência do Hospital. Esse pessoal foi dispersado do local, ficando apenas os familiares dos envolvidos.

 

 

 

De acordo com o relato de três enfermeiras que estavam no momento do ocorrido, “o pessoal já teria chegado chutando e quebrando a porta de vidro da entrada de emergência, quando então, duas enfermeiras conseguiram sair em meio a multidão,  foram agredidas pelas pessoas que ali estavam. Uma delas teve um hematoma na perna esquerda.”

 

 

 

Funcionários do hospital ainda informaram que no momento que conseguiram abrir a porta e entrar com a vítima para a sala de emergência, todos os envolvidos entraram para dentro do corredor gritando e chutando tudo que estava pela frente. Eles ainda ameaçavam a equipe de emergência dizendo para salvar a vida do rapaz atingido, ou eles morreriam também, segundo relatos feitos à Polícia.

 

 

 

 

Quando a equipe médica começou a realizar os procedimentos e já com os envolvidos identificados, as duas mulheres que se envolveram na agressão foram colocadas no compartimento de presos da viatura. Outros dois homens envolvidos no caso estavam com vários cortes nos braços, devido aos vidros quebrados, sendo atendidos pela equipe médica e realizado os procedimentos de sutura nos cortes. Neste momento um deles conseguiu fugir pelos fundos da Fundação Hospitalar.

 

 

 

 

A Polícia de Rio Negrinho ressalta que a Fundação Hospitalar de Rio Negrinho é uma fundação filantrópica sendo mantida com verbas públicas.

 

 

 

Diante dos fatos, foi dado voz de prisão aos três envolvidos, que foram encaminhados a Delegacia de Polícia de São Bento do Sul e entregues ao policial civil de plantão.

 

 

 

Evandro não resistiu aos ferimentos e faleceu no hospital.





Deixe seu comentário: