Igrejas evangélicas ganham protagonismo na disputa municipal em Canoinhas e região


Em Três Barras, o PSC lançou ao lado do PSL maior número de candidatos à Câmara

 

 

PROTAGONISMO

Em primeiro ato de campanha, Ivan Krauss, candidato a prefeito pelo PRTB, se reuniu com sua vice Professora Patrícia (Democracia Cristã) e um grupo de pessoas que fizeram uma oração. A imagem poderia passar batido não fosse o símbolo do quanto a religião terá papel de destaque nas eleições deste ano, e não só em Canoinhas. O Democracia Cristã completou os 15 nomes possíveis para a disputa à Câmara, enquanto o próprio PRTB conseguiu lançar nove nomes.

 

 

 

 

Em Três Barras todos os partidos tinham direito a lançar 17 candidatos. Somente o Partido Social Cristão (PSC) e o PSL alcançaram a meta. Partidos tradicionais como MDB e PSD não conseguiram completar a nominata. Bom lembrar que quanto mais candidatos, mais chances o partido tem de emplacar eleitos.

 

 

 

A presença de evangélicos que usam a religião como bandeira de campanha é o reflexo do protagonismo que líderes religiosos tiveram na eleição do presidente Jair Bolsonaro e seguem tendo no governo. Recentemente Bolsonaro, que seguidas vezes é visto em cultos evangélicos, disse que vai nomear um ministro “terrivelmente evangélico” para substituir Celso de Mello no Supremo Tribunal Federal (STF). Mello se aposenta nos próximos dias.

 

 

 

 

A boa recepção à pauta de costumes adotada por Bolsonaro, alinhada ao que prega a Igreja Evangélica, também é um fator que os candidatos tentam reproduzir nos municípios.

 

 

 

Esse protagonismo dos evangélicos reflete o que tentou se combater recentemente na Justiça: o uso de cultos como palanque político.

 

 

 

 

 

 

 

 

ESTEIRA

Em agosto, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, por maioria de votos, rejeitar a possibilidade de a apuração de abuso do poder por parte de autoridade religiosa ocorrer no âmbito das Ações de Investigação Judicial Eleitoral (Aijes) a partir das Eleições Municipais de 2020.

 

 

 

A tese foi proposta pelo ministro Edson Fachin, ao relatar recurso da vereadora de Luziânia (GO) Valdirene Tavares dos Santos contra cassação de mandato por suposto abuso de poder religioso nas Eleições de 2016. O TSE acolheu, por unanimidade, o recurso da vereadora, que teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO).

 

 

 

 

O Plenário considerou que o Ministério Público Eleitoral (MPE), autor da ação contra Valdirene, não apresentou provas robustas no caso para levar à cassação. O MPE acusou Valdirene de pedir votos durante um evento na catedral da Assembleia de Deus em Luziânia. A reunião com pastores de outras filiais foi convocada pelo pai da candidata, Sebastião Tavares, pastor e dirigente da igreja no município.

 

 

 

 

Após o juiz eleitoral condenar pai e filha, o TRE de Goiás absolveu Sebastião Tavares, mas manteve a punição contra a vereadora. A Corte Regional considerou ilícito eleitoral o discurso de cerca de três minutos feito por ela para cerca de 40 jovens no local religioso. Segundo o MPE, a candidata teria usado sua autoridade religiosa para influenciar os ouvintes, interferindo no direito constitucional da liberdade de voto.

 

 

 

 

 

 

 

ESTRATÉGIAS

Beto Passos (PSD) está usando suas redes sociais para faz campanha. Desde segunda-feira, 28, ele vem postando vídeos e banners nos quais expõe suas realizações e elenca promessas. “Levamos muito lazer e esporte para o canoinhense. Entregamos um ginásio novo para a comunidade em 2017 onde realizamos competições e oferecemos aulas para crianças e adolescentes. O espaço também pode ser solicitado para que você e seus amigos pratiquem atividade física”, postou apresentando uma das ações de seu governo.

 

 

 

Já Norma Pereira postou foto de Beto Faria (MDB) e Juliano Seleme (PSDB) apresentando-os como seus coordenadores de campanha. “Como você pode ver, estamos cercados de pessoas muito competentes, que trabalham com competência e muito carinho, pensando sempre no melhor para a nossa Canoinhas”, escreveu. Também postou vídeo se apresentando como candidata.

 

 

Ivan Krauss postou vídeo de seu diretor de marketing, Samuel, relembrando que o PRTB não  usará o fundo eleitoral e o fundo partidário na campanha e dando uma cutucada em Norma: “Não fomos nós que dissemos que temos um bom relacionamento com o prefeito”, em referência à entrevista concedida ao JMais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PECULIARIDADES

Entre os nomes, digamos assim, chamativos, para concorrer à prefeitura de Major Vieira, tem Nei Ganso, Clone, Polaco, Lutador e Zoio.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PÁ DE CAL

Só faltava uma operação da Polícia Federal para coroar a queda vertiginosa de Carlos Moisés (PSL). Agora não falta maia nada.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

QUEDA

O número de deputados federais e senadores que vão concorrer ao cargo de prefeito ou vice nas eleições municipais de novembro é o menor das últimas três décadas, reforçando uma trajetória descendente já observada na maioria dos últimos pleitos.

 

 

 

 

De acordo com dados da Câmara dos Deputados e do Senado, 69 deputados federais e 2 senadores, de um total de 594 congressistas, vão tentar trocar Brasília pelas administrações locais de seus redutos eleitorais.

 

 

 

Se considerados só os parlamentares no exercício do mandato (há oito licenciados ou na suplência), o número cai mais ainda, para 61 deputados e 2 senadores. A informação é da Folha de S.Paulo.





Deixe seu comentário: