Hospital Santa Cruz busca regularização de recursos do Estado

Derby Fontana em seu escritório no HSCC/Divulgação

Entre os assuntos abordados, a parceria nas Redes de Urgência e Emergência foi o principal assunto

 

 

HSCC

Na sexta-feira, 8, o diretor administrativo do Hospital Santa Cruz de Canoinhas (HSCC), Derby Fontana Neto, esteve em reunião com o superintendente de Administração e Gestão da Secretaria de Saúde do Estado, Vanderlei Vanderlino Vidal, acompanhado pelo diretor da Associação dos Hospitais do Estado de Santa Catarina (Ahesc), Braz Vieira, para tratar de assuntos relacionados com o Hospital.


 

 

Entre os assuntos abordados, a parceria nas Redes de Urgência e Emergência foi o principal assunto, pois o HSCC disponibiliza para o Estado, além de sete leitos de UTI para o SUS, a porta de entrada de Urgência e Emergência.

 

 

As pendências com a Secretaria de Saúde do Estado, que hoje perfaz R$ 856,3 mil também foram cobradas pelo diretor, que esclareceu ser uma das principais dificuldades enfrentadas pelo HSCC hoje.

 

 

Fontana, que também representou no ato a Federação das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas do Estado de Santa Catarina (Fehosc), falou também da importância do Plano Operativo que ainda não foi firmado com o Município de Canoinhas que, por ser Gestão Plena, tem de contratualizar primeiro com o município de Canoinhas, para enviar para o Estado assinar, firmando a chamada Contratualização.

 

 



Lembrou que dentro do Plano Operativo está o contrato das Redes de Urgência e Emergência, que quanto antes o município assinar, começará a receber as competências de 2019 em dia.

 

 

O superintendente deixou claro que as diretrizes do novo governo, e principalmente na Secretaria de Saúde, são pautadas por decisões técnicas, “pois saúde se trata com responsabilidade”.

 

 

Nesse governo, os hospitais serão vocacionados, sendo que a Secretaria já tem um estudo pronto, privilegiando aqueles que recebem menos que produzem (caso do HSCC) e reestruturando aqueles que recebem mais do que produzem.

 

 

O diretor da Ahesc, Braz Vieira, salientou que “os problemas dos hospitais filantrópicos como é o caso do Hscc, não é falta de gestão e sim falta de recursos. ”

 

 

LUTO

A morte de Ricardo Boechat é uma perda inenarrável em um país tão carente da inteligência que lhe era tão peculiar.

Deixe seu comentário: