Governo do Estado promete liberar pelo menos R$ 1 milhão para o Hospital Santa Cruz

Governador Carlos Moisés recepcionou dirigentes de hospitais filantrópicos e o deputado José Milton Scheffer, coordenador da Frente Parlamentar/Alesc

Governador promete liberar R$ 180 milhões para hospitais filantrópicos

 

 

FÔLEGO

O Hospital Santa Cruz de Canoinhas deve receber pelo menos R$ 1 milhão do fundo de R$ 180 milhões que será liberado pelo governador Carlos Moisés da Silva (PSL) na próxima semana. Esse valor é esperado há pelo menos um ano, mas como bem frisa o diretor administrativo do HSCC, Derby Fontana, merece ser comemorado. O dinheiro dará fôlego ao hospital, que segue no vermelho e não tinha perspectiva de receber esse montante.

 

Conforme disse o governador, na quarta-feira, 19, ele receberá os diretores dos hospitais filantrópicos novamente para oficializar o valor destinado e o critério a ser utilizado para que cada hospital receba sua parte dos recursos.

 

 

 

“Como amplamente divulgado, significa uma grande conquista que conseguimos junto com a AHESC/FEHOESC/FEHOSC, frente ao Governo do Estado não só para os hospitais filantrópicos mas, para toda a  população de Santa Catarina”, comemorou Fontana.

 

 

 

PELAS REDES

O diretor do Serviço Autônomo de Água e Saneamento (Samasa) de Três Barras, Ernani Wogeinaki, está prestes a descobrir quem espalhou, no mês passado, em grupos de WhatsApp, uma acusação de que ele teria assediado sexualmente uma secretária do Samasa. A coluna apurou que há uma queixa contra Wogeinaki que corre em segredo de Justiça, porém, sem nenhuma conclusão até o momento.

 

 

O vereador Ernani Wogeinaki Jr, filho do acusado, conta que a família rastreou por conta própria a origem do boato, perguntando para quem compartilhava as imagens de quem as teria recebido. Dessa forma, eles chegaram a 12 nomes. Todos estão sendo processados por calúnia, injúria e difamação. Eles ainda esperam que a Justiça permita a quebra de sigilo dos números dos telefones destas pessoas para se descobrir a origem das imagens.

 

 

O caso ilustra bem como quem pensa que pode espalhar ofensas e sair impune pode estar bem enganado. Quem compartilha mensagens caluniosas também pode ter dores de cabeça com a Justiça, como será o caso de 11 destas 12 pessoas processadas.

 

 

 

SOBRE A TECNOLOGIA

A comunicação instantânea do WhatsApp permite maravilhas, como no caso da profissão de jornalista, que consegue obter informações, fotos e vídeos em uma velocidade inimaginável 10 anos atrás. Porém, essa mesma facilidade de comunicação permite que os mal intencionados ajam apostando na impunidade. Nem sempre apostam certo.

 

 

 

CHICO MINEIRO

O vereador Chico Mineiro (PL) promete usar a tribuna da Câmara de Vereadores de Canoinhas na segunda-feira, 17, para se defender da acusação de furto, disseminada indiscriminadamente pelo WhatsApp como um rastilho de pólvora na terça-feira, 11. O presidente da Câmara, Célio Galeski (PL) não quis se pronunciar sobre o assunto.

 

 

 

 

APOIO

Chico está bastante abatido. Por tudo que está passando por causa da acusação, diz estar valorizando ainda mais os amigos verdadeiros, entre eles, faz questão de frisar, o prefeito Beto Passos (PSD).

 

 

 

MELHOR ASSIM

O estranhamento que por ventura possa ter ocorrido entre Beto Passos e seu vice, Renato Pike (PL), de fato se dissipou, não somente pelo fato de Passos ser sempre pela conciliação. Ele sabe o quanto Pike contribui para a estabilidade de seu governo, afinal o PL, que Pike criou em Canoinhas, tem quatro vereadores na Câmara. São figuras valiosas para Passos manter a governabilidade, com uma Câmara simpática, na sua maioria, a sua gestão.

 

 

 

DILEMA

O PSL canoinhense já se tocou do drama que vai viver em 2020. Crítico do governo Beto Passos, o partido quer lançar um nome para tirá-lo da prefeitura. Sabe, contudo, que o MDB vai lançar Leoberto Weinert ou Beto Faria para a disputa. Como vê no MDB o que há de mais arcaico na política, nem cogita apoiá-lo. No entanto, o PSL sabe também que uma campanha com três candidatos favorece o que pleiteia a reeleição.

 

 

 

ESCRITÓRIO DA PAULINHA

Foto: Biluka

A deputado estadual Ana Paula da Silva, a Paulinha (PDT) inaugurou nesta sexta-feira, 14, seu escritório regional em Mafra. Antes ela esteve em Canoinhas e Bela Vista do Toldo. Em Canoinhas reuniu uma claque curiosa. Os vereadores Norma Pereira (PSDB) e Paulinho Basilio (MDB) prestigiaram a deputada, que concedeu entrevista no escritório de Norma.

 

 

 

GUERRA DE INTERPRETAÇÕES

A lei é clara sobre o comportamento de juízes em relação a qualquer processo que analisem. A isenção tem de ser absoluta a fim de garantir o julgamento justo. Sendo assim, não dá para afirmar que as mensagens trocadas entre o então juiz Sérgio Moro com os procuradores da Lava Jato encontram eco na legislação. Agora, a interpretação dessa informação depende de que lado do espectro político se está. Bolsonaristas alarmam que os fins justificam os meios, afinal a Lava Jato vem moralizando a política no Brasil. Já os lulistas veem nas mensagens a chance de livrar o ex-presidente da cadeia. Nessa guerra de versões, o bom senso fica no final da fila.

 

 

 

 

A CULPA É DA IMPRENSA

Clóvis Rossi/Arquivo

Perdemos ontem uma referência do jornalismo brasileiro, o insubstituível Clóvis Rossi. Entre as tantas lições que Rossi dava, em 2015 ele falou sobre o grande mal da atualidade: as ideologias. “Quem nasceu primeiro: o ovo ou a galinha? A mesma pergunta metafísica pode ser feita sobre os esquerdistas bolivarianos: o que vem antes, sua patologia ou a ideologia?”

 

 

 

Lembro dessa frase para comentar o  quanto a imprensa, que Rossi defendeu por tantas vezes, acaba virando pião na mão de quem se cega para tudo que não referenda sua ideologia.

 

 

 

As estripulias de Fernando Collor de Mello foram capa da Veja, com a célebre entrevista de seu irmão, Pedro. O mensalão do PT foi denunciada em matéria de capa da Folha de S. Paulo na não menos célebre entrevista com Roberto Jefferson. O escândalo de Pasadena envolvendo Dilma foi denunciado pelo O Estado de S.Paulo. Os áudios de Joesley Batista afundando Michel Temer na lama foram trazidos à tona pelo O Globo.

 

 

 

 

Agora, porque estes mesmos veículos fazem cobertura crítica do governo Bolsonaro, viraram todos esquerdistas lulistas. Ou é má fé, ou os bolsonaristas só passaram a ler jornal em janeiro deste ano.




Deixe seu comentário: