Governo do Estado faz oferta de R$ 6,9 milhões pelo Colégio Sagrado Coração de Jesus

Sagrado Coração de Jesus/Arquivo

Irmãs franciscanas pedem R$ 9 milhões pelo imóvel

 

 

SAGRADO – NOVO CAPÍTULO

Assunto que se arrasta há anos, a compra do prédio do Colégio Sagrado Coração de Jesus voltou à pauta. O negócio já estava praticamente fechado em 2015, quando o Governo do Estado e a Ordem das Irmãs Franciscanas no Brasil disseram ter finalizado a longa negociação iniciada dois anos antes para a compra do prédio. 


 

 

 

Em negociação iniciada em maio de 2014, as irmãs pediam R$ 13 milhões pelo prédio. O Governo, por sua vez, oferecia R$ 6 milhões. Depois de mais de um ano de negociações, as irmãs cederam e o prédio deveria, de fato, ser vendido por R$ 6,9 milhões em pagamento à vista. 

 

 

 

Por questões não esclarecidas, o negócio não foi concretizado. A falta de dinheiro no caixa do governo no apagar das luzes da gestão passada contribuiu para o assunto ter sido esquecido.

 

 

 

Agora, o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) retoma o assunto. Segundo o coordenador regional de Educação, Ethel Jacomel, o assunto foi retomado do patamar em que estava em 2015. O Governo está disposto a pagar os R$ 6,9 milhões para a Ordem das Irmãs Franciscanas. Elas, porém, pedem agora R$ 9 milhões. Hoje, o Governo paga aluguel às irmãs.

 

 

 

 

 

 

 

FORA

Em entrevista ao programa Fala Cidade, da 98FM, o coordenador regional de Educação, Ethel Jacomel, ao responder a quem diz que seu cargo foi acomodação política disse que não tem nenhuma intenção de disputar as eleições do ano que vem. Ele, inclusive, já avisou o governador Carlos Moisés (PSL).

 

 

 

Até aqui Jacomel era o nome mais eminente dentro do partido, com potencial para ser o candidato a prefeito de Canoinhas no ano que vem. “Temos vários nomes”, afirmou. Exemplos? Preferiu não comentar.

 

 

 

 

 

 

 

 

OLHA O BONDE

O PSL precisa começar a articular o nome que vai representá-lo na eleição municipal. Se valer as regras que valeram até aqui para uma eleição municipal, exposição é tudo. Porém, se valerem as regras das eleições do ano passado, que pode ser a aposta do PSL, será preciso esquecer o que se sabe sobre eleição municipal.

 

 

 

 

 

 

 

 

ARQUITETO

Os vereadores de Canoinhas aprovaram nesta segunda-feira, 19, criação de cargo de arquiteto para a estrutura do Executivo municipal. 

 

 

 

 

 

 

 

TRABALHO INFANTIL

Gil Baiano (PL) voltou à Câmara bastante falante. Fez um relato de seu desempenho na Secretaria de Obras, que tocou desde o começo do governo Passos. Ao comentar sobre a presença de menores trabalhando com carroças de coleta de recicláveis, disse que menores de idade deveriam trabalhar, “trabalho de educação”, disse sem especificar o que seria isso. Lembrou que ele mesmo trabalha desde os 7 anos e “estou bem fortinho”.

 

 

 

No Brasil, trabalho infantil, ainda, é crime.



 

 

 

 

 

 

 

 

“O senhor será o mais votado de novo por todo o trabalho que fez”

do vereador Célio Galeski (PL), jogando confete no colega de partido que voltou à Câmara nesta segunda

 

 

 

 

 

 

 

 

AVALIAÇÃO

De fato Gil Baiano conseguiu uma façanha ao deixar a Secretaria de Obras com o nome em alta, o que não me recordo de ter acontecido com nenhum outro secretário da pasta. Via de regra, os secretários de Obras caem por ineficiência e críticas que vão desde chicoteamento público a detonação nas redes sociais. 

 

 

 

Baiano parece ciente do capital político que catalisou. Como está no PL, pode ser um nome a se considerar na disputa majoritária do ano que vem. Se Renato Pike abrir mão, seria um vice que parece agradar a Beto Passos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

HOMESCHOOLING

O deputado Bruno Souza (sem partido) pretende estimular a criação de uma legislação nacional sobre Educação Familiar. A ideia ganhou força e aliados durante a audiência pública sobre o assunto na semana passada, onde o parlamentar propôs a criação de uma frente parlamentar na Assembleia Legislativa e apresentar moção de apoio na Câmara Federal e buscar apoio da bancada catarinense em Brasília.

 

 

 

O objetivo é mobilizar a sociedade pela aprovação de uma legislação que regulamente o homeschooling.  “A Assembleia não vai virar as costas para essas famílias. Não podemos mais permitir que estes pais sejam perseguidos”, afirmou para um auditório lotado de famílias catarinenses que aplicam em suas casas esta forma de educar seus filhos.

 

 

 

 

Na assembleia, tramita um projeto de lei complementar do parlamentar que regulamenta essa prática de ensino em Santa Catarina que está sob análise da Comissão de Constituição e Justiça. A audiência pública foi realizada pela Comissão de Educação, Cultura e Desporto da Alesc, no Auditório Antonieta de Barros. O Supremo Tribunal Federal (STF) não considerou a iniciativa inconstitucional. Apenas determinou a necessidade de lei para sua regulamentação.

 

 

 

 

 

 

SEGURANÇA PÚBLICA

 O presidente da Câmara de Vereadores de Três Barras, Fabiano Mendes, o Bano (PSD), pediu verbalmente que o prédio que era utilizado pela Intendência do distrito do São Cristóvão, seja destinado às instalações de Segurança Pública. Ele alertou que atualmente a estrutura está sem uso e que poderia melhorar o atendimento a população.

 

 

 

De acordo com o vereador, no local pode ser instalado um posto da Polícia Militar, concentrar a estrutura do Conselho Tutelar e ainda abrigar uma base para a Polícia Militar Ambiental.

 

 

 

Para o vereador uma nova estrutura bem organizada pode melhorar o atendimento ao cidadão e garantir mais segurança tanto para o distrito de São Cristóvão, como para todo o município de Três Barras.




Deixe seu comentário: