Governo do Estado anuncia plano para a educação, mas não detalha investimento por escola


Moisés durante o anúncio do programa/ Julio Cavalheiro / Secom

Estado diz que vai investir R$ 1,2 bilhão a partir do segundo semestre deste ano

 

 

PLANO INCOMPLETO

Anunciado na semana passada com toda a pompa e circunstância pelo governador Carlos Moisés da Silva (PSL), o programa Minha Nova Escola pretende melhorar a qualidade do ensino, tornar a sala de aula mais atrativa para alunos e professores e reforçar a infraestrutura da rede estadual.  Para tentar alcançar esses propósitos, o Governo do Estado diz que vai investir R$ 1,2 bilhão a partir do segundo semestre deste ano. As 1.071 escolas da rede estadual serão contempladas com alguma melhoria.

 

 

O estranho é que nem mesmo a própria Secretaria sabe que tipo de melhoria será realizada em cada escola. Diretores de escolas ouvidos pela coluna desconhecem o programa e só ouviram falar por alto nas notícias veiculadas pela assessoria do governador.

 

 

 

A coluna mandou questionamentos para os contatos diretos dos assessores do governo Moisés e da Secretaria de Educação. Por parte da assessoria do governo, eles ainda não tem essa informação e passam a bola para a assessoria da Secretaria de Educação que, por sua vez, simplesmente não responde ao questionamento.

 

 

 

Diante da falta de uma informação fundamental para entender o que o governo quer fazer, um programa que parece ter um potencial bastante positivo parece, a princípio, não passar de uma boa peça de marketing de governo.

 

 

 

 

 

 

FONTE

Falando em Educação, o secretário estadual Natalino Uggioni disse em entrevista ao Diário Catarinense que o governo Moisés corrigiu uma distorção no orçamento da pasta. “O Estado investia de 27% a 28% da receita, mas isso incluía pagamento de servidores inativos. Temos 18 mil professores ativos e 30 mil inativos. Agora o Estado paga os inativos com recursos do Tesouro, o que foi cobrança do Tribunal de Contas (TCE)”, explicou.

 

 

 

 

 

R$ 4,8 bilhões

é o orçamento anual da Secretaria de Educação de SC

 

 

 

 

 

 

REAJUSTE

A Celesc vai reajustar as contas de energia elétrica. A Aneel vai anunciar o percentual no próximo dia 13 de agosto e os novos preços passam a valer no dia 22.

 

 

 

 

 

 

CASAN

A tarifa da Casan também será reajustada. Deve entrar em vigor provavelmente em setembro. A boa notícia é que parte dos consumidores vai pagar menos. Serão consideradas a variação dos custos dos últimos 12 meses, a revisão tarifária a cada cinco anos e a decisão do STF sobre não cobrar o que não é consumido. Por isso as empresas não poderão mais cobrar 10 metros cúbicos por mês se o consumo for menor. Hoje, 64% dos consumidores de SC pagam tarifa mínima de R$ 44 por mês. Esse valor deve diminuir já que será cobrado R$ 2,10 por cada metro cúbico de água. Quem usar mais, paga mais e vice-versa.

 

 

 

 

 

15%

 é a média sobre o total de mulheres deputadas nas Assembleias Legislativas pelo País 

 

 

 

 

 

 

BEM AVALIADOS

Pesquisa nacional com participação de 4 mil empresários da indústria aponta que Senai e Sesi são as instituições que melhor contribuem para a qualificação profissional de seus empregados.

 

 

Numa escala de 0 a 10, o Senai recebeu nota 7,0 e o Sesi, nota 6,3. 

 

 

Fundadas há 77 anos, as duas instituições estão na mira do governo Bolsonaro. Ministro da Economia, Paulo Guedes já disse que tem de “passar a faca” no sistema S, que financia as duas instituições.

 

 

 

 

 

 

PROJETOS

Governos de 17 Estados estudam privatizar até fábrica de camisinhas que está sob o guarda-chuvas estatal. Entre estes governos, Santa Catarina pretende conceder o aeroporto de Chapecó e o centro de eventos de Camboriú. Prevê, ainda, o encerramento de ao menos quatro estatais.

 

 

 

 

 

 

DADOS

Impressionante informação repassada pelo colunista de O Globo, Lauro Jardim. Até maio o Senado já havia negado 27 dos 505 pedidos de informações feitas com base na Lei de Acesso à Informação (LAI). Um salto gigantesco em comparação a 2018, quando 28 pedidos foram negados ao longo do ano. A maioria dos pedidos negados se refere a informações sobre gastos dos nobres senadores.

 

 

 

 

 

 

NAVEGAÇÃO RASTREADA

Uma pesquisa divulgada pelas Universidades Carnegie Mellon e da Pensilvânia mostra que 30% do tráfego de dados na internet estão relacionados a conteúdo pornográfico. Somente o Pornhub, o maior site do gênero, recebeu 33,5 bilhões de visitas no ano passado ou, 92 milhões de acessos por dia, 210 horas de vídeo exibidos por segundo.

 

 

 

O mais preocupante é que 93% desses sites de conteúdo gratuito entregam os dados dos internautas para anunciantes. E não adianta navegação anônima. Portanto, cuidado com os anúncios que pulam na sua tela. 

 





Deixe seu comentário: