quinta-feira, 16

de

setembro

de

2021

ACESSE NO 

Governador se reúne com representantes do setor de eventos de SC

Últimas Notícias

- Ads -

No Estado, o segmento conta com 3.951 empresas e 5.327 empregos diretos, conforme dados de 2019

 

 

Os desafios e alternativas para auxiliar o setor de eventos de Santa Catarina diante da pandemia do novo coronavírus foram abordados em webconferência nesta quarta-feira, 16, entre o governador Carlos Moisés, representantes da Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape), secretários e outras autoridades.  Em Santa Catarina, o segmento conta com 3.951 empresas e 5.327 empregos diretos, conforme dados de 2019.

 

 

 

Dentre as demandas do setor estão a ampliação e adequação de linhas de crédito adaptadas à realidade do mercado, programa de incentivo à cultura e isenções de taxas para garantir a sobrevivência das empresas. Por sugestão do governador Carlos Moisés, um grupo de trabalho com equipes do Governo, Alesc e do trade de eventos será criado para acompanhar o andamento de ações para atender as necessidades do setor.

 

 

 

No encontro virtual, o governador reconheceu a importância do segmento e de manter o diálogo, além de reforçar o compromisso do Governo do Estado em auxiliar o setor. Carlos Moisés destacou ainda que o Executivo, mesmo antes da pandemia, já vinha trabalhando em medidas como a Lei de Incentivo à Cultura, a elaboração da Lei de Patrocínio e em outras frentes para o desenvolvimento da área de eventos e turismo.

 

 

 

“O nosso compromisso é avançar no que podemos melhorar e ser resolutivo para restabelecer o mais breve possível as condições de trabalho. Nosso esforço é para que todos os setores se desenvolvam, mesmo em um período de tantos desafios”, disse o governador.

 

 

 

O presidente da Abrape nacional, Doreni Caramori, pontuou que o desejo do setor não era estar discutindo a sobrevivência das empresas, e sim o retorno ao trabalho. “As condições não permitem voltarmos neste momento. A nossa vontade de trabalhar é muito grande, estamos parados há 12 meses. O que pedimos é a sensibilidade para a sobrevivência do segmento. O desafio é manter as empresas vivas para quando pudermos voltar a trabalhar estarmos preparados”,  relatou. Ele ainda enalteceu a vanguarda de Santa Catarina com a permissão, mesmo parcial, de algumas atividades ligadas ao setor nos meses que foi possível.

 

 

 

O secretário da Fazenda, Paulo Eli, destacou os programas do governo para apoio às empresas em linhas de créditos com Badesc e BRDE, além do Juro Zero.

 

 

 

“Hoje avançamos em algumas demandas que beneficiarão o setor. Sabemos das necessidades que enfrentam e da cadeia de trabalho que está por trás de todo o segmento. Vamos, em conjunto, buscar soluções e ajudar esse setor que é responsável por mais de cinco mil empregos diretos em Santa Catarina e por mais de R$ 4,5% do PIB do país”, salientou o presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, Mauro de Nadal, que também participou do encontro.

 

 

 

Entre os participantes da reunião também estavam o subchefe da Casa Civil, Juliano Chiodelli, presidente da Santur, Leandro Mané Ferrari, secretário da Saúde, André Motta Ribeiro, senador Dário Berger, presidente da Abrape SC, Eveline Orth, presidente da Federação dos Convention & Visitors Bureau de Santa Catarina e representante do Conselho Estadual de Turismo no setor de eventos, Marco Aurélio Floriani, e representantes do setor de eventos de várias regiões do Estado.