Funcionários da ala covid-19 do HSCC afirmam que não faltam EPIs e não há sobrecarga de trabalho


Arquivo

As fontes ouvidas pela coluna rebateram reclamações de colegas enviadas à coluna

 

 

 

CONTROVERSO

A coluna procurou ao longo da semana três pessoas que trabalham na ala covid-19 do Hospital Santa Cruz de Canoinhas (HSCC) para confirmar a veracidade de informações prestadas por outros funcionários da ala covid-19 em email publicado na coluna de quarta, afirmando que faltam EPIs e há sobrecarga de trabalho na unidade.

 

 

 

“Temos casos de funcionários que ficam de 6 a 12 horas sem beber água e ir ao banheiro pra não descartar as roupas e EPIs. Então por que alguns colaboradores do município vão receber gratificação e de fato, quem está na linha de frente do combate, não vai receber nada?”, questionam reclamando, sobretudo, sobre o fato de os funcionários que trabalham na triagem de pacientes, que são servidores públicos municipais, receberem 30% de bônus salarial, e eles, funcionários do HSCC que trabalham efetivamente no internamento e cuidado dos pacientes, não receberem o adicional.

 

 

 

 

Segundo as fontes ouvidas pela coluna (nenhum quis se identificar), não faltam EPIs, ninguém é obrigado a segurar as necessidades para não precisar trocar de roupa e ninguém trabalha por 12 horas seguidas. Os EPIs são repostos constantemente, explicam. Sobre o horário, há três equipes que alternam horário das 6 às 13h, das 13 às 19h e outra equipe das 19h às 6h. As equipes que trabalham sete horas durante o dia têm tempo de intervalo de 45 minutos para café. Já a equipe da noite/madrugada tem intervalo de três horas para descanso. Os funcionários se revezam para sempre ter um pronto a atender os pacientes que hoje são dois e até agora, desde que a ala foi aberta, não passou de três.

 

 

 

 

 

 

 

EXPLICAÇÃO

Na coletiva desta sexta-feira, 5, o prefeito Beto Passos (PSD) ressaltou a diferença entre os servidores públicos municipais que trabalham na porta de entrada da ala covid e os funcionários do HSCC. “Não tem como conceder bônus para funcionários que não estão no quadro de servidores públicos municipais, mas sim, do Hospital Santa Cruz. Obviamente que são instituições diferentes”, alegou.

 

 

 

 

 

 

 

 

BÔNUS DA DISCÓRDIA

O bônus concedido pelo prefeito Passos se revelou infame para ele. Quis prestigiar os servidores, aumentou os gastos, agradou uma meia dúzia e desagradou, além da maioria dos servidores públicos, funcionários do HSCC.

 

 

 

 

 

 

 

 

SEM NOVIDADES NO FRONT

Embora o Brasil se prepare para ir às ruas neste domingo, 7, para frustração de alguns não há notícias de manifestações em Canoinhas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LATICÍNIO

Em postagem no Facebook com esta foto replicada acima, o vereador Paulinho Basilio (MDB) parabenizou os produtores de leite que terão em Canoinhas um Laticínio, confirmado no começo da semana pelo prefeito Beto Passos (PSD), acrescentando um porém. “Temos também de parabenizar aqueles, que as vezes acabam esquecidos, mas que verdadeiramente trabalharam para chegarmos ao dia de hoje, ao anúncio da construção de uma Indústria em nosso município.”

 

 

 

Basilio se refere ao ex-prefeito Leoberto Weinert (MDB) que, segundo o vereador, em 2009 enquanto era presidente da Amplanorte e prefeito de Canoinhas, solicitou um estudo para a Epagri de uma alternativa de produção agrícola para a região. “Após essa pesquisa regional se chegou ao resultado que a produção de leite seria uma alternativa viável para o Planalto Norte, esse foi o pontapé do que seria no futuro o Programa Planalto Leite.”

 

 

 

 

 


Basilio deu os parabéns, também, ao ex-prefeito Beto Faria (MDB), “que trabalhou ativamente para a fundação do Programa Planalto Leite, lá em 2014, em uma ação conjunta com toda a região, entidades, prefeituras, e claro a equipe técnica da Epagri, que na época era comandada pelo amigo Donato Noemberg (MDB).”

 

 

 


O primeiro debate sobre a construção de um Laticínio aconteceu em 2016 com o grupo executivo do programa, que também tinha a participação de Beto Faria. Foi nessa reunião que se optou pela contratação de uma consultoria para um estudo de viabilidade para a implantação da agroindústria de beneficiamento do leite produzido na região. Foi desse estudo de 2016 que se chegou à conclusão de que seria viável a construção. “Claro que tenho aqui que deixar o agradecimento ao atual executivo municipal que deu continuidade a esse projeto iniciado lá atrás. É importante comemoramos, mas é mais importante contarmos toda a história para chegarmos ao dia de hoje”, postou Basilio.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SÃO CAMILO

A Prefeitura de Canoinhas concluiu processo administrativo contra a Sociedade São Camilo, que administra hospitais. A Sociedade teria se recusado a internar dois pacientes no HJ, hospital psiquiátrico de União da Vitória, mesmo diante de determinação judicial, com a justificativa de que não havia leitos disponíveis.

 

 

 

 

A empresa alegou que em nenhum momento negou atendimento aos pacientes encaminhados por Canoinhas, e sim, informou a impossibilidade do acolhimento
diante da falta de leitos no momento do pedido. Disse que inexiste qualquer obrigação contratual entre as partes que obrigue a Sociedade a disponibilizar oito leitos para internamento disponíveis à Canoinhas. “Portanto, não houve negativa ou falha na prestação de serviço, e sim a impossibilidade de fazê-lo, diante da ocupação total dos leitos”, afirma a Sociedade.

 

 

 

O Município acatou a justificativa e arquivou o processo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MAJOR VIEIRA

O prefeito Orildo Severgnini (MDB) publicou decreto deixando claro que “os servidores municipais, vinculados a Secretária de Saúde do Município de Major Vieira, não terão nenhum tipo de redução salarial.” No mês passado a redução salarial de admitidos em caráter temporário da Educação causou atrito entre a classe do magistério e o prefeito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA

Prefeito Orildo Severgnini (MDB) decretou situação de emergência em Major Vieira por causa da estiagem. “A estiagem prolongada tem ocasionado drástica redução do volume de água dos rios, córregos, mananciais, poços artesianos e escavados do Município de Major Vieira, sendo que muitos já se encontram sem água”, justifica no decreto publicado no começa da semana. Canoinhas também decretou situação de emergência no mês passado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

AMPLIAÇÃO

O Município de Canoinhas abriu processo licitatório para ampliar o Centro de Educação Infantil Monteiro Lobato. O investimento deve girar em torno de R$ 80 mil.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

13º

Prefeito Beto Passos (PSD) anunciou ontem que vai antecipar metade do 13º salário do funcionalismo público para quarta-feira, 10. “Fizemos uma reserva de contingência, prevendo o 13º.  Todos os meses nós da Secretaria de Administração fazemos a reserva desse recurso para garantir ao servidor o pagamento. Esse dinheiro não fará falta para outras despesas por ser um gasto previsto”, disse o secretário de Administração, Diogo Seidel, em live na noite desta sexta, 5.

 





Deixe seu comentário: