Federação de Municípios quer garantir Coronavac para cidades catarinenses


Presidente da Fecam, Paulo Weiss/Divulgação

Protocolo coloca as prefeituras catarinenses na previsibilidade de comprar as doses do imunizante

 

 

 

O presidente da Federação Catarinense de Municípios (Fecam), Paulo Roberto Weiss, deve ir a São Paulo nos próximos dias para assinar um protocolo de intenções com o Instituto Butantan que credencia os municípios catarinenses ao acesso à vacina Coronavac. Nas duas últimas semanas a Federação Catarinense e o governo paulista mantém tratativas para o acordo, faltando agora a assinatura entre as partes.

 

 

 

A Fecam quer garantir que o Estado de SP faça a previsão de fornecer a vacina a Santa Catarina após a aprovação de uso pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e que os municípios e os consórcios públicos possam adquirir e iniciar a imunização. A Fecam reforça que o protocolo coloca as prefeituras catarinenses na previsibilidade de, quando a vacina estiver disponível no Brasil, possam comprar as doses do imunizante.

 

 

 

Para o presidente da Fecam, é importante agilizar o acesso a vacina, imunizar as pessoas o quanto antes e a conviver com o vírus com mais segurança. Para isso, destaca que é preciso da parceria e do envolvimento do Governo do Estado na manifestação de interesse pela vacina. “Temos uma série de setores que precisam voltar as atividades, ativando a economia, além de um ano letivo em 2021 que é necessário para que as crianças e os estudantes voltem as salas de aula e ao convívio social”, destaca Weiss.

 

 

 

A Coronavac está sendo desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria do Instituto Butantan/SP. A vacina está em sua fase III de desenvolvimento no país, que é a última etapa de estudo antes da obtenção do registro sanitário e a disponibilização para a população.

 

 

 

SITUAÇÃO NO ESTADO

Há, em Santa Catarina, 326.208 pacientes com confirmação de infecção pelo novo coronavírus. Desses, 296.167 são considerados recuperados e 26.570 continuam em acompanhamento. O número foi divulgado neste domingo, 22. Desde o início da pandemia, 3.471 óbitos foram causados pela covid-19. Esses números colocam a taxa de letalidade em 1,06%.

 

 

 
Há casos confirmados em todos os 295 municípios catarinenses, e há 238 com pelo menos um óbito. O Governo do Estado estima que haja 271 com casos ativos. A maior quantidade de pacientes que já confirmaram infecção está em Florianópolis, com 29.002 casos. Na sequência, aparecem Joinville (28.224), Blumenau (18.746), São José (15.873), Palhoça (11.165), Criciúma (10.792), Balneário Camboriú (10.757), Itajaí (10.433), Chapecó (9.418) e Brusque (8.167).

 

 

 

A taxa de ocupação dos leitos de UTI pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Santa Catarina é de 80,9%. Isso significa que, dos 1.416 leitos existentes no estado, 271 estão vagos e 1.145 estão ocupados, sendo 469 por pacientes com confirmação ou suspeita de infecção por coronavírus.





Deixe seu comentário: