Falta de sedativos no mercado pode comprometer tratamento da covid-19 no HSCC


Midazolam é exemplo de sedativo/Arquivo

Perspectiva é de medicamento disponível se esgote em cinco dias

MAIS UM PROBLEMA

Com número inicialmente satisfatório de respiradores, o Hospital Santa Cruz de Canoinhas (HSCC) enfrenta outro problema no combate ao coronavírus. A questão é nacional, mas vai atacar em cheio hospitais do interior nesse momento em que o vírus avança a passos largos para as cidades menores. Não há disponível nas empresas farmacêuticas do Brasil, medicações sedativas e relaxante muscular como Tracur, Fentanil, Quelicin e Midazolam.

 

 

 

Quando localizada a medicação disponível em alguma empresa (fato raríssimo nesse momento), o preço bate no teto. Nunca menos que o dobro do normal.

 

 

 

Sem sedativo e relaxante, não há nenhuma maneira de entubar pacientes, ou seja, se o HSCC não conseguir comprar o medicamento, não é possível entubar pacientes, consequentemente, sem a medicação, não é possível internar pacientes graves em nenhuma das UTIs, pois do contrário vai se estar colocando os pacientes em risco de morte.

 

 

A quantidade de Tracur disponível hoje no HSCC irá suprir a necessidade para cinco dias. A compra via Cisamurc não foi realizada por falta do produto no mercado. Como comparativo, somente uma paciente com covid internada há 13 dias, precisou de 270 ampolas de Tracur (custo de R$ 5 mil pagos pelo HSCC).

 

 

 

Antes a ampola da Tracur custava R$ 8. Hoje, a única empresa encontrada com o medicamento disponível está vendendo a R$ 97 a ampola.

 

 

 

 

Por enquanto, há três pacientes internados com covid-19 no HSCC. Os 122 casos confirmados em Canoinhas e Três Barras são, na maioria, assintomáticos. Porém, com o avanço de casos identificados, não é nenhuma surpresa imaginar que em breve teremos casos graves sendo internados.

 

 

 

 

 

 

TRÊS BARRAS

A secretária de Saúde de Três Barras, Raquel Cunher Vieira, admitiu nesta quarta em entrevista ao programa Fala Cidade, da 98FM, que o Município pode restringir a circulação de pessoas com medidas mais rigorosas que as determinadas pelo Estado. Na próxima semana começa a testagem de 500 a 600 pessoas por semana, até chegar ao número de 5 mil testados.

 

 

 

 

 

 

 

TOMA QUE O FILHO É TEU

O ex-secretário de Obras, Nilson Cochask (PSD), confirmou ontem à coluna que foi ele quem denunciou à Polícia o sumiço de uma peça da Secretaria. Ele voltou a afirmar que o desaparecimento ocorreu durante a gestão de Gil Baiano (PL), justamente quem trouxe o assunto à tona, em tom de denúncia, em sessão da Câmara de Vereadores.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ESGOTO

Deputado Marcius Machado (PL)

Projeto de lei que fixa a tarifas de esgoto sanitário em 70% sobre o consumo de águas tratadas, está na comissão de Economia, Ciência, Tecnologia, Minas e Energia e caso seja aprovado, será encaminhado ao Plenário. O deputado Marcius Machado (PL) é autor do projeto, que tem como justificativa o descontentamento geral da sociedade de Santa Catarina com os valores das tarifas de esgoto cobrados pela Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), que atualmente chegam a 100%.

 

 

 

 

 

 

ELEIÇÃO

Proposta pela Federação Catarinense de Municípios (Fecam) acontece nesta sexta-feira, 29, às 18 horas, por webconferência, a reunião com prefeitos e com o Fórum Parlamentar Catarinense sobre as eleições municipais em 2020.

O objetivo é ouvir dos deputados federais e dos senadores quais são as posições sobre o tema e os encaminhamentos da bancada catarinense em Brasília.

 

 

 

 

 

A proposta defendida pela Federação é pela unificação dos mandatos políticos, com a realização de eleição geral em 2022. Nesta semana, a Fecam junto com a Confederação Nacional de Municípios (CNM) divulgou uma carta apontando os motivos que justificam a não realização das eleições municipais neste ano e a defesa pela unificação dos mandatos com a realização de eleição geral em 2022.

 

 

 

 

 

PARCERIA

Vereadora Norma Pereira/Reprodução

A vereadora Norma Pereira (PSDB) apresentou um requerimento na sessão desta terça-feira, 26, direcionado ao prefeito Beto Passos (PSD), e a diversos secretários do município, sugerindo a implantação do Projeto Oásis. Realizada pela Fundação Grupo O Boticário, o projeto, que é pioneiro no Brasil, tem como escopo premiar financeiramente proprietários de terras que historicamente conservam suas áreas naturais e mananciais. Isso se dá utilizando a ferramenta de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA).

 

 

 

 

 

 

É LEI

O Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira, 26, trouxe a sanção a dois projetos de lei (PLs) de autoria parlamentar, aprovadas no fim de abril pela Assembleia Legislativa. Na mesma edição do DOE, o Executivo publicou o veto total ao projeto que concede isenção nas tarifas de água e energia elétrica a hospitais e clínicas de hemodiálise durante a pandemia da Covid-19.

 

 

 

 

 

 

DESCULPAS

Uma primeira versão desta coluna, com uma foto equivocada, ficou no ar por alguns minutos na manhã desta quinta-feira, 28. Aos internautas que a acessaram, nossas sinceras desculpas.





Deixe seu comentário: