domingo, 19

de

setembro

de

2021

ACESSE NO 

Falta de kits intubação em hospitais, Bolsonaro assina MPs para nova rodada de auxílio e renúncia do presidente do BB

Últimas Notícias

- Ads -

Sexta-feira, 19 de março de 2021

 

 

O Globo

 

 

Manchete: Lotadas, UTIs caminham para apagão de insumos

Em 18 estados, drogas do ‘kit entubação’ devem se esgotar em poucos dias

Em meio à lentidão para ampliar o número de vacinados contra a covid-19, o drama de milhares de brasileiros que não conseguem um leito está prestes a se replicar também entre os tratados nas UTIs. A reprodução da agonia do “sufocamento seco” ocorrida em Manaus é um risco nos 18 estados onde há escassez de medicamentos usados na intubação de pacientes, com previsão de esgotamento nos próximos 20 dias. Ao menos 116 cidades têm falta de oxigênio. A morte do primeiro doente em fila de UTI em São Paulo – Renan Medeiros, de 22 anos – levou a prefeitura a decretar feriadão de dez dias, na tentativa de conter o vírus. PÁGINAS 8 E 9.

 

 

  • Bolsonaro vai ao STF contra medidas de isolamento
  • MP do auxílio não descarta nova prorrogação do benefício
  • Datafolha: 92% afirmam usar máscaras
  • Obituário: Major Olimpio, o 3.º senador vítima da Covid
  • Desgastado, presidente do BB se demite
  • No Rio, Paes decreta fechamento das praias
  • Biden cobra do Brasil maior compromisso com meio ambiente
  • Polícias na política: a ofensiva contra críticos de Bolsonaro

 

 


 

 

Folha de S. Paulo

 

 

Manchete: 79% veem pandemia fora de controle

Em meio a colapso na saúde, índice atinge nível recorde, aponta Datafolha; medo de contrair vírus salta de 44% para 55%

No momento em que o sistema de saúde entra em colapso com o avanço da Covid-19, a percepção de que a pandemia está descontrolada e o medo de ser infectado atingem níveis recordes.

Pesquisa Datafolha, feita por telefone com 2.023 pessoas nos dias 15 e 16, mostra que 79% enxergam a situação fora de controle – em janeiro, eram 62%. A margem de erro é de dois pontos.

A impressão de que não se consegue conter a doença é maior entre os que reprovam Jair Bolsonaro (94%), entre mulheres (85%, ante 73% de homens) e entre mais pobres (82%, e 69% para mais ricos).

Segundo o Instituto, 55% declaram ter muito medo de contrair o vírus, contra 44% do levantamento anterior; 27% têm um pouco de medo, 12% não têm, e 7% dizem já ter sido contaminados.

O apoio a restrições de funcionamento do comércio e de serviços subiu de 61%, em dezembro, para 71%. O fechamento de escolas tem aval de 66%, índice que não variou além da margem de erro.

Afirmam usar sempre a máscara 92%; 6% a utilizam de vez em quando, e 2% raramente ou nunca. Entre os que avaliam o governo como ruim ou péssimo vai a 95%. SAÚDE B1 E B2

 

 

  • 1 a cada 4 mortos – hoje no mundo é brasileiro
  • Vítima do coronavírus, senador Major Olímpio tem morte cerebral
  • Jovem de 22 anos é 1.º a morrer em fila por UTI na capital paulista
  • Medicamentos para intubação devem terminar em 20 dias
  • Covas antecipa 5 feriados em São Paulo e muda rodizio
  • Agência europeia dá aval a vacina de Oxford após países vetarem uso
  • ‘Parece que só morre de Covid’, diz Bolsonaro sobre hospitais cheios
  • Bolsonaro assina MPs para nova rodada de auxilio
  • Chefe do Banco do Brasil, André Brandão renuncia
  • PM prende grupo por ato contra presidente; PF solta
  • Justiça autoriza governo a celebrar golpe de 1964

 

 

 


 

 

O Estado de S. Paulo

 

 

Manchete: Inquéritos com base na Lei de Segurança Nacional sobem 285%

Primeiro biênio de governo Bolsonaro teve 77 casos; na gestão anterior, eram 20

O total de procedimentos da Polícia Federal para apurar supostos delitos contra a segurança nacional aumentou 285% nos dois primeiros anos do governo Bolsonaro, na comparação com o biênio de 2015 e 2016, em que os presidentes foram Dilma Rousseff e Michel Temer. Os inquéritos com base na Lei de Segurança Nacional (LSN) foram os que mais cresceram entre seis categorias com os principais temas alvo da PF. Relator de duas ações que contestam a lei redigida na ditadura militar, o ministro Gilmar Mendes, do STF, avalia antecipar seu voto sobre o tema – ele considera manifestações contra o governo enquadradas na LSN como exercício da liberdade de expressão. Ontem, a Justiça suspendeu inquérito contra o youtuber Felipe Neto, que chamou o presidente de “genocida”. POLÍTICA PÁGINAS A4 E A8

 

 

  • Pacheco quer repatriação e novo Refis com isenção de multa
  • Hospitais relatam falta de kits de intubação
  • Após 1ª morte na fila por UTI, cidade de São Paulo antecipa feriados
  • Vítima da covid-19, Major Olimpio tem morte cerebral
  • Após renúncia, BB terá novo presidente