Está aberta a temporada de convenções visando indicar candidatos a prefeito, vice e vereadores


Reunião online do MDB de Canoinhas preparando-se para convenção/Reprodução

Com período se encerrando em 16 de setembro, maioria dos partidos deixará decisão para última hora

 

 

 

 

DADA A LARGADA

Texto revisado às 13h de 31/8/20

Começa nesta segunda-feira, 31, o período de convenções partidárias visando as eleições municipais de 15 de novembro. Até 16 de setembro, último dia para a realização das convenções, que serão quase todas virtuais neste ano por causa da pandemia, especulações e negociações vão se intensificar. A maioria dos partidos deixará para tomar a decisão no último dia. Em Canoinhas, o PSD e o PL devem dar a largada neste sábado, 5. O PSDB, justamente no dia 16 de setembro. Os demais estão estudando quando irão oficializar as candidaturas.

 

 

 

Dessa forma, o PSD de Beto Passos deve ser o primeiro a oficializar a candidatura mais certa  desta eleição em Canoinhas até agora. Renato Pike (PL) continua como seu vice. O PP e o PSC já declararam apoio à chapa.

 

 

 

 

Os demais partidos têm motivos óbvios para esconder o jogo até o final. A maioria está em um cabo de guerra, medindo forças para ver quem pode mais. O MDB é o que mais está escondendo o jogo. As conversas com Norma Pereira (PSDB) minguaram depois que a tucana anunciou Juliano Seleme (PSDB) na sua vice e confirmou que, a despeito de Carmem Zanotto (Cidadania) ser candidata a prefeita de Lages, o que já foi confirmado pela deputada federal, Norma segue resoluta na intenção de ser prefeita de Canoinhas, mesmo com a possibilidade de assumir a suplência de Carmem no Congresso.

 

 

 

 

Paulinho Basilio (MDB) está confirmadíssimo como candidato a prefeito pelo MDB, porém busca o vice ideal. Queria Norma, como isso já parece uma questão do passado, partiu para outra, ou melhor, outro. Célio Galeski (PSL), com o peso da maior fatia do fundo eleitoral entre todos os partidos, está próximo de ser esse vice.

 

 

 

Ivan Krauss (PRTB) também tem buscado dialogar com outras siglas, reafirmando sua candidatura.

 

 

O ex-secretário de Desenvolvimento Econômico de Canoinhas, Paulo Machado (PSB), marcou para 16 de setembro a convenção para oficializar seu nome na disputa.

 

 

 

É nesse cenário embolado que a oposição a Passos começa o período de convenções. Se não se acertar nos próximos 15 dias deve sair fragmentada, o que fortalece o candidato a reeleição.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DIREITO DE RESPOSTA

A partir desta segunda, 31, passa a valer o direito de resposta para postagens de influencers e youtubers. Jornais, TVs, rádios, sites e redes sociais estarão sujeitas às reclamações de candidatos. A Justiça definirá ainda tempo de TV e debates. Regras para pesquisas passam a valer hoje também.

 

 

 

 

 

 

 

COFRE

Começa a valer hoje, também, a arrecadação de recursos para campanha. A fórmula limita autofinanciamento em 10% dos gastos totais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NÃO FOI BEM ASSIM

Vereador Célio Galeski (PSL) contesta a informação da coluna de que foi ignorado pelo governador Carlos Moisés (PSL) em sua visita a Canoinhas. Ele conta que, longe dos jornalistas, na localidade de Bonetes, onde Moisés visitou um produtor rural, teve longa conversa com o governador. Mais tarde, em Mafra, passou pelo menos quatro horas ao lado de Moisés.

 

 

 

 

 

Galeski pontua que o período eleitoral não é favorável a fotos e aparições públicas, daí o fato de os políticos terem ficado de fora da visita ao Hospital Santa Cruz.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

HEMOSC

Unidade do Hemosc de Canoinhas funcionava no prédio do Hospital Santa Cruz/Divulgação

A deputada estadual Paulinha (PDT) interpelou o secretário adjunto de Saúde,  Aldo Baptista Neto, na saída do Hospital Santa Cruz na quinta passada, sobre a possibilidade de reabertura do posto do Hemosc de Canoinhas. Como quem chegou agora, Aldo prometeu empenho para a reabertura do local. Alguém acredita que isso possa acontecer?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ELE VOLTOU

O presidente Jair Bolsonaro deve mesmo voltar ao PSL, mas somente depois das eleições municipais. Ele disse na sexta-feira, 28, que decidiu não apoiar nenhum candidato a prefeito no primeiro turno das eleições municipais deste ano.

 

 

 

Em mensagem nas redes sociais, o presidente desejou sorte tanto aos eleitores como aos postulantes e acrescentou que não se filiará a nenhum partido neste ano.

 

 

 

 

“Decidi não participar, no primeiro turno, nas eleições para prefeitos em todo o Brasil. Tenho muito trabalho na Presidência da República e, tal atividade tomaria todo meu tempo em um momento de pandemia e retomada da nossa economia”, ressaltou.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

AVALIAÇÃO

Enquete encerrada no fim de semana no JMais mostra a população dividida ao avaliar as ações dos prefeitos em relação ao combate à pandemia. Para 348 as ações foram adequadas, enquanto para 318, não foram as ideais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

12%

do efetivo policial no Brasil é composto por mulheres; em Santa Catarina esse índice cai para 8%





Deixe seu comentário: