Em meio de mandato, prefeito Beto Passos demite primeiro secretário

Paulo Machado apresentando a realeza da Fesmate na Assembleia/Arquivo

Paulo Machado deve deixar Secretaria de Desenvolvimento Econômico na próxima semana

 

 

FORA DO GOVERNO

Secretário de Desenvolvimento Econômico de Canoinhas, Paulo Machado, deixa o governo na próxima semana. É o primeiro secretário a ser demitido por Beto Passos (PSD), mas oficialmente os dois combinaram que Passos sustentará a versão de que Machado pediu demissão. Uma carta foi protocolada por Machado no gabinete pedindo desligamento da função para dar estofo à versão.


 

 

Nos bastidores, Passos se viu desgastado por Machado, que não conseguiu os resultados almejados. Enquanto que Machado avançou em um ponto importante – a retomada de terrenos do Município há anos nas mãos  de empresas que nada produziram nas áreas – não conseguiu emplacar nenhuma empresa de expressão no Município. Houve a tentativa de faturar politicamente em cima de empresas locais que já tinham planos de expansão há anos, como a Brasnille, que virá de Três Barras para se instalar na área arrematada em leilão da extinta Fuck SA, mas não deu certo.

 

 

Nenhum vislumbre de interesse por parte de empresários de olho na cidade existiu em dois anos. Nesse meio tempo, Mafra recebeu investimento milionário do grupo Condor, assim como São Bento do Sul recebeu uma loja da Havan, só pra ficar em dois exemplos de negócios que Canoinhas poderia perfeitamente sediar.

 

 

Machado, justiça seja feita, não merece todo o crédito pelo fracasso do governo Passos na busca por investimentos. Historicamente, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, que deveria ser uma das mais valorizadas pelos governos municipais, é usada para acomodar apaniguados que trabalharam na campanha. Machado é só mais um. Visão estratégica? Plano de desenvolvimento? Plano de marketing para divulgar o Município? Busca constante por investimentos? Não vi isso de nenhum dos últimos secretários que passaram pela pasta. Se fizeram, valeu apenas pelo esforço porque nada de efetivo conseguiram.

 

 

Com pouca verba, limitou-se a organizar Fesmates e cuidar de assuntos de menor importância como a retomada de terrenos. Aliás, a retomada dos terrenos é positiva, mas se não tiver outras empresas para serem repassados, torna-se inútil do ponto de vista do estímulo ao desenvolvimento. Deveriam se limitar ao departamento jurídico do Município. Ao Desenvolvimento Econômico caberia correr atrás de negócios com potencial para ocupar essas áreas.

 

 

 

O CARA CERTO

Com a saída de Paulo Machado, Passos não pode se dar ao luxo de errar novamente no comando da pasta. Precisa encontrar alguém que tenha um mínimo de visão e qualificação. Profissionais assim costumam ser rapidamente absorvidos e muito bem remunerados pelo mercado. Portanto, ele tem um belo desafio pela frente.

 

 

Segundo a coluna apurou, há três nomes em análise. O que tem mais simpatia por parte dos vereadores, que têm sido consultados por Passos, é o presidente do Sindilojas de Canoinhas, Carlos Burigo.

 

 

 

LIGA DESLIGA

Rodou nas redes sociais cópia da portaria que reintegrou o ex-deputado estadual Antonio Aguiar (PSD) como servidor do Município de Canoinhas, conforme a coluna noticiou anteontem. A polêmica foi seguida de outra portaria, que concedia ao ex-deputado licença até  1º de maio para tratamento de saúde.

 

Quem fez circular as portarias tentou colar no prefeito Beto Passos (PSD) a pecha da malandragem, mas não é justo. Como encerrou seu mandato como deputado, Aguiar precisa se reintegrar ao Município sob risco de invalidar o concurso. Como está de atestado médico por causa de uma cirurgia, na sequência ele entrou com o pedido de licença.

 

Licenças para exercer cargos políticos são comuns e acontecem com mais frequência do que se imagina. Hoje, por exemplo, o ex-prefeito Beto Faria (MDB) está de licença (não remunerada, claro) do cargo de médico veterinário do Município enquanto exerce o cargo de presidente estadual da  Cidasc. Em Três Barras, enquanto exerceu o cargo de prefeito, Elói Quege (PP) também se licenciou do cargo para o qual concursou na Secretaria de Saúde do Município.

 

 

 



ARTISTAS REGIONAIS

A Prefeitura de Três Barras pagou R$ 150 por apresentações de 40 minutos a uma hora para os artistas regionais que se apresentaram na festa de aniversário do Município em janeiro. Os artistas nacionais foram remunerados conforme tabela estabelecida por eles pela Spinelli Produções, empresa que ganhou a licitação para explorar os shows. A empresa recebeu R$ 357 mil do Município para as contratações e montagem da estrutura da festa. Empatou o dinheiro que obteve com a venda de área vip e camarotes.

 

O valor pago aos artistas regionais pode ser baixo, mas por mais que o vereador Marco Antonio de Souza (MDB) reclame, os barzinhos pagam, em média, R$ 200 para os artistas locais cantarem por quatro horas a fio. Não faz sentido inflar os valores só porque os recursos são públicos.

 

O valor dos artistas nacionais é bem mais elevado, mas respeita a tabela que eles praticam em todo o País.

 

 

BUEIROS INTELIGENTES

Os vereadores de oposição Paulinho Basilio (MDB), Camila Lima (MDB), Telma Bley (MDB) e Norma Pereira (PSDB) apresentaram projeto de lei que cria bueiros inteligentes em Canoinhas. Pelo projeto, bueiros com caixas coletoras seriam instalados em Canoinhas, especialmente nos locais onde ocorrem ou possam ocorrer alagamentos nos dias de chuva, visando evitar o entupimento das galerias de águas pluviais.

 

 

O projeto é bastante interessante, mas dada a má vontade que Passos tem demonstrado com a oposição tem tudo para ser vetado.

 

 

OAB SC

 

Rafael Horn assumiu a presidência da Ordem dos Advogados do Brasil de Santa Catarina na quinta-feira, 14. Antes, foram empossados os novos conselheiros e presidentes das 49 subseccionais, incluindo a de Canoinhas, que será comandada por Israel Dias dos Santos.

 

 

 

MUDANDO DE IDEIA

O deputado estadual Valdir Cobalchini (MDB) mudou de ideia sobre o projeto que proibiria o uso de radares móveis nas rodovias estaduais de SC. Ele se reuniu anteontem com o comandante da Polícia Rodoviária Estadual, tenente-coronel Evaldo Hoffmann. Depois, postou vídeo nas redes sociais e disse que “vamos disciplinar o uso dos radares moveis, com ajuda e participação da Polícia Rodoviária Estadual. Juntos, vamos ajustar a redação do projeto de lei que protocolei na Alesc. Como disse o comandante da PRE, Evaldo Hoffmann, vamos trabalhar a quatro mãos pela segurança dos catarinenses. Fiscalizar sim, mas de forma preventiva e educativa, essa é a ideia.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário: