Eleição em outubro favorece candidatos a reeleição


Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia/Najara Araújo/Câmara dos Deputados

Questão em discussão no Congresso Nacional vem provocando divergências

 

 

 

 

CALENDÁRIO

O centrão, grupo de deputados que domina a Câmara Federal, é o responsável por Rodrigo Maia não ter colocado em votação o projeto de emenda constitucional (PEC) aprovada no Senado que adia as eleições municipais para novembro.

 

 

 

Este grupo de cerca de 250 deputados (quase metade do total) vê dois cenários possíveis: manter tudo como está ou esticar os atuais mandatos de prefeitos e vereadores para 2022, quando a tão discutida unificação das eleições se daria de fato não por consenso, mas por força da pandemia.

 

 

 

Manter tudo como está, que seria o mais provável, favorece os prefeitos e vereadores aliados dos deputados do centrão. Com o país em plena pandemia e com a escalada dos números cada vez mais impressionante, quem se arrisca a bater de porta em porta pedindo votos? Com os adversários intimidados, as chances de reeleição aumentam. A tendência do eleitor é optar por quem já conhece.

 

 

 

O centrão é pragmático. Rechaça as estimativas dos especialistas, baseadas boa parte em suposições já que até agora não se conseguiu respostas claras sobre o novo coronavírus, muito menos até quando ele vai nos assombrar, para fechar acordos visando a sua própria reeleição. Prefeitos e vereadores são cabos eleitorais preciosos. Ajudar a reelegê-los agora é plantar uma semente para 2022.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O QUE ELES QUEREM

Segundo a coluna Painel do jornal Folha de S.Paulo, líderes do centrão propõem R$ 5 bilhões para prefeituras até dezembro, para que os gestores municipais fiquem blindados da crise do coronavírus e, dessa forma, possam aprovar o adiamento das eleições.

 

 

 

 

De acordo com esses políticos, a conta fecha sem que o governo precise colocar dinheiro novo. Há R$ 5,3 bilhões “sobrando” da medida provisória 938, que reservou R$ 16 bilhões para recompor perdas na pandemia. A queda, porém, foi menor, de R$ 11 bilhões.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Acho que tenho chances de reeleição tanto em outubro quanto em novembro”

do prefeito de Canoinhas, Beto Passos (PSD), sobre a possibilidade de adiamento das eleições

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NOME

Carol Gibowski/Divulgação

Durante a inauguração do novo prédio da Escola Municipal da Barra Mansa na quinta-feira, 25, prefeito Beto Passos (PSD) lembrou que o prédio antigo que abrigava a escola não pode ficar como “elefante branco”, já que está abandonada. “Vamos assumir um compromisso com a família de Evaldo Dranka de reutilizar a estrutura em um projeto futuro que será debatido com a comunidade para fazermos uma adequação ali. Encontramos algumas obras paradas escondidas como uma quadra lá no Campo d’ Água Verde, não daremos esse péssimo exemplo. Então, assumimos nosso compromisso de transformarmos aquele espaço em um espaço importante para a utilização da nossa comunidade”. Embora Passos não tenha mencionado, ao se dirigir à família de Evaldo Dranka, ele estava se referindo a polêmica criada com relação ao nome da escola.

 

 

 

 

 

 

Vereador Célio Galeski (PSL) trabalhou duro para tirar o nome de Evaldo da escola, que passou a se chamar Escola Básica Municipal da Barra Mansa. A queda de braço com a família foi longa, mas Galeski acabou convencendo seus pares na Câmara a aprovarem a mudança de nome.

 

 

 

 

 

 

A ideia de Passos é dar um prêmio de consolação à família Dranka.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Enquanto não houver segurança nós não vamos voltar. Estamos vencendo o coronavírus, mas não podemos titubear”

do prefeito Beto Passos (PSD) sobre o retorno das aulas na rede pública municipal

 

 

 

 

 

 

 

 

EFÊMERO

No momento em que o prefeito Beto Passos (PSD) descerrava a placa inaugural da Escola da Barra Mansa com o nome de Abraham Weintraub como ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli da Silva era nomeado no lugar do ex-ministro que se escafedeu para os Estados Unidos sem deixar saudades.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FUNDAÇÃO

Nelson Varela de Oliveira é o novo presidente honorífico da Fundação Municipal de Esporte e Lazer. Ele substitui Chiquinho da Silva, que deixou a função para se dedicar a disputa eleitoral pela Câmara de Vereadores.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EMERGÊNCIA

A prefeitura de Três Barras fechou contrato no valor de R$ 876 mil com a Helpmed Saúde para prestação de 8.760  horas de trabalho no Pronto Atendimento Municipal que funciona anexo ao Hospital Félix da Costa Gomes. O serviço deve ser prestado 24 horas, ininterruptamente. A empresa é sediada em Curitiba e presta serviços do gênero em Pronto Socorros do Paraná e Santa Catarina.

 

 

 

 

 

 

TRANSPORTE

Prefeito Beto Passos (PSD) não vê uma data segura para retomar o transporte público municipal em Canoinhas. Ele acredita que este seja um momento delicado considerando que os casos de contaminação continuam e seguimos em pleno inverno. Sobre limitar o número de passageiros, ele lembra: “Como vamos dizer ao motorista que não recolha as pessoas que estão esperando no ponto porque o ônibus está lotado dentro das normas estabelecidas?”.

 

 

 

 

 

 

 

ANULADO

A Prefeitura de Três Barras anulou o Concurso Público realizado por força do Edital de Processo Seletivo nº 008/2019 proposto pela Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte do Município.

 

 

Segundo o Município, houve inconsistências operacionais no ato de aplicação das provas. As vagas serão preenchidas por concursados em 2018.





Deixe seu comentário: