sábado, 25

de

setembro

de

2021

ACESSE NO 

Dois pacientes aguardam leitos de UTI no Pronto Atendimento de Canoinhas

Últimas Notícias

- Ads -

Boletim epidemiológico divulgado nesta quinta mostra 16 novos casos de covid-19 em Canoinhas

 

 

 

A Secretaria de Saúde de Canoinhas confirmou nesta quinta-feira, 4, que dois pacientes aguardam a liberação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ambos estão sob cuidados médicos na Unidade de Pronto Atendimento 24h, mantida pela prefeitura de Canoinhas. Com a taxa de ocupação do Hospital Santa Cruz em 100%, a Secretaria de Saúde busca vagas em outros hospitais da região que são reguladas pelo Governo do Estado. No final de semana passada esse número era maior: cinco pessoas aguardavam leitos de UTI no PA de Canoinhas.

 

 

 

 

Boletim epidemiológico divulgado na manhã desta quinta mostra 16 novos casos de covid-19 em Canoinhas.

 

 

 

 

OCUPAÇÃO DE LEITOS DE UTI NO ESTADO

O mapa, no entanto, traz um alerta: “o indicador de taxa de ocupação é virtualmente inferior à taxa de ocupação real devido à rotatividade de pacientes e aos horários de atualização do painel”. Quando liberado o leito consta como disponível mesmo que reservado para outro paciente.

 

 

 

 

O painel omite a lista de espera por um leito de UTI. Relatório interno da Secretaria de Saúde de SC indicava que 251 pessoas estavam aguardando vagas em Santa Catarina nesta quarta, 3.

 

 

 

 

 

Em Três Barras é de 70% a taxa de ocupação da ala covid-19 da Fundação Hospitalar de Três Barras, com 14 pacientes internados via SUS. Há ainda outro positivado, mas em leito destinado a convênios e particulares. Dentre os hospitalizados estão sete munícipes, um morador de Canoinhas e outros sete de cidades da região e Estado. O Hospital de Três Barras atende somente casos clínicos de covid-19. Casos graves precisam ser transferidos para UTIs.

 

 

 

 

O caos no sistema de saúde em Santa Catarina, com lotação em UTIs de hospitais privados e públicos em todas as regiões, força também um trabalho maior de transferência de pacientes entre unidades de saúde, especialmente no Oeste. Conforme dados divulgados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), desde o começo do ano mais de 50 pacientes são levados todos os dias de um hospital para outro, número bem acima do habitual.