Discussão sobre carroceiros chega à Câmara de Três Barras

Carroça de coleta de recicláveis passa pelo Jardim Esperança/Edinei Wassoaski/JMais

Presidente da Casa, Fabiano Mendes, o Bano, lembrou da necessidade de se haver projetos para melhorar a vida dos carroceiros

 

 

 


CARROCEIROS 

Chegou na Câmara de Três Barras a discussão sobre os carroceiros que circulam por Canoinhas, mas que na sua maioria, são de Três Barras.

 

Presidente da Casa, Fabiano Mendes, o Bano, lembrou da necessidade de haver projetos para melhorar a vida das pessoas que recorrem a coleta de recicláveis por meio de veículos de tração animal como forma de sobreviver. “Visitei e expliquei aos moradores do São Cristóvão sobre a necessidade de se desenvolver projetos para eles”.

 

 

 

Bano reuniu os carroceiros no auditório Milton Miguel recentemente para explicar a lei canoinhense aprovada nesta semana que proíbe o trânsito de veículo de tração animal na cidade. “Não é impossível o Município investir recursos para orientar essas pessoas, criar projetos. Outras cidades têm projetos exemplares. Eles (os carroceiros) se mandam, eles jamais vão largar esse trabalho, eles ganham bem, cerca de R$ 1,5 mil por mês, então a saída é criar uma cooperativa, por exemplo, aprimorar esse trabalho deles”.

 

 

 

 

 

Bano ainda lembrou dos sacolões que são entregues tradicionalmente aos moradores do São Cristóvão. “Ajuda, quem diz que não ajuda? Tem famílias que contam os dias para chegar esse dia, mas em cima desse projeto é que temos de trabalhar, para não sentirmos orgulho de que temos 700, 800 famílias cadastradas no sacolão, isso não é um orgulho para nós, achar que a doação do sacolão é uma coisa boa para o Município, por isso precisamos de projetos”, frisou.

 

 

 

O QUE É PRECISO ENSINAR

Vereador Laudecir Gonçalves (PSD) falou ontem sobre a necessidade de se discutir sobre a inclusão das minorias na sociedade. “É importante que a sociedade discuta isso, que a escola discuta, esse é branco, preto, amarelo, mas eu não sou melhor que ele”, pontuou.

 

 

 

 

 

 

 

“Tem um time dentro do time que não está passando as coisas ao prefeito”

disse o vereador Laudecir Gonçalves insinuando que há forças ocultas plantadas no governo Shimoguiri

 

 

 

 

 

 

FECHOU O TEMPO

O PSL de Santa Catarina se posicionou por meio de nota sobre rumores de que o partido estaria expulsando quem não compactua com a visão do governador Carlos Moisés da Silva (PSL). A medida seguiria o exemplo nacional, já que o deputado federal Alexandre Frota foi expulso do partido depois de tecer críticas ao presidente Jair Bolsonaro, chegando a afirmar que seu desempenho como ator pornô foi melhor do que o de Bolsonaro como presidente. Aqui em SC os deputados Jessé Lopes e Ana Caroline Campagnolo acusam Moisés de articular a expulsão deles do partido.

 

 

 

 

Diz a nota:

 

 

 

 

“A Executiva Nacional do PSL recebeu de seus filiados e simpatizantes solicitação para investigação por parte do Conselho de Ética do PSL Nacional de inúmeras publicações, consideradas pelos denunciantes como vexatórias, direcionadas ao Sr. Carlos Moisés da Silva, Governador do Estado de SC, dentre elas publicações contendo charges, comentários, vídeos e outras manifestações de alegada autoria dos Deputados do PSL-SC Jessé Lopes e Ana Caroline Campagnolo. Esclarecemos que esta Direção Estadual do Partido aguardará a decisão do referido Conselho de Ética para posterior manifestação acerca do mérito das questões alegadas pelos denunciantes.

 

 

 

 

 

Cumpre esclarecer por ora que não houve nenhuma manifestação ou pedido do Sr. Governador do Estado de SC acerca dos casos noticiados, tampouco pedido de expulsão dos envolvidos.

 

 

 

 

 

Cumpre destacar que o Sr. Governador do Estado de SC, nos últimos dez meses de governo e transição, jamais se referiu por meio de imprensa e de suas redes sociais, a qualquer autoridade ou membro de Poder ou Órgão estranho ao Poder Executivo, demonstrando linha de conduta de um estadista. Seguimos confiantes nas lideranças de nosso Partido.”



 

 

 

 

CONTRAPONTO

Ana Caroline postou nas suas redes sociais que vê a nota como um recuo. “O sr. fez muito bem em recuar, senhor governador. Espero que tenha percebido que me expulsar do partido do Bolsonaro não é tarefa fácil mesmo para um governador. É lamentável ver a sua equipe se virando nos trinta para TENTAR passar a imagem de que não foi o sr. quem pessoalmente e autoritariamente exigiu minha saída. Sabemos que foi. Sou membro da Executiva Estadual (que emitiu nota tentando negar o envolvimento do governador) e nenhuma reunião foi realizada nos últimos sete dias. Também sou vice-presidente do PSL do município de Itajaí e vice-presidente nacional da juventude. Antes de o sr. entregar seu primeiro santinho, eu já andava pelos corredores de Brasília fazendo coro aos direitistas, recebendo e dando apoio a corajosos conservadores. O PSL não é seu, o PSL é nosso. PSL é Bolsonaro — e eu continuaria sendo Bolsonaro MESMO fora do partido!”

 

 

 

 

RESERVA

Os deputados estaduais catarinenses aprovaram em primeiro turno, nesta quarta-feira, 21, o projeto de lei complementar (PLC) que autoriza os municípios a utilizarem policiais e bombeiros militares da reserva que integram o Corpo Temporário de Inativos da Segurança Pública (Ctisp). Trata-se do PLC 7/2019, de autoria do deputado Nazareno Martins (PSB), que foi aprovado com o voto contrário do deputado Bruno Souza (PSB).

 

 

 

 

De acordo com a proposta, as prefeituras poderão celebrar convênio com o Estado para utilizar policiais e bombeiros aposentados que integram o Ctisp para assessoria e guarda nas sedes dos poderes municipais.

 

 

 

 

“Nosso objetivo é atender os municípios, para que eles possam contar com policiais habilitados, preparados, com menor custo para os cofres públicos”, afirma Nazareno. “Vai ser bom para os municípios e para os policiais que já estão aposentados, mas precisam aumentar seus recursos.”

 

 

 

 

 

Conforme o texto da matéria, os subsídios dos policiais serão custeados pelo município. Carga horária e fardamento vão ser estabelecidos pela legislação que estabelece o Ctisp.

 

 

 

 

 

Os deputados Milton Hobus (PSD), Paulinha (PDT), Jair Miotto (PSC) e Sargento Lima (PSL) parabenizaram Nazareno pelo projeto. “É um presente para Santa Catarina e para aqueles que dedicaram toda sua vida à segurança pública. É uma porta que se abre para os policiais da reserva”, comentou Sargento Lima.

 

 

 

 

O PLC 7/2019 segue para votação em segundo turno, que deve ocorrer na próxima semana.

 

 

 

 

INCENTIVOS FISCAIS

O fim dos incentivos fiscais aos defensivos agrícolas, uma escola de tempo integral no interior de Nova Itaberaba, no Oeste, e a escassez de água no estado monopolizaram os discursos da sessão de quarta-feira, 21, da Assembleia Legislativa.

 

 

 

 

“Precisamos construir uma política agrícola, com redução gradual dos incentivos, com incentivos a produtos orgânicos, investir em pesquisa e desenvolver produtos mais seguros para o produtor e consumidor. A hora é de unir esforços para construir a melhor alternativa possível, isso é o que desejo que aconteça na reunião com o governador”, declarou Marlene Fengler (PSD), referindo à reunião do governador com o setor produtivo prevista para esta quinta-feira, 22.

 

 

 

 

LIXO ZERO

João Amin (PP) apresentou na tribuna os resultados do Programa Lixo Zero, implantado no gabinete do parlamentar na Assembleia Legislativa.

 

 

 

“A certificação de gabinete lixo zero é uma meta que visa mudar práticas com relação aos resíduos, despertar a conscientização das pessoas e do Parlamento com o aproveitamento máximo dos resíduos”, argumentou João Amin, esclarecendo que durante a vigência do programa foram economizados 8 mil copos plásticos e cerca de mil sacos de lixo.




Deixe seu comentário: