domingo, 17

de

outubro

de

2021

ACESSE NO 

Diagnóstico precoce é fundamental para evitar cegueira e outras doenças da visão

Últimas Notícias

- Ads -

Médicos oftalmologistas alertam sobre os principais males que afetam a visão e a necessidade de acompanhamento regular

Atualmente, pelo menos 2,2 bilhões de pessoas no planeta têm algum tipo de deficiência visual: das mais comuns, os chamados erros de refração, até as mais graves, como glaucoma e cegueira. Deste total, 1 bilhão de casos poderiam ter sido evitados com diagnóstico e tratamento adequado, aponta relatório divulgado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre as doenças da visão.

O alerta ganha força no Dia Mundial da Saúde Ocular, celebrado neste sábado, 10. “A saúde dos olhos vai muito além do uso de óculos e lentes. Por meio de exames oftalmológicos, podemos identificar mais de três mil doenças – muitas delas tratáveis e reversíveis, mas não todas. A qualidade do tratamento e os resultados dependem muito do estágio em que a doença foi identificada”, explica o Dr. Ayrton Ramos, presidente da Sociedade Catarinense de Oftalmologia (SCO), entidade que apóia o Dia Mundial da Saúde Ocular.

Os problemas mais comuns – como miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia – são facilmente identificáveis pelos pacientes por causar perda progressiva da visão. Porém, há uma série de problemas de saúde “silenciosos”, que não deixam sintomas visíveis, como desde retinopatia diabética, glaucoma, toxoplasmose ocular, catarata, degeneração macular da idade, descolamento de retina, entre outros.

Nos casos de cegueira, a maioria absoluta (cerca de 80%) poderia ser evitada com diagnóstico precoce – no Brasil, isso representa quase 600 mil pessoas. “Prevenção é a palavra de ordem”, comenta o médico oftalmologista.

A frequência indicada da visita ao médico oftalmologista é, para pacientes até 40 anos e sem nenhuma patologia (erros de refração ou outras doenças), de dois em dois anos. “Para quem já utiliza óculos ou lentes, tem mais de 40 anos e histórico familiar de diabetes ou glaucoma, a consulta deve ser anual, em função dos fatores de risco à saúde da visão”, comenta o presidente da SCO.

Outra preocupação crescente entre profissionais médicos é o aumento de casos de miopia infantil, estimulada pelo uso excessivo de telas digitais: computadores, tablets e celulares. Como a miopia piora com a idade, quem sofre deste problema precisa fazer um acompanhamento regular do grau e, em casos mais graves, há risco de outras doenças que podem levar à perda definitiva da visão, como glaucoma e descolamento de retina.

Até mesmo o ato de coçar os olhos pode provocar sérios danos à visão. O ceratocone, por exemplo, deixa a córnea mais fina e menos resistente, podendo levar até à necessidade de transplante ocular. Entre os principais sintomas estão a fotofobia, irritação, ofuscamento, embaçamento e distorções moderadas da visão.

“A visão é o nosso principal sentido, então precisamos ter um cuidado especial com a saúde dos olhos. Isso vai desde uma alimentação saudável até a realização de atividades físicas, mas envolve preocupações básicas como higiene e acompanhamento médico regular. A prevenção é a maior recomendação”, detalha o Dr. Ayrton Ramos.

Para esclarecer à população do estado sobre as principais doenças oculares, a entidade disponibiliza gratuitamente em seu site a cartilha informativa Saúde dos Olhos, na qual aborda formas de precaução e diagnóstico, além de destacar mitos e verdades da Oftalmologia e orientar sobre a importância de consultar profissionais médicos.