Deputados destacam êxito eleitoral das mulheres e alta abstenção


Deputado Mauro de Nadal comandou a sessão ordinária virtual/Bruno Collaço / AGÊNCIA AL

Eleições repercutiram na sessão desta terça-feira, 17

 

 

 

Representantes do PSD, MDB, PL, PP e PT destacaram o êxito eleitoral das mulheres e o alto índice de abstenção na eleição municipal durante a sessão ordinária virtual de terça-feira, 17, da Assembleia Legislativa.

 

 

“Importante a participação das mulheres, uma participação efetiva, não só como candidatas, mas com número expressivo de eleitas nas câmaras de vereadores e prefeitas. Na capital, cinco vereadoras eleitas de diversos partidos, o importante é que as mulheres começam a conquistar espaços maiores”, afirmou Marlene Fengler (PSD).

 

 

 

A deputada observou uma mudança de paradigma na eleição de domingo.

 

 

“Vamos ter muito mais mulheres participando, na Assembleia e em outros espaços”, previu.

 

 

 

Ada de Luca (MDB), ainda com as marcas de uma cirurgia, concordou com Marlene.

 

 

 

“Estou com a boca cheia de pontos, mas faço das tuas palavras, as minhas. O MDB tinha 20 candidatas e 11 se elegeram prefeitas”, informou Ada.

 

 

 

Kennedy Nunes (PSD), Carlos Humberto (PL), Marcius Machado (PL), Milton Hobus (PSD) e Fabiano da Luz (PT) parabenizaram os candidatos e ressaltaram o índice de abstenção.

 

 

“Parabéns a todos que participaram, nunca teve tantos candidatos a vereador e a prefeito, foi a primeira eleição sem coligações nas proporcionais. Mas a abstenção muito grande, em Joinville, de 404 mil eleitores, 107 mil não foram votar; somados os nulos e brancos, ultrapassou 33%”, argumentou Kennedy.

 

 

 

“As eleições transcorreram tranquilas, mas foram muitas abstenções e me chama a atenção os votos brancos e nulos, que tiveram significativo aumento. Aqui em Balneário Camboriú tivemos êxito nas eleições, uns poucos ganham, muitos perdem”, filosofou Humberto.

 

 

“O dia da expressão máxima da liberdade de escolher os representantes, um homem, um voto, mas quando vai conversar, uma parte se vende, quer alguma coisa em troca. E as pessoas que se vendem, vão votar, elas têm compromisso, na cabeça delas, estão certas! E as pessoas que podem votar, se omitem. Mais de 34 mil eleitores não foram às urnas (em Lages), viraram as costas para a democracia. Já a pessoa que se vendeu, decidiu pela pessoa que foi para a praia, para o sítio”, criticou.

 

 

 

“A eleição municipal é onde a vida acontece. Houve falta de interesse do eleitor, a gente se preocupa com isso. Nessa eleição o povo não foi votar, muita gente com preocupação com a pandemia, as pessoas de mais idade, mas é uma grande preocupação”, admitiu Hobus.

 

 

 

“Quero parabenizar os eleitos, desejar boa sorte, sucesso. As eleições terminaram às cinco da tarde e percebemos o quanto estava respeitosa, foram poucos os lugares que ficamos sabendo de briga, inclusive nas redes sociais se manteve a ética e o respeito. Agora é unir forças e trabalhar pelo bem de cada município”, pontuou Fabiano.

 

 

 

Altair Silva (PP) também avaliou como alta a abstenção, mas chamou a atenção para o caráter democrático do pleito.

 

 

 

“Uma eleição caracterizada pelo baixo índice de votação, mas com participação plena e democrática”.

 





Deixe seu comentário: