Deputados cobram leitos de UTIs e sobem tom contra governador


Sessão ordinária desta terça-feira, 21/Solon Soares/Agência AL

Vários pronunciamentos reprovaram atitudes de Carlos Moisés

 

 

O avanço da Covid-19 estado afora, com reclames generalizados por mais leitos de UTIs, e a suposta mudança da sede do Detran de Criciúma elevaram o tom das críticas ao governador Carlos Moisés na sessão desta terça-feira, 21, da Assembleia Legislativa.

 

 

“Os prefeitos da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (Amfri) não têm conseguido sustentar a estrutura hospitalar sozinhos, os doentes estão sendo transferidos para outras regiões e o governo do Estado não apresenta uma política para a região da Amfri”, reclamou Ivan Naatz (PL), que defendeu a reabertura do Hospital Santa Inês, de Balneário Camboriú, fechado desde 2015.

 

 

“O governo federal vai transferir R$ 1,4 bilhão para a saúde, desta dinheirama R$ 334 mi já estão nos cofres do Estado; com o refinanciamento da dívida, o Estado vai deixar de pagar R$ 1 bi; em junho, a receita líquida subiu 12%; onde está investido este dinheiro?”, perguntou Ada de Luca (MDB).

 

 

Segundo Ada, até o momento foram empenhados R$ 278 mi e efetivamente pagos apenas R$ 179 mi.

 

 

“É pouco, muito pouco mesmo. Precisa de mais agilidade para UTI, para retaguarda, médicos, intensivistas, seja o que for, a palavra-chave é planejamento, que não aconteceu. Em Laguna anunciaram hoje para o hospital Bom Jesus dos Passos a abertura da UTI de primeiro de agosto a primeiro de dezembro”, anunciou a deputada, que questionou se em janeiro e fevereiro o vírus não circulará.

 

 

Já o deputado Altair Silva (PP) relatou acerto entre os gestores de Nova Trento e a Secretaria de Estado da Saúde (SES) para implantar 10 leitos de UTI no hospital local.

 

 

“Na própria audiência, que ocorreu esta manhã, foi tomada a decisão, o Estado já manda os equipamentos para montar os leitos amanhã, monitores, respiradores e a prefeitura vai entrar com médicos, enfermeiros e a infraestrutura local. O hospital já está fazendo o credenciamento para que no máximo em dez dias tenhamos dez novos leitos”, garantiu Altair.

 

 

 

Padre Pedro Baldissera (PT) destacou as vidas perdidas e a dor dos familiares e amigos.

 

 

“São muitas vidas ceifadas no estado, no país e no mundo e isso tudo traz angústia e sofrimento, de maneira especial às pessoas intimamente ligadas, os familiares. A nossa solidariedade a todas as famílias que sofrem a perda dos entes queridos”, discursou o ex-prefeito de Guaraciaba.

 

Já o deputado Kennedy Nunes (PSD) criticou duramente o governador pela suposta mudança da sede do Detran de Criciúma, atualmente localizado no Centro, para um shopping situado no limite com o município de Içara.

 

 

“Estão querendo sair do centro da cidade para colocar no shopping, na saída de Criciúma, próximo da divisa com Içara, pagando aluguel e condomínio”, denunciou Kennedy, acrescentando que o atual prédio é próprio do estado e que a mudança seria uma “cagada”.

 

 

 

Dr. Vicente Caropreso (PSDB) se insurgiu contra a comparação feita por Kennedy, classificou de injusta à crítica ao governador e classificou o discurso do representante de Joinville como de baixo calão.

 

 

“Um termo muito agressivo ao senhor governador, palavras de baixo calão”, disparou Caropreso.

 

 

Maurício Eskudlark (PL) saiu em defesa de Kennedy.

 

 

“Estranho o comportamento do deputado Vicente Caropreso, esses dias falava das rodovias e rasgou elogios ao governo, mas na saúde está um caos, nas rodovias está um caos”, afirmou Eskudlark.

 

 

Coronel Mocellin (PSL) explicou que não há mudança prevista para o Detran de Criciúma, apenas a abertura de um posto de serviço no shopping.

 

 

“No shopping é um ponto de atendimento avançado, sem custo para o Estado, resultado de um termo de cooperação entre o Estado e o shopping. No Iguatemi, em Florianópolis, também tem posto do Detran”, afirmou Mocellin, que garantiu que o Detran continuará no centro de Criciúma.





Deixe seu comentário: