Deputada Paulinha quer preencher vácuo da falta de representação política do Planalto Norte

A deputada Ana Paula/Divulgação

No mês passado, deputada esteve em Major Vieira para acompanhar protesto esvaziado

 

 

DE OLHO NO ELEITORADO

A deputada estadual Ana Paula da Silva, a Paulinha (PDT), parece disposta a preencher o vácuo político deixado na região. Nesta semana ela anunciou a inauguração de um escritório em Mafra. “Com base eleitoral em Bombinhas, a deputada estadual Paulinha (PDT) resolveu abraçar de vez a região do Planalto Norte, onde fez uma expressiva votação nas eleições de 2018 – em São Bento do Sul, por exemplo, foram mais de 700 votos, e em Bela Vista do Toldo, ela foi a preferida de 13% do total de eleitores”, diz material distribuído por sua assessoria.


 

 

De fato, Paulinha leva muito a sério a região, tanto que no mês passado, em um sábado chuvoso, se abalou do litoral até Major Vieira para acompanhar um protesto esvaziado por melhorias na SC-477. Atenciosa, calma, carismática, conversou com todos que se aproximaram e prometeu lutar pela rodovia. Tentou, mas pouco conseguiu. Segue a promessa da usina de asfalto que deve contornar o problema.

 

 

 

Nesta sexta-feira, 14, Paulinha estará em Canoinhas e depois vai a Bela Vista do Toldo. Quer se aproximar mais da região, entendendo seus anseios, tentando montar uma pauta de reivindicações.  À noite inaugura o escritório em Mafra.

 

 

Conhecida nacionalmente pela bobagem da repercussão do vestido que usou na posse, a ex-prefeita de Bombinhas já está demonstrando que tem talento e faro político. Tem tudo para emplacar uma carreira ainda mais promissora.

 

 

 

 

 

SOLTOU O VERBO

Um dia depois de o governo Beto Passos (PSD) ter comemorado a compra de maquinários, a vereadora Telma Bley (MDB), que até aqui vinha se comportando de forma simpática ao governo, jogou água no chope do Executivo. O alvo foi, mais uma vez, a secretária de Saúde Zenici Dreher. “O prefeito paga a conta por alguém que não está fazendo seu serviço direito. Tem pouco medicamento na Farmácia do SUS e não adianta explicar com bibliografia sobre o sistema de saúde. Cadê o medicamento em casa para todo mundo? A situação chegou num ponto que ninguém aguenta mais. Pessoas esperando meses por uma cirurgia, filas camufladas… As pessoas estão doentes e não podem mais esperar”, disparou a vereadora, afirmando que chegou a hora de fazer alguma coisa. “Tem gente morrendo e gente sequelada por falta de medicamentos”, afirmou.

 

 

 

 

 

“Tem de parar de ficar brigando o dia inteiro nas redes sociais. Nunca vi coisa igual”

da vereadora Telma Bley (MDB), criticando a secretária de Saúde de Canoinhas, Zenici Dreher

 

 

 

 

 

 

 



PATRIMÔNIO

A Câmara de Canoinhas aprovou também o projeto de lei que torna patrimônio imaterial de Canoinhas a encenação da Paixão e Morte de Cristo pela comunidade do Salto d

 

 

 

 

MISTÉRIO

O guru da imprensa nacional Elio Gaspari comentou sobre o que esperar das eleições municipais de 2020 em sua coluna de domingo no Globo e Folha. “Depois da maré de votos contra de 2018, quem vai prevalecer? A turma do tiro na cabecinha tipo Wilson Witzel ou a turma do governador mineiro Romeu Zema, do Partido Novo?” É, pois é. Faltou falar onde se acomodará a “velha política”.

 

 

 

 

 

RECUO

O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) recuou da tentativa de cortar repasses aos hospitais filantrópicos e marcou reunião com diretores destes hospitais para hoje. Promete nova proposta que garanta R$ 180 milhões do Fundo Estadual de Saúde. O recuo ocorreu depois da forte reação dos diretores de hospitais contra a Adin que anula a emenda de 10% para a saúde.

 

 

 

 

 

 

FORA

A Assembleia catarinense desistiu de contratar um monitor de visitação sob a fabulosa remuneração de R$ 23 mil mensais. As atribuições do cargo serão divididas entre outros funcionários do Legislativo.

 

 

 

 

 

 

FERIADOS ÀS SEGUNDAS

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado Federal aprovou projeto de lei de autoria do senador catarinense Dario Berger (MDB) que antecipa os feriados de meio de semana para as segundas-feiras.

 

 

 

O projeto prevê que alguns feriados não sofreriam alterações, como o Natal, o Sete de Setembro e o Carnaval.

 

Deixe seu comentário: