Denúncia de falta de médico no Pronto Atendimento de Três Barras causa indignação


Hospital Félix da Costa Gomes, onde funciona o PA/Arquivo

Empresa começou a operar há nove dias no plantão

 

 

 

 

PLANTÃO

Ao custo de R$ 876 mil por 8.760 horas trabalhadas, o Município de Três Barras contratou a empresa Helpmed para administrar o serviço médico do Pronto Atendimento Municipal que funciona anexo ao Hospital Félix da Costa Gomes. O serviço deveria ser prestado 24 horas desde 1º de julho, ininterruptamente. A empresa é sediada em Curitiba e presta serviços do gênero em Pronto Socorros do Paraná e Santa Catarina.

 

 

 

 

Nove dias depois de assumir a empreitada surgiu o primeiro problema. Suelen Karina postou nas redes sociais que tem uma filha de 11 meses com síndrome de down e na madrugada desta quinta-feira, 9, ela não estava passando bem. “Então fomos até o pronto atendimento de Três Barras, chegamos lá eram 03h45. As enfermeira fizeram a triagem e quando foram passar para o médico perceberam que ele não se encontrava no hospital, então foram procurar e ligaram para ele, que falou que precisou sair e simplesmente abandonou o plantão. Por celular receitou algumas gotas de Dipirona sem examinar minha bebê. Claro que as enfermeiras não deram e saímos de lá já eram 5 horas e nada de nenhum médico”, relatou.

 

 

 

 

Karina ainda compartilhou cópia de um documento com timbre do SUS no qual a enfermeira de plantão corrobora a denúncia. A coluna checou a autenticidade do documento e questionou o Município, que enviou a seguinte nota: “A Secretaria de Saúde de Três Barras informa que está ciente do ocorrido e já solicitou, à direção da Fundação Hospitalar de Três Barras, que gerencia os plantões no Pronto Atendimento Municipal, para que apure a denúncia e tome as providências necessárias junto à empresa responsável por prestar os serviços médicos.”

 

 

 

 

 

A Fundação Hospitalar de Três Barras (FHTB), por sua vez, informou por meio de nota que está atenta ao acontecido no Pronto Atendimento  na madrugada desta quinta. A nota segue:

 

 

 

“Após reclamação ao Ministério Público pela empresa que prestava serviços médicos no PA, baseada numa ‘suposta’ substituição, a FHTB foi orientada a realizar processo de licitação para firmar a contratação. Promovido o processo, após todos os trâmites legais de publicidade e disputa de preços, foi declarada vencedora a empresa, HelpMed, sediada em Curitiba – PR, que assumiu as atividades em 01/07/2020.

 

 

 

A subordinação dos médicos e coordenação dos serviços no PA, portanto, são de responsabilidade direta da empresa HelpMed que, em razão dos fatos referidos, foi notificada para questionar a atitude do médico e manifestar a defesa que julgar necessária. Após este procedimento, que deve respeitar os prazos legais, os fatos serão analisados pela FHTB para que, então, sejam tomadas as medidas legais cabíveis, segundo os termos do Edital de Licitação e do Contrato de Prestação de Serviços.

 

 

 

Na mesma esteira, a FHTB questionará e atuará em relação à Equipe de Enfermagem do PA que, no mesmo fato, não tomou os cuidados necessários e evidentes para comunicar a Direção do Hospital e/ou o quadro clínico do Hospital para convocar outro profissional para suprir a ausência naquele momento.

 

 

 

Ciente de que ocorreu um fato que merece apuração, inclusive que serve de aprendizado para evitar situações futuras, prontifica-se a Fundação Hospitalar em agir da forma que a legislação exige e permite”. A nota é assinada por Anderson Stokloski, presidente da Fundação, e Luciane Weinfurter, diretora administrativa da mesma Fundação.

 

 

 

 

A coluna tentou ouvir a Helpmed, mas no seu site há apenas um número de WhatsApp, por meio do qual a reportagem não foi atendida até a conclusão desta edição. Depois da publicação desta coluna, a equipe do JMais conseguiu contato com a empresa. Leia reportagem aqui.

 

 

 

 

 

 

 

 

ESTEIRA

Na esteira da denúncia, o vereador Marco Antonio de Sousa (MDB) criticou a administração municipal, alegando que não havia motivo aparente para a troca da empresa que administra o Pronto Atendimento. Ele já havia encaminhado requerimento solicitando informações sobre a troca.

 

 

 

 

 

 

 

 

PRAZOS

Deputados catarinenses aprovaram nesta quarta, 8, a suspensão dos prazos de validade dos concursos públicos no Estado. Caso seja sancionada pelo governador Carlos Moisés, a nova lei ficará em vigor enquanto durar o decreto de calamidade pública por conta do coronavírus.

 

 

 

De acordo com o autor da proposta, delegado Ulisses Gabriel (PSD), o objetivo é diminuir os prejuízos aos candidatos aprovados nas últimas seleções. O pessedista, que ocupou cadeira no Legislativo no início deste ano, justifica ainda que o poder público também terá uma economia, já que não precisará fazer uma nova seleção.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SALA DE ESPERA

O vereador Célio Galeski (PSL) passou por uma cirurgia nesta quarta para implantação de três pontes de safena. Ele se sentiu mal enquanto fazia um trabalho comunitário na sede da Igreja Batista no sábado passado. A cirurgia foi bem-sucedida, mas ele deve ficar alguns dias em casa em repouso.

 

 

Wilmar Sudoski também passou por uma cirurgia na semana passada em Florianópolis.

 

 

 

 

 

 

 

 

LEIS

Divulgação

O deputado estadual Neodi Saretta (foto) solicitou ao presidente da Junta Comercial de Santa Catarina, que as publicações ordenadas por lei, dos atos governamentais ou de empresas e entidades devidamente registradas na Junta, possam ser feitas, também, em jornais online.

 

 

 

Saretta explica que muitos jornais estão migrando para publicações online, desta forma é importante que as publicações legais passem a ser feitas, inclusive, nesses meios de comunicação digital. “Essa medida é importante, já que vai contemplar os jornais que estão seguindo uma tendência mundial em comunicação migrando para o meio digital. Desta forma, nós também precisamos nos modernizar para acompanhar o que já vem acontecendo em outros estados” conclui o deputado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CICLONE BOMBA

A deputada Ada de Luca (MDB) mostrou preocupação com a lentidão da resposta do estado aos atingidos pelo ciclone bomba.

 

 

 

“Recebemos a visita do presidente, mas vimos pouca movimentação por parte do governo, até agora tem muita gente sem energia, temos previsão de chuva com muitas casas destelhadas”, lamentou Ada, que sugeriu liberação dos recursos do FGTS para os atingidos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CONVOCADOS

O secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, e o secretário interino da Casa Civil, Juliano Chiodelli, foram convocados a participar da reunião da Comissão de Finanças e Tributação no próximo dia 15, no Plenário da Assembleia Legislativa. A decisão unânime foi tomada na manhã desta quarta-feira pelos integrantes do colegiado, que desejam tratar de leis ainda não regulamentadas e das emendas impositivas.

 

 

 

 

 

 

100,6%

foi o aumento nas vendas do setor de vestuário em maio em relação a abril

 

 

 

 

 

 

 

MAIS DOIS

O secretário de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa de Santa Catarina, Leandro Antônio Soares Lima, que visitou Canoinhas na semana passada, testou positivo para covid-19. Quem teve contato com ele em Canoinhas está sendo avisado.

 

 

 

 

O secretário de Articulação Nacional de Santa Catarina, Lucas Esmeraldino, também testou positivo para o novo coronavírus.

 





Deixe seu comentário: