Deinfra dá início a operação tapa-buracos na rodovia SC-477

Situação da rodovia/Arquivo

Promessa do Governo é de 60 toneladas de massa asfáltica

 

 

SC-477

Conforme a coluna adiantou ontem, o Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra) começou nesta segunda-feira, 6, a tapar buracos da rodovia SC-477. A promessa do governo é de 60 toneladas de massa asfáltica só para a rodovia. Nesta quarta-feira, 8, devem começar as roçadas nas margens da rodovia. A promessa é da  coordenadora do Deinfra para o Norte, Andreia Roveda.


 

 

Mesmo com a operação, está mantida a terceira manifestação pela recuperação total da rodovia. Deve acontecer neste sábado, 11, a partir das 15 horas. No sábado passado a rodovia foi interditada por uma hora. Desta vez, deve ser fechada por duas horas.

 

 

 

TERRENO DA UNC

A pedido do vereador Paulinho Basilio (MDB), os demais vereadores retiraram de pauta a segunda votação do projeto de lei que retoma o terreno hoje ocupado pela Universidade do Contestado (UnC) na esquina entre as ruas Getúlio Vargas e Coronel Albuquerque. Para os vereadores o local é subutilizado pela UnC.

 

 

A retirada do projeto de votação se deve ao fato de a reitora da UnC, Solange Sprandel da Silva, não poder participar de reunião das comissões para discutir a reversão do terreno. Solange se comprometeu a conversar com os vereadores nesta terça-feira, 7.

 

 

 

 

BUEIRO INTELIGENTE

Veto a um dos artigos do projeto de lei que visa a implementação de bueiros inteligentes em Canoinhas provocou discussão na Câmara nesta segunda-feira, 6. A vereadora Camila Lima (MDB) deu a entender que o projeto inteiro iria para o lixo, mas não foi bem assim.

 

 

Prefeito Beto Passos (PSD) vetou um dos artigos do projeto, que obrigava novos loteamentos a implementar o sistema.

 

 

Votaram pela manutenção do artigo, além de Camila, Telma Bley e Paulinho Basilio.

 

 

 

EMPREENDEDORISMO

Parecer do Conselho Municipal de Educação foi decisivo para o veto ao projeto de lei que visava a implementação de Empreendedorismo na carga horária das escolas de ensino fundamental do Município.

 

A justificativa é a necessidade de aguardar a implementação da Base Nacional Comum Curricular.

 

 

Autor do projeto, Coronel Mario Erzinger (PR) aceitou a recomendação e sugeriu aos colegas a manutenção o veto.

 

 

Paulo Glinski (PSD) votou por manter o veto, mas lembrou que aguardar estudos de Florianópolis ou Brasília representa uma espera de anos. “Tem coisas que podemos fazer por aqui, depender de Florianópolis ou Brasília é esperar nossos netos verem as mudanças”, pontuou.

 



 

Vereadora Norma Pereira (PSDB) também se mostrou contrariada com o veto. Lembrou que há muitos jovens sem perspectiva de futuro em Canoinhas, o que os leva a pensar em deixar a cidade assim que possível. Para ela, a disciplina poderia ajudar a mudar essa realidade.

 

 

O veto acabou mantido por oito votos. Somente Camila votou pela derrubada.

 

 

 

 

“Parece que o Governo Federal quer alienar as crianças”

Da vereadora Camila Lima (MDB) sobre o parecer do veto ao projeto de lei que implementa o empreendedorismo na grade curricular das escolas de ensino fundamental

 

 

 

FALTOU SENTIDO

Vereador Wilmar Sudoski (PSD) está se especializando em falar muito sem dizer nada. Ontem ao votar pela manutenção do veto ao projeto de lei que cria empreendedorismo como disciplina transversal nas escolas de ensino fundamental chegou a dizer que o projeto é muito importante, mas para o futuro (!). Disse ainda que o projeto deve voltar à pauta “daqui a pouco, senão neste ano, mas com certeza ainda neste ano (a contradição é dele mesmo)” (!). Oras, pois se o projeto é tão bom assim, porque o veto não foi derrubado já? Ao falar que o projeto é importante para o futuro, o vereador deixa no ar várias dúvidas. Por que empreendedorismo é importante só no futuro? Por que não pode ser implementado agora? Mistério.

 

 

 

 

PESQUISA NA ESCOLA

Nesta quarta-feira, 8, técnicos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de Canoinhas estarão na Escola Gertrudes Muller para fazer a Pesquisa Nacional de Saúde Escolar.

 

 

A pesquisa permite conhecer e dimensionar os fatores de risco e proteção à saúde dos adolescentes. Ela é realizada por amostragem, utilizando como referência para seleção o cadastro das escolas públicas e privadas do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

 

 

A pesquisa fornece informações sobre as características básicas da população de estudo, incluindo aspectos socioeconômicos, como escolaridade dos pais, inserção no mercado de trabalho e posse de bens e serviços; contextos social e familiar; fatores de risco comportamentais relacionados a hábitos alimentares, sedentarismo, tabagismo, consumo de álcool e outras drogas; saúde sexual e reprodutiva; exposição a acidentes e violências; hábitos de higiene; saúde bucal; saúde mental; e percepção da imagem corporal, entre outros tópicos.

 

 

Características do ambiente escolar e do entorno são também contempladas, incluindo informações relacionadas à infraestrutura disponível para alimentação e atividade física; acessibilidade; saneamento básico; existência de regras e normas de conduta adotadas pelas escolas; políticas de assistência à saúde; e nível de segurança do entorno, entre outros aspectos.

 

 

INFELIZ

Com hospitais filantrópicos passando necessidades pelo absoluto descaso do Estado, que só no caso do Hospital Santa Cruz de Canoinhas deve R$ 1 milhão, o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) resolveu soltar uma gracinha. Depois de culpar as gestões anteriores pelo ocaso dos hospitais filantrópicos, disse que para mudar esse quadro, os hospitais que quiserem recursos públicos terão que mostrar o que produzem e entregam para pleitear o investimento.

 

 

Oras, hospitais não produzem nada, mas salvam vidas. Se para justificar uma dívida o governador recorrer ao expediente de culpabilizar os hospitais, é melhor ficar quieto.

 

 

Deixe seu comentário: