Declarações de Weinert minam possibilidade de coligação entre MDB e PSD

O ex-prefeito Leoberto Weinert/Marcelo Tolentino

Fala contrária a concessão de benefícios aos servidores públicos deve ser usada por Beto Passos na campanha

 

TRINCHEIRA DELIMITADA

A entrevista concedida por Leoberto Weinert e Paulinho Basilio à coluna de sábado, 26, delimitou a trincheira entre MDB e PSD em Canoinhas para a próxima eleição. Enquanto Basilio tentou amenizar o discurso, suavizando as palavras, Weinert, ao estilo que lhe é peculiar, soltou os cachorros na atual administração. Sua fala trouxe consequências imediatas à campanha pela prefeitura.

 

 

 

Oficialmente, prefeito Beto Passos não quis se pronunciar. Nos bastidores, no entanto, fala-se que ele vai usar a entrevista na campanha pela reeleição. Especialmente o trecho em que Weinert se mostra contrário à concessão de triênio a servidores públicos concursados a partir de 2008. Será mamão com açúcar, na sua visão, colocar o valioso contingente de servidores públicos contra o adversário.

 

 

 

A palavra “adversário” pode soar forte para falar sobre a relação, considerando que até a semana passada Basilio flertava com Passos nas conversas sobre eleição. Weinert, porém, é o grande influenciador do partido. Por mais que a decisão pertença ao diretório do MDB, sua palavra pesa muito. Basilio, por sua vez, não ousaria negociar nada se não tivesse o aval do ex-prefeito.

 

 

Weinert demonstra, também, que embora não se coloque oficialmente como pré-candidato, está antenado em tudo que está acontecendo e reprova boa parte das ações de Passos, o que inevitavelmente desperta nele o desejo de voltar. Emedebistas de cruz na testa já avaliam: só temos reais chances se Leoberto for o candidato. A conferir.

 

 

 

 

 

 

 

 

ACD

Vereadores de Três Barras aprovaram projeto de lei que garante recursos, ainda em 2019, para a Associação Catarinense de Deficiente (ACD). O texto tramitou em regime de urgência e foi liberado em sessão extraordinária realizada na segunda-feira, 21, logo após a sessão deliberativa normal do regimento interno. O parecer teve voto favorável de todos os vereadores presentes.

 

 

O valor do repasse autorizado é de R$ 15 mil, pagos em parcela única ou parcelada, ficando a critério do executivo a decisão. Os recursos são destinados a cobrir as despesas com pessoal e encargos sociais, além de demais materiais e serviços que concorram para manutenção das atividades da referida entidade.

 

 

 

SAMU

Divulgação

Vereadora Norma Pereira (PSDB) está preocupada com rumores de que o Serviço Móvel de Urgência (Samu) estaria deixando Canoinhas. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, não há nada de oficial nesse sentido e os recursos estão sendo repassados normalmente. “Até segunda ordem da Secretaria de Estado da Saúde de SC, principal responsável pela regulação deste serviço, e/ou do Ministério da Saúde, considerando que se trata de um componente da Política Nacional de Atenção às Urgências, o serviço será mantido com financiamento tripartite, de forma integral, com alojamento, servidores 24h, refeições, uniformes, combustível e manutenção dos veículos”, diz resposta a requerimento da vereadora.

 

 

 

 

36%

foi o aumento de internações de crianças por causa de transtornos mentais

 

 

 

PALAVRA DE ESPECIALISTAS 

Especialistas defenderam o exame na semana passada. Na opinião da maioria dos especialistas ouvidos pela comissão especial que analisa as mudanças no Código Brasileiro de Trânsito, a realização do exame ajuda a salvar vidas e é fator de redução de risco para condutores de veículos, passageiros e pedestres.

 

Projeto de Lei apresentado pelo Poder Executivo propõe mudanças em alguns pontos do código, podendo torná-lo menos rigoroso. Apenas o representante do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Luiz Pazetti, relativizou a eficiência do exame laboratorial, que analisa cabelos ou pelos de motoristas com carteira profissional para apontar se houve uso de drogas nos últimos seis meses.

 

 

 

 

32,2 mil dólares

é quanto cada trabalhador brasileiro deve produzir em 2019; em Singapura esse valor é de US$ 153,1

 

 

 

 

 

IMPROBIDADE

A Câmara dos Deputados e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) discutem, em frentes distintas, alterações na Lei de Improbidade Administrativa que limitariam as punições em casos em que houve danos aos cofres públicos. 

 

 

 

O projeto tem como objetivo evitar punições a servidores e políticos quando não se comprova a intenção de enriquecer ou de lesar o patrimônio público. Essa possibilidade já foi alvo de críticas de juristas.

 

 

 

 

 

QUANTO CUSTA

A tão discutida representação diplomática do Brasil em Washington custa a bagatela de R$ 1 milhão por mês para os cofres públicos, conforme revelou Lauro Jardim ontem em sua coluna no jornal O Globo.

 

 

 

 

BOLSONARO LIGHT

Foi assim que a revista Veja se referiu ao governador catarinense Carlos Moisés (PSL) em reportagem publicada na sua edição mais recente. A matéria destaca o que já chamou a atenção do Estadão e da Folha: o perfil dissociado do radicalismo bolsonarista.

 

 

 

 

“Não me refiro a eles e espero que nunca se refiram a mim”

do governador Carlos Moisés à Veja, sobre o clã Bolsonaro




Deixe seu comentário: