Dark dá um nó na cabeça, mas, bem pensado, fecha ciclo sem pontas soltas


Netflix/Divulgação

Série alemã exige colocar a cabeça pra funcionar, mas vale a pena o esforço

 

 

 

INTRIGANTE

A primeira série intrigante a me deixar encafifado foi Lost. Quem percorreu as seis temporadas da série estadunidense exibida de 2005 a 2010 – sedento da catártica informação, afinal, qual o mistério? – deu com os burros n’água e ficou com raiva de si mesmo por ter perdido tanto tempo. O fecho – todos estavam mortos –  até era interessante, porém, como explicar tantas incongruências ao longo da história? As pontas soltas foram muitas.

 

 

 

 

A diversidade do catálogo da Netflix, felizmente, como já festejamos aqui várias vezes, nos mostra que há algo muito além do feijão com arroz que os estadunidenses nos enfiam goela abaixo. A série alemã Dark é prova disso. De dar nó na cabeça, entre tantas idas e vindas no tempo-espaço, ao longo de três temporadas enxutas, desvela um nó que, atire a primeira pedra quem não ficou confuso.

 

 

 

São quatro famílias – Kahnwald, Nielsen, Doppler e Tiedemann – que moram na pequena Winden, que tem em uma usina nuclear a base de sua economia. O desaparecimento de duas crianças nos arredores da usina mobiliza a comunidade. Para nossa surpresa, eles aparecem no passado, um deles 33 anos antes. A partir daí se desenrola a complexa história.

 

 

 

 

Segredos familiares começam a emergir à medida que a polícia investiga os sumiços e logo percebe uma relação com eventos também sombrios do passado. O tempo e o espaço parecem se embaralhar cada vez mais, deflagrando uma série de tragédias que, curiosamente, se repete a cada geração.

 

 

 

Dark é um exemplo de respeito a inteligência do público. Por mais fantástica que seja a trama, ela não tira pé da realidade. Há esforço dos roteiristas em criar empatia com o espectador, com citações relacionadas ao desejo, livre arbítrio, a gênese do mundo, enfim, a tentativa de conectar os sentimentos dos personagens com o espectador já vale uma olhada. O final traz um fecho decente que honra todas as três temporadas (disponíveis na Netflix).

 





Deixe seu comentário: