Crescimento da renda no campo, estudantes negros e cai pela metade inadimplência de empresas em destaque nesta segunda


José Medeiros/Sudeco

23 de novembro de 2020

 

 

Folha de S.Paulo

Estudantes negros são só 10% na rede privada de SP

Apenas um em cada dez alunos de escolas privadas na cidade de São Paulo é negro.

O desequilíbrio ocorre mesmo em distritos onde a fatia de estudantes pretos e pardos é alta. No Itaim Paulista, por exemplo, crianças e jovens negros somam 49% dos estudantes, mas são apenas 24% dos alunos das instituições particulares locais.

Os cálculos foram feitos pela Folha com base no Censo Escolar de 2019 e consideram apenas as informações de estudantes cuja cor da pele foi informada pelas instituições de ensino. Foram excluídos da amostra estabelecimentos privados conveniados ao governo.

Nesse recorte, 35,7% dos estudantes da capital paulista são negros. Mas a distribuição de alunos pelo tipo de escola está muito longe de espelhar a composição racial da cidade.

Em distritos mais ricos, a desigualdade no acesso a instituições privadas de ensino é, particularmente, marcante.

 

 

 

 

 

  • Beto sofreu asfixia por 4 minutos ante 15 pessoas
  • Agendas de Covas na campanha e no cargo contrastam
  • Sob Boulos, MTST invadiu áreas de proteção ambiental
  • Centrão avança em cidade que recebe mais auxílio emergencial

 

 

 

 

 

 

O Estado de S.Paulo

Puxada por demanda e câmbio, renda no campo cresce 37%

Os agricultores brasileiros devem embolsar R$ 347,2 bilhões com a venda das safras de soja, milho, trigo e outros produtos, um crescimento de 37,4% em relação ao ano passado. O número coloca o setor em uma espécie de “realidade paralela”, enquanto indústria, varejo e serviços tentam se recuperar das perdas sofridas com a pandemia. O bom desempenho é puxado pela produção recorde de mais de 250 milhões de toneladas, aliada à demanda externa, e, principalmente, pela desvalorização de mais de 30% do câmbio no ano. Fortes na produção de soja e milho, Paraná, Goiás e Mato Grosso registram os maiores avanços nas receitas – com quebra da safra, o Rio Grande do Sul ficou na lanterna. A riqueza vinda do campo movimenta ainda a economia de cidades do interior do País. Um dos efeitos é a geração de empregos. Levantamento mostra que, dos cem municípios em que foram abertos mais postos de trabalho até setembro, 26 estão nos três Estados com mais receita agrícola.

 

 

 

 

 

 

 

  • Lei de Acesso não ‘pega’ nas prefeituras do Estado de SP
  • Brasil publica mais estudos sobre covid do que Suíça e Japão
  • BID vai investir US$ 1,2 bi no Brasil em segurança pública

 

 

 

 

 

 

O Globo

Inadimplência de empresas cai pela metade

 

 

 

 

  • No G20, Bolsonaro diz preservar o meio ambiente
  • Polícia abre nova frente no caso João Alberto

 





Deixe seu comentário: