Corinthians e Botafogo empatam em partida de muitos gols e polêmica


Vitor Silva/Botafogo

Mais cedo o Flamengo derrotou o Fortaleza por 2 a 1 no Maracanã

 

 

 

Não foi dessa vez. Desde 2012 sem derrotar o Corinthians fora de casa, o Botafogo vencia por 2 a 1 até os 47 minutos do segundo tempo, quando Jô empatou para o Timão. O duelo válido pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro marcou a “estreia” da Neo Química Arena, antiga Arena Itaquera, e teve muitos gols e polêmica.

 

 

 

O primeiro lance controverso ocorreu aos 11 minutos de jogo. Fagner tentou lançamento para Gustavo Mosquito. O atacante caiu na área e o árbitro Rafael Traci marcou pênalti de Marcelo Benevenuto. Sem intervenção do VAR, e com muita reclamação do time do Botafogo, Fagner bateu com perfeição no canto direito de Gatito Fernández para abrir o placar.

 

 

 

O Botafogo reagiu. Aos 21 minutos, Guilherme tentou cruzar e a bola bateu no braço de Fagner. Quando todos esperavam a bola alçada na área, Bruno Nazário bateu direto para o gol, de perna esquerda, surpreendendo Cássio. Falha ou golaço? Um pouco dos dois.

 

 

O Corinthians voltou bem melhor no segundo tempo e passou a dominar o Botafogo, mas sempre errava no último toque. Em um contra-ataque, o Glorioso virou o jogo. Kalou recebeu no meio de campo, tabelou com Rhuan, driblou Danilo Avelar e chutou de perna direita, rasteiro, para marcar o segundo.

 

 

 

No lance seguinte o Corinthians empatou, mas o gol não valeu. Fagner cruzou e Otero cabeceou para o fundo das redes. O VAR foi acionado e viu falta de Jô em cima de Marcelo Benevenuto.

 

 

 

O Botafogo recuou demais no fim da partida para segurar a vitória e acabou sofrendo o empate. Aos 47 minutos, Léo Natel e Fagner fizeram boa jogada pela direita e o lateral tocou rasteiro para Jô finalizar e deixar tudo igual.

 

 

 

 

Com o resultado, o Botafogo chegou a oito pontos e enfrenta o Athletico na próxima quarta-feira (9), às 19h30, na Arena da Baixada, em Curitiba (PR). O Corinthians agora soma nove pontos e tem pela frente o clássico com o Palmeiras, quinta-feira (10), às 19h15, na Neo Química Arena, em São Paulo.

 

 

 

 

Confira AQUI a tabela de classificação da Série A do Brasileirão.

 

 

 

 

Flamengo vence a terceira seguida

Mais cedo, o Rubro-Negro carioca derrotou o Fortaleza por 2 a 1 no Maracanã e, provisoriamente, assumiu a vice-liderança da Série A, com 14 pontos. Já o Fortaleza, do técnico Rogério Ceni, segue em décimo lugar, com oito pontos.

 

 

 

 

O primeiro tempo foi o mais disputado do jogo, com predominância do Flamengo. Aos dez minutos, Éverton Ribeiro brilhou mais uma vez com um golaço que abriu o marcados para o time carioca. Mas oito minutos depois, o volante Juninho, de pênalti, deixou tudo igual no Maraca. Na volta do intervalo, o técnico Domènec Torrent acionou Gabigol, que entrou no lugar do atacante Pedro. E foi o artilheiro rubro-negro que definiu a partida aos 41 do segundo tempo.

 

 

 

 

 

São Paulo derrota Fluminense e retoma vice-liderança

Com boa atuação no segundo tempo, o São Paulo virou para cima do Fluminense e saiu do Morumbi com a vitória por 3 a 1. A vitória trouxe ao Tricolor paulista a vice-liderança do Campeonato Brasileiro, com 16 pontos, e está a apenas um do líder, o Internacional. Já o tricolor carioca permanece com 11 pontos e ficou longe do G4.

 

 

 

O Fluminense foi melhor na primeira etapa. A equipe de Odair Hellmann teve mais posse de bola e dificultava a saída do São Paulo. Mesmo com o domínio dos cariocas, o primeiro lance perigoso foi dos donos da casa. Aos dez minutos, Reinaldo cruzou da esquerda e a bola sobrou para Igor Vinícius. O lateral arriscou, mas o chute foi para fora. O Flu respondeu cinco minutos depois. Nenê apareceu pela esquerda e soltou a bomba para Tiago Volpi salvar o São Paulo.

 

 

 

Aos 36 minutos, Paulinho Bóia finalizou de fora da área e a bola passou com perigo. O gol do Fluminense saiu dois minutos depois. O goleiro Marcos Felipe deu um chutão para frente. Igor Vinícius tinha tudo para dominar a bola, mas acabou se atrapalhando sozinho. Wellington Silva aproveitou o erro e soltou um foguete no canto direito de Volpi para abrir o placar.

 

 

 

No segundo tempo, o técnico Fernando Diniz fez três alterações. Igor Vinícius saiu para a entrada de Juanfran, Hernanes foi substituído por Igor Gomes e Brenner entrou no lugar de Paulinho Bóia. Em apenas oito minutos, o São Paulo virou.

 

 

 

Aos quatro minutos do segundo tempo, Igor Gomes cobrou escanteio pela esquerda, Léo desviou e Brenner apareceu na pequena área para completar. O Fluminense sentiu o gol e a virada não demorou. Aos oito minutos, Brenner fez bela jogada pelo meio e chutou na saída de Marcos Felipe. A bola bateu na trave direita do goleiro e sobrou para Luciano fazer o segundo.

 

 

 

Mesmo sofrendo a virada, o Fluminense não conseguiu se recuperar no jogo. O São Paulo teve chances de ampliar durante o restante do segundo tempo, mas só fez o terceiro aos 46 minutos. Vitor Bueno reclamou de falta no meio, e o árbitro mandou seguir. O camisa 12 então resolveu arriscar o chute de fora da área e fez um belo gol. Aos 49 minutos, o tricolor paulista poderia ter ampliado, mas Brenner perdeu grande contra-ataque.

 

 

 

Na próxima rodada, o São Paulo recebe o Bragantino, na próxima quarta-feira, 9, às 19h15 (horário de Brasília), no Morumbi. Já o Fluminense pega o Flamengo, também na quarta, às 21h30,no Maracanã.

 

 

 

 

 

Bahia empata com Inter no Beira-Rio

Quatro dias após Roger Machado deixar o comando do  Bahia, o Tricolor arrancou um empate nos acréscimos contra o líder Internacional, por 2 a 2, resultado que teve gosto de vitória para o Esquadrão. O Colorado segue na liderança, com 17 pontos, mas agora tem somente um ponto de vantagem para o vice São Paulo, com 16. Já o Tricolor baiano, com um jogo a menos, está em 11º lugar, com nove pontos. O time foi comandado Cláudio Prates, auxiliar fixo do clube baiano, que assumiu interinamente como técnico.

 

 

 

O Esquadrão  abriu o placar no estádio Beira Rio, em Porto Alegre (RS), ao 19 minutos, com um golaço de Rodriguinho. O jogador se livrou da marcação de Boschilla antes de mandar um belo chute colocado. Os donos da casa empataram aos 27 minutos. A jogada começou com Juninho, que tentou sair do campo de defesa com um chutão. Após desvio, D’’Alessandro dominou e tocou pra Thiago Galhardo cruzar na medida para Patrick escorar para o fundo da rede, e igualar o placar.

 

 

 

A disputa no segundo tempo foi bem mais acirrada. Aos 12 minutos, o volante Ronaldo se atrapalhou na saída de bola e, ao tentar recuperá-la, derrubou Thiago Galhardo. Na cobrança de falta de D’Alessandro, quem brilhou  foi o terceiro goleiro do Bahia,  Matheus Clauss, que estreou neste domingo, 6, já fazendo uma defesa espetacular. Aos 18 minutos, veio o lance polêmico da partida: após cruzamento de D’Alesasandro na área, Cuesta subiu e depois caiu. O juiz Bráulio da Silva Machado assinalou pênalti do volante Gregore em cima de Cuesta. Mas o VAR se comunicou com o juiz, que reviu o lance no monitor, mas mesmo assim, confirmou a marcação do pênalti. Thiago Galhardo, artilheiro do Brasileirão, cobrou bem e pôs o Inter na frente no Beira Rio. Foi o oitavo gol dele no campeonato. O vice-líder na artilharia do Brasileirão é Gabigol, atacante do Flamengo, com seis.

 

 

 

 

 

A partir daí, o Colorado botou pressão e até teve chances de ampliar. Mas foi o Tricolor baiano, já nos acréscimos, que balançou a rede, devido a um pênalti de Rodnei em cima de Élber, atacante do Bahia, que não estava com a bola. O juiz assinalou o pênalti, e com o auxílio do VAR, confirmou a penalidade. Claisson, que entrou 15 minutos antes do fim, cobrou e arrancou  o empate para o Bahia. Motivado, o Esquadrão ainda teve chance de ampliar, no cabeceio de de Ernando, mas o goleiro Abel Hernádez salvou a meta do Colorado.

 

 

 

 

 

Virada do Palmeiras sobre o Bragantino

Gabriel Veron, de 18 anos recém-completados, foi o protagonista neste domingo da vitória do Palmeiras sobre o Red Bull Bragantino, por 2 a 1, pela oitava rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. O jovem atacante, que não atuava há seis meses, devido a uma grave lesão muscular, saiu do banco para marcar um gol e dar o passe para outro, já nos acréscimos.

 

 

 

Com os três pontos conquistados no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP), o Verdão foi a 13 pontos, subiu para a quarta posição na tabela e ganhou moral para o clássico diante do Corinthians, na próxima quinta-feira (10), às 19h15 (horário de Brasília), na Neo Química Arena. O Bragantino, com o recém-contratado Maurício Barbieri no comando da equipe, segue com seis pontos, na 18ª colocação, na zona de rebaixamento. O time do interior paulista visita o São Paulo na quarta-feira, 9, também às 19h15.

 

 

A temperatura de 29ºC e a baixa umidade em Bragança Paulista (SP) impactaram o rendimento em campo no primeiro tempo. A melhor chegada do Palmeiras foi em uma cobrança de falta do meia Zé Rafael, que raspou a trave do Bragantino, aos 38 minutos. O Massa Bruta respondeu no lance seguinte, em chute de Artur, ex-atacante do próprio Verdão, da entrada da área, que passou ao lado do gol.

 

 

 

 

A etapa final começou mais animada. Aos três minutos, após cruzamento do meia Gabriel Menino, Matías Viña desviou de cabeça para as redes, mas a arbitragem viu impedimento do lateral do Palmeiras. Cinco minutos depois, o Bragantino abriu o marcador no Nabi Abi Chedid, O atacante Claudinho bateu da entrada da área, a bola desviou no zagueiro Gustavo Gómez e encobriu o goleiro Weverton.

 

 

 

 

Aos 20 minutos, com o Verdão perdido em campo, Vanderlei Luxemburgo mexeu no time. O técnico substituiu o defensor Mayke pelo atacante William, puxando Gabriel Menino para a lateral direita. Trocou, também, o atacante Wesley por Gabriel Veron. As mudanças funcionaram. Três minutos depois, Menino recebeu na direita, cruzou na medida para Veron, de cabeça, deixar tudo igual.

 

 

A virada do Palmeiras saiu nos acréscimos, novamente, com a participação do banco de reservas. Aos 48 minutos, o meia Raphael Veiga – que entrou no lugar de Lucas Lima – lançou Gabriel Veron, que deixou William livre, e sem goleiro, garantiu a vitória alviverde.

 

 

 

 

 

 

Show de expulsões

No sábado, 5, o Santos foi à Arena Castelão, em Fortaleza, e superou o Ceará por 1 a 0. A vitória teve a marca de dois ex-jogadores do Vozão. Logo aos oito minutos, o atacante Marinho fez boa jogada pela direita e cruzou. A bola passou por toda a área e sobrou para o lateral Felipe Jonathan, que dominou na esquerda e bateu cruzado, no canto do goleiro Fernando Prass.

 

 

 

A segunda etapa foi marcada por muitas expulsões. Após uma falta do lateral Samuel Xavier sobre Marinho, o zagueiro santista Luan Peres foi reclamar com o defensor do Ceará. Resultado: Luan e Samuel foram colocados para fora. O lateral cearense Bruno Pacheco e o volante Alison, do Peixe, também deixaram o jogo. Depois do apito final, o técnico Guto Ferreira e o meia Leandro Carvalho, ambos do Vozão, foram reclamar com a arbitragem e receberam o vermelho.





Deixe seu comentário: