Conselho pede destituição do prefeito de Major Vieira como presidente da Fecam


Orildo Severgnini assumiu recentemente como presidente da Fecam/Divulgação

Orildo Severgnini foi alvo da operação Et Pater Filium

 

 

 

PEDIDO

A operação Et Pater Filium continua provocando dissabores ao prefeito de Major Vieira, Orildo Severgnini (MDB). Segundo o jornalista Prisco Paraíso, os cinco integrantes do Conselho que formam a diretoria da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam) entregou ofício a Severgnini, para que ele se afaste do cargo. Na sexta-feira, 31, Severgnini e o filho Marcus Vinícius foram alvos de mandados de busca e apreensão por parte da Coordenadoria de Controle Externo da Atividade Policial e dos Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

 

 

 

 

No ofício, o Conselho Executivo da Fecam reclama que houve grande repercussão da operação a nível nacional e, embora não tenha sido atestada a culpa do prefeito, sua permanência na presidência de um órgão da relevância da Fecam prejudica a imagem da entidade.

 

 

 

 

Quem deve assumir o comando da entidade municipalista no caso de renúncia de Severgnini, segundo o blog de Prisco, é o prefeito de Rodeio, Paulo Roberto Weiss, o Paulinho.

 

 

 

 

 

Procurado, Severgnini não respondeu à coluna. A assessoria da Fecam informou que Severgnini convocou uma reunião com os prefeitos para a próxima terça-feira, 11, às 9 horas, pela plataforma Zoom.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SOBREVIDA

Governador Carlos Moisés (PSL) ganha sobrevida com a liminar judicial que suspende o processo de impeachment na Assembleia, porém, trata-se somente de um fôlego extra que nada tem a ver com o julgamento do recurso.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DISK ENTULHO

Repercutiu nas redes sociais um vídeo que mostra dois funcionários da Secretaria do Meio Ambiente de Canoinhas recolhendo entulhos de um terreno particular com uma carreta da prefeitura. Embora divulgado em tom de denúncia, o serviço é prestado há anos pela prefeitura, mas pouco divulgado por causa da alta demanda. Quem tiver entulhos que a coleta convencional de lixo não leva pode solicitar o serviço para a prefeitura e entrar em uma lista de espera.

 

 

O denunciante diz se tratar de um terreno do prefeito Beto Passos, o que pode ser questionável, contudo, aparentemente, não ilegal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FERRAMENTA

Durante reunião da Comissão de Finanças e Tributação da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), realizada nesta quarta-feira, 5, o Governo do Estado apresentou um aplicativo para acompanhamento das emendas impositivas. A ferramenta está disponível em um link permanente no site da Fazenda.

 

 

 

 

 

 

 

 

PEDÁGIO

O aumento de 44,44% na tarifa de pedágio da BR-101 em Santa Catarina foi muito criticado por quatro deputados – Jair Miotto (PSC), Kennedy Nunes (PSD), Marcius Machado (PL) e Volnei Weber (MDB) – na sessão ordinária desta quinta-feira, 6, da Assembleia Legislativa. O assunto já havia sido abordado na sessão de quarta-feira, 5.

 

 

 

Por unanimidade, o Plenário aprovou a moção de repúdio 358, proposta pelo deputado Felipe Estevão (PSL), encaminhada à direção da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que autorizou o aumento, elevando a tarifa de R$ 2,70 para R$ 3,90.

 

 

 

 

O Tribunal de Contas da União impugnou nesta quarta parte do valor do reajuste do pedágio ao consórcio Arteris.

 

 

 

A Arteris, inadimplente, justificou o aumento com base na obra do contorno viário que deveria ser entregue em 2012. Até hoje só promessas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ALERTA

O Município de Canoinhas estabeleceu regime de plantão de segunda a sexta-feira das 7 às 22 horas e sobreaviso nos sábados e domingos, conforme escala, dos agentes fiscais da Vigilância Sanitária, a fim de fazerem valer as regras de higiene necessárias para o combate à covid-19.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CONCURSO

A Comissão de Finanças e Tributação apresentou, na manhã desta quarta-feira, 5, parecer pela admissibilidade ao Projeto de Lei Complementar (PLC) 30/2019, que visa estabelecer novo regramento na realização de concurso público para ingresso na carreira de delegado de polícia.

 

 

 

A proposta, de autoria do governo do estado, estabelece o cargo como privativo a bacharéis de Direito, exigindo também dos candidatos experiência mínima de três anos de atividade jurídica ou policial. Também busca assegurar a participação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em todas as etapas do certame.

 

 

 

 

De acordo com relator do projeto, deputado Marcos Vieira (PSDB), já existe uma lei aprovada neste sentido, mas é de autoria parlamentar e poderia ser contestada judicialmente sob o argumento de invasão da competência exclusiva do Poder Executivo, razão do envio do texto governamental.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

R$ 498 bilhões

é o valor estimado para a universalização do saneamento básico no Brasil





Deixe seu comentário: