Conclusões de CPI fecham o cerco sobre o governador Carlos Moisés


Moisés e a vice, Daniela: ambos na mira do impeachment/Julio Cavalheiro/Secom

Governador enfrenta várias frentes de pressão

 

 

PÁ DE CAL

Não está nem um pouco fácil a situação do governados Carlos Moisés (PSL). Com o processo de impeachment correndo a todo vapor na Assembleia Legislativa, ontem os deputados estaduais leram o relatório de 115 páginas da CPI dos Respiradores. Culparam o governador e surpreenderam zero pessoas. A Assembleia parece decidida a defenestrar Moisés do Governo e mandar junto a vice Daniela Reinehr para garantir que a “nova política” não volte tão cedo. Dado o fato de não haver santos na Assembleia, essa determinação inspira cuidados, porém, é impossível não admitir que Moisés se envolveu em uma tremenda lambança com a compra dos 200 respiradores ao custo de R$ 33 milhões pagos à vista e antes do recebimento do produto.

 

 

 

 

Em um dos raros momentos em que se pronunciou sobre a compra, Moisés falou em “momento de desespero”, o que remete a uma admissão de incompetência. Ora, bons líderes são reconhecidos por seu comportamento diante de adversidades. Administrar quando tudo vai bem corresponde a dirigir um carro autônomo.

 

 

 

 

Moisés falhou e falhou feio no teste, provocando um prejuízo de R$ 33 milhões ao Estado. Sem controle sobre a equipe (no caso de ele ser totalmente inocente) ou por absoluta incompetência (no caso de ter participado da compra), Moisés colhe agora o custo pela desastrosa operação. Somado à soberba com que tratou os deputados estaduais (podem ser inescrupulosos, oportunistas e seja lá o que mais for, mas têm votos), provocou a tempestade perfeita para seu governo. Julio Garcia (PSD), presidente da Alesc, deu a deixa em entrevista ao jornalista Upiara Boschi: “Falta humildade ao governo. O governo precisa fazer sua autocrítica se desejar fazer as mudanças necessárias. Aquela arrogância da nova política tem que ser deixada de lado.” Mas a grande pergunta é: dá tempo de reverter o impeachment?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CONTROLE INTERNO

Além de aprovar, por unanimidade, o relatório final da investigação da compra dos 200 respiradores artificiais, os membros da comissão parlamentar de inquérito (CPI) apresentaram uma série de recomendações para o Poder Executivo estadual, com o objetivo de fortalecer o controle interno e a fiscalização das compras do Estado e evitar futuras licitações fraudulentas.

 

 

 

 

 

Para isso, os membros da CPI recomendaram ao Executivo o envio do projeto de lei que disciplina a organização e o funcionamento da CGE, como prevê a lei que instituiu a reforma administrativa do governo estadual, aprovada no ano passado. Eles também sugeriram que os cargos estratégicos da controladoria-geral sejam ocupados exclusivamente por servidores públicos efetivos do quadro de auditores do Estado, com formação em Direito. Também recomendaram que o controlador-geral não ocupe cadeiras em conselhos da administração pública, além de inclui-lo como membro do Grupo Gestor do Estado.

 

 

 

 

 

 

 

 

DEVAGAR COM O ANDOR

Vereador Cel Mario Erzinger (PL) chamou a atenção na sessão desta terça-feira, 18, da Câmara de Canoinhas, para o anúncio referente ao avanço no projeto de restauração da SC-477, que liga Canoinhas à BR-116. “O edital aberto é só para a contratação do projeto executivo, não da restauração”, alertou o vereador. A restauração, de fato, não sai neste ano.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NADA CONSTA

Vereador Célio Galeski (PSL) consultou a assessoria do governador Carlos Moisés (PSL) sobre a visita à Canoinhas que ele mesmo confirmou a vereadora Norma Pereira (PSDB) na semana passada. Segundo Galeski, nada consta na agenda do governador sobre Canoinhas. “Tomara que a partir de amanhã possamos ter essa notícia”, acrescentou.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SEDATIVOS

Respondendo a questionamento do vereador Cel Mario Erzinger (PL), a colega Zenici Dreher (PL) reconheceu que o estoque de sedativos ainda inspira preocupação no Hospital Santa Cruz de Canoinhas e que por causa disso cirurgias com anestesia geral estão sendo adiadas dentro da medida do possível. Os sedativos – que estão escassos no mercado e quando encontrados estão a preços exorbitantes – são fundamentais para entubar pacientes graves com covid-19.

 

 

 

 

 

 

 

 

“A situação está mais transparente”

da vereadora Telma Bley, elogiando o trabalho de Reinaldo de Lima Jr à frente da administração do Hospital Santa Cruz de Canoinhas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DESEMBARAÇO

Os três respiradores importados com doações de empresas e a vaquinha virtual para a ala covid do Hospital Santa Cruz já estão em Curitiba.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ERRO DE INTERPRETAÇÃO

 

A Câmara de Vereadores de São Mateus do Sul suspendeu as transmissões das sessões pela internet alegando a legislação eleitoral. A lei, no entanto, veda atos de propaganda político-partidária, nada a ver com votação de projetos e discussão de assuntos de interesse da população. Se algum vereador fizer propaganda eleitoral será punido. Por precaução suspender a atividade é restringir a transparência e favorecer possível conluio. As Câmaras de Canoinhas, Três Barras, Major Vieira e Bela Vista do Toldo mantiveram as transmissões pelo YouTube.

 

 

 

 

 

 

60%

foi a queda na produtividade da Justiça do Trabalho desde o início da pandemia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VITÓRIA

Os shoppings já voltaram a funcionar, mas, na Justiça, lojistas seguem brigando pela redução de encargos no período em que não puderam abrir as portas. Em São Paulo, decisão da 9ª Vara Cível determinou a redução de 33% do valor dos aluguéis mínimos devidos por lojistas do Shopping Interlagos no período de 22 de março a 11 de junho. Nesse intervalo, o shopping estava aberto, mas lojas de segmentos considerados não essenciais, como roupas, produtos de beleza e maquiagens, não tinham autorização para abrir.

 





Deixe seu comentário: