Como Beto, Ivan e Norma chegam para o domingo da eleição


Beto Passos, Norma Pereira e Ivan Krauss em últimos atos de campanha/Divulgação

Candidatos apresentaram ao longo de 45 dias de campanha as armas disponíveis para governar Canoinhas

 

 

 

COMO CHEGAMOS AQUI?

As argumentações que ouvi depois que escrevi sobre o debate de domingo passado com os candidatos a prefeito de Canoinhas me fizeram refletir sobre opinião. Muita gente pensou diferente, com raras exceções, sempre com contraponto a favor do candidato com o qual mais simpatiza. Logo, o eleitor decidido assistiu ao debate sob o viés de confirmação, ou seja, para confirmar seu voto, não para analisar as propostas dos demais concorrentes. Restam, então, os indecisos. E o que eles viram?

 

 

 

Bom, como estamos a poucas horas da eleição, proponho um retrospecto que começa há 45 dias, quando foi aberta a porteira da campanha.

 

 

 

Beto Passos (PSD), indiscutivelmente foi o que mais se preparou para esta eleição. Enquanto Norma Pereira (PSDB) batia cabeça com Paulinho Basilio (MDB) e Ivan Krauss (PRTB) decidia quem seria seu vice, Passos já tinha estruturado três partidos, com seus respectivos 15 candidatos para a Câmara de Vereadores. Isso, claro, o coloca em vantagem, somado ao fato de que ele é um candidato a reeleição. Essa, portanto, é uma eleição plebiscitária. Canoinhas quer ou não continuar com Passos é a pergunta que o eleitor vai responder neste domingo. O que complica o meio de campo é o fato de que não são duas opções como em um plebiscito (como ocorreu em 2016 com os Betos Faria e Passos), mas sim, três opções. Isso pode complicar as coisas para Passos.

 

 

 

 

O debate mostrou uma Norma Pereira titubeante nas respostas e um Ivan Krauss diferente do combativo das redes sociais. Muita gente achou que Norma perdeu com seu nervosismo e Ivan ganhou ao não atacar os concorrentes e focar em propostas. Passos, por sua vez, pregou para convertidos, ou seja, manteve sua base. Mas qual é a base de Passos?

 

 

 

 

Difícil saber se ele manteve os eleitores de 2016. Um descontente aqui e outro acolá são perceptíveis, mas houve um movimento em massa contra ele? Pouco provável, porém, Passos venceu em 2016 com uma diferença de 402 votos em relação a Faria. Para perder esta eleição bastaria pouco mais destes 402 eleitores optarem por Krauss. Refiro-me ao candidato do PRTB porque ele é, efetivamente, a terceira via. Norma representa o retorno do MDB ao poder, logo, computaria boa parte daqueles que votaram em Faria em 2016.

 

 

 

 

Se Krauss foi convincente ao conclamar esse eleitor que não gosta de Passos, mas votou nele por gostar menos ainda do MDB, saberemos neste domingo. O mais curioso ainda, qual porcentagem da população não quer ver mais Passos e o MDB no poder? Há, ainda, claro, aquele eleitor que não simpatiza com o MDB, mas gosta de Norma. A fala dela no debate de que ela e não seu vice governará o Município, foi direcionada a esse eleitor. Destaque-se que quem julgar Norma pelo debate, terá um julgamento prejudicado. Norma é tão simpática quanto Passos no trato com o povo, mas na oratória de palanque Passos ganha vantagem. Nas andanças pelos bairros, centro e interior, Norma conquistou muitos eleitores.

 

 

 

 

O debate, claro, não ditou o destino dos três. Há 45 dias de campanha intensa nas redes sociais que, como era esperado, teve protagonismo, que foi compartilhado, surpreendentemente, com o rádio. Foi do rádio que saíram as rumorosas insinuações de Norma em relação a compra da casa de Passos e onde nasceu a já folclórica “guerra das coxinhas”. Krauss fez questão de destacar, no debate, que não teve tempo de rádio como seus concorrentes, o que o prejudicou, na sua acertada visão.

 

 

 

 

Há, o mais importante, a biografia de cada um. Para Passos, seu histórico de humildade pode ser ofuscado por uma obra que deixou de fazer aqui ou ali, uma rua intransitável ou um desafeto no funcionalismo público. É o risco da tentativa de reeleição. Risco que não corre Krauss, que se apoia nos valores bolsonaristas (deixados de lado na reta final) e em um bom histórico como advogado para conquistar o eleitor. Norma foi vereadora por duas vezes, mas se não se sobressaiu por algum feito extraordinário também não se queimou com o eleitorado.

 

 

 

 

 

 

Como faltam algumas horas para os primeiros votos serem depositados nas urnas, a sorte segue lançada e o sábado será de muita correria para tentar alcançar até o último possível eleitor.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PELAS REDES

As postagens se intensificaram nas últimas horas. Destaque no que foi publicado por Beto Passos (PSD) às visitas ao interior. “Os moradores da região de Serra das Mortes e Barra Mansa reconhecem o trabalho que fizemos. A vida mudou desde que assumimos a SC 120. A estrada estadual não precisou ser mais fechada porque estamos dando condições dignas de tráfego!”

 

 

 

 

Norma Pereira (PSDB) fez uma live nesta sexta-feira, 13. “Conheci melhor essa parceira e todas as faces dela que conheci são admiráveis”, disse seu vice Paulinho Basilio (MDB). “A fila da saúde precisa acabar”, defendeu Norma, que abordou ainda suas propostas para a administração e infraestrutura.

 

 

 

 

 

Já Ivan Krauss (PRTB) postou vídeo agradecendo a todos que o receberam durante a campanha. “Não foi uma campanha de milhões; mas foi um trabalho rico em honestidade, transparência e esperança”, concluiu.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ÚLTIMO ATO

Beto Passos (PSD) fará uma live neste sábado, às 18h, por suas redes sociais.

 

 

 

 

Ivan Krauss (PRTB) disse que vai percorrer as ruas da cidade e conversar com o eleitorado.

 

 

 

Norma Pereira (PSDB) fará visitas no Campo d’Água Verde.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2º ROUND

O ex-prefeito Leoberto Weinert/Marcelo Tolentino

O ex-prefeito Leoberto Weinert (MDB) gravou vídeo defendendo seu legado e atacando o prefeito Beto Passos (PSD), que disse que herdou dívida de R$ 3 milhões em FGTS e Pasep dos governos do MDB. “É incompetência não só do prefeito, mas também de sua equipe”, disparou. Segundo Weinert, a dívida só foi reconhecida pela Justiça no governo Passos, mas durante seu governo a dívida não era reconhecida. “Cuidados com as fake news, eles são especialistas nisso”, disparou o ex-prefeito. “Tem gente que para chegar no dedinho do pé do Leoberto tem que comer muito feijão”, provocou o candidato a vice de Norma, Paulinho Basilio.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NEGADO

Weinert recorreu às redes sociais porque a juíza eleitoral Marilene Granemann de Mello indeferiu o pedido de direito de resposta protocolado pela coligação “Um Novo Caminho”, de Norma Pereira. A sentença foi divulgada nesta quinta-feira, 12.

 

 

 

No programa de rádio de quarta-feira, 11, Passos disse que havia herdado “dívida milionária deixada pela gestão do MDB”. “O Município de Canoinhas terá de arcar com uma dívida de R$ 3,057 milhões de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) não pago durante os anos de 2010 e 2016, durante os governos de Leoberto Weinert e Beto Faria (ambos MDB)”, afirmou.

 

 

 

A coligação reivindicava na justiça direito de resposta à fala de Passos sobre o assunto.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DIANTEIRA

A candidata a prefeita de Lages pelo Cidadania, Carmem Zanotto, lidera pesquisa divulgada nesta sexta, 13, pelo Instituto Mapa, encomendada pela RC7 Serviços de Comunicação. Se ela ganhar a eleição, abre sua vaga na Câmara dos Deputados para Norma Pereira (PSDB), sua primeira suplente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FALANDO EM PESQUISAS

Uma pesquisa com resultado bem diverso do apontado pela encomendada por Luiz Shimoguiri (PSD) e que dá a vitória a Gilson Nagano (PL) deixou o eleitor confuso em Três Barras. A empresa que fez a pesquisa, a Equação Pesquisas Marketing, segundo a oposição, tem pelo menos 15 representações por supostas irregularidades que teriam sido cometidas em outras cidades. Baseada nesse histórico, a campanha de Luiz Shimoguiri questionou a pesquisa na Justiça Eleitoral.

 

 

 

 

 

Nesta sexta circulou rapidamente, mas já foi tirada do ar, pesquisa de intenção de voto para Canoinhas não registrada na Justiça Eleitoral. Quem compartilhou se apressou a tirar do ar quando soube que não havia nenhuma pesquisa com intenção de votos registrada no TRE. Beto Passos (PSD), como a coluna adiantou, encomendou pesquisa, mas optou por não registrá-la. Logo, não poderá divulgá-la.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MULTA

A coligação de Norma Pereira obteve vitória na Justiça contra a campanha de Passos. A representação alega que que coligação de Beto Passos estaria praticando propaganda eleitoral irregular ao autorizar a circulação de carro de som com adesivos no veículo em afronta às dimensões estabelecida pela legislação eleitoral. A juíza eleitoral Marilene Granemanm de Mello reconheceu a propaganda irregular e multou a coligação de Passos em R$ 5 mil. Passos recorreu da decisão.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PREPARATIVOS

A juíza eleitoral Marilene Granemann de Mello e o chefe do cartório eleitoral da comarca de Canoinhas, Fabiano Bilitzki, receberam a imprensa na quarta-feira, 11, para esclarecer dúvidas sobre as eleições municipais deste domingo. Eles destacaram o que muda com a pandemia e a necessidade de se levar caneta e ir com máscara para a votação. Ouça trecho da conversa abaixo:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DEFERIDA

A candidata substituta a vice na chapa de Carmito (DC) em Três Barras, Ana Carolina de Lima (DC) foi deferida pela Justiça Eleitoral nesta sexta-feira, 13.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

REELEIÇÃO

Levantamento publicado pelo jornal Folha de S.Paulo mostra que esta é a eleição com maior número de candidatos a reeleição dos últimos anos.

 

 

 

 

 

 

 

75

municípios brasileiros vivem uma espécie de dinastia partidária. Desde 2000 essas cidades elegeram prefeitos da mesma sigla

 

 

 

 

 

 

 

 





Deixe seu comentário: