Com recorde de candidatos, debate em Três Barras polarizou em Shimoguiri e Nagano


Divulgação

Além de os dois se escolherem como alvos, outros adversários também miraram o prefeito e vice

 

 

 

DEBATE POLARIZADO

A cidade de Bela Vista do Toldo tem o menor número de candidatos a prefeito da comarca. É o contraponto a Três Barras, que tem seis candidatos. A única semelhança entre as duas cidades é que nos dois casos concorrem o atual prefeito contra o atual vice. Quem assistiu aos dois debates viu mais semelhanças que esta. Os quatro candidatos a mais que se apresentam em Três Barras acabaram orbitando entre Luiz Shimoguiri (PSD) e Gilson Nagano (PL).

 

 

 

 

Logo de cara, Carmito (DC) saiu na ofensiva, fazendo críticas contundentes a Shimoguiri, o que o levou a pedir (e ganhar) direito de respondê-lo no bloco seguinte. Foi o prenúncio do que viria no bloco em que os candidatos estão livres para questionar qual dos adversários desejar. Com a possibilidade de escolher o mesmo adversário para fazer os dois questionamentos a que tinham direito, Shimoguiri escolheu pelas duas vezes Nagano e vice-versa. Marco Antonio de Souza (MDB), que parece mais próximo dos dois nas intenções de voto, errou na tática de expor Shimoguiri e Gilson no confronto direto. Ao invés de constrangê-los, deu ainda mais visibilidade a ambos. Edson Rocha (Avante), que parece ter mudado de ideia de quem deveria inquerir, jogou uma pergunta que pareceu ser improvisada para Carmito, que bateu em Gilson e Shimoguiri que pelas regras do debate acabaram tendo de ouvir calados. Foi a única pergunta destinada a um candidato que não era Shimoguiri nem Gilson. Se a tática era levantar a bola para Carmito bater no prefeito e vice sem direito a réplica, funcionou.

 

 

 

 

 

André Neves (PRTB) apostou alto ao criticar uma postura supostamente comunista de Shimoguiri e acabou lhe entregando uma oportunidade de defender a redistribuição de renda, que não é um tema unânime para nenhum dos dois lados, mas tem seus defensores. A pergunta pode funcionar bem para os eleitores de direita que pensam como Neves, mas será que são muitos em Três Barras? Não satisfeito, voltou a questionar Shimoguiri na segunda oportunidade.  O atual prefeito conseguiu se esquivar dos petardos sem cair na discussão agressiva não só no caso de Neves como de todos os outros. Os adversários podem até achar que Shimoguiri foi lacônico ou desviou o assunto, mas em questões constrangedoras o que vale é não deixar o fígado falar.

 

 

 

 

 

A polarização ficou mais evidente quando prefeito e vice debateram. Acabou virando, a exemplo de Bela Vista do Toldo, uma sequência de lamentos e exposição de ressentimentos. Um bom momento para o eleitor julgar quem tem razão na rivalidade que ambos vinham alimentando silenciosamente, exposta em praça pública com o advento da eleição.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MELHORES E PIORES MOMENTOS

André Neves (PRTB)

FOI BEM: Ao fazer uma questão a Shimoguiri sobre critérios para contratações e aproveitar a réplica para demonstrar conhecimento a respeito.

 

FOI MAL: Ao tentar defender seu pensamento liberal acusando Shimoguiri de ser comunista, afirmando que o pensamento favorece a classe política. Somou pontos com os liberais, mas pode ter sido mal interpretado pelos mais vulneráveis socialmente.

 

 

 

 

 

Carmito (DC)

FOI BEM: Fez um discurso contundente criticando não só o atual como governos anteriores. Levantou os comentários na página da transmissão do debate.

FOI MAL: Ao começar atacando Shimoguiri, dando a ele mais um minuto de exposição ao ganhar direito de resposta logo no primeiro bloco.

 

 

 

 

Edson Rocha (Avante)

FOI BEM: Ao mudar o foco das perguntas diretas de Nagano e Shimoguiri, levantando a bola para Carmito criticá-los, sem dar direito a réplica aos dois.

FOI MAL: Ao titubear no questionamento a Nagano, dando ao adversário a chance de desabafar sobre sua relação com Shimoguiri.

 

 

 

 

 

Gilson Nagano (PL)

FOI BEM: Se saiu bem ao responder a questionamento de Marco Antonio sobre qual será seu sistema administrativo caso eleito.

FOI MAL: Ao se perder na resposta a uma pergunta sobre desenvolvimento econômico no segundo bloco.

 

 

 

 

 

 

 

Luiz Shimoguiri (PSD)

FOI BEM: Soube se esquivar de perguntas delicadas como a que pautou sua relação com a atual candidata a vice, Ana Claudia Quege. Shimoguiri era inimigo visceral do marido de Ana, Elói Quege (PP).

FOI MAL: Ao responder sobre o mal desempenho do Município no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) prometendo melhorar a nota, mas sem fazer um mea culpa nem explicar como pretende melhorar o desempenho.

 

 

 

 

 

Marco Antonio Gorguinho (MDB)

FOI BEM: Com bom conhecimento dos problemas da cidade, conseguiu usar o pouco tempo para propor ações concretas no sentido de solucioná-los quando nos blocos de perguntas da produção e do público.

FOI MAL: Ao selecionar Shimoguiri e Nagano para questioná-los no confronto direto. Não soube armar a réplica e acabou dando palanque aos adversários.

 

 

 

 

 

 

 

 

“Não tô dizendo que tem de ser eu (o prefeito)”

Carmito (DC)

 

 

 

 

 

 

 

 

“Eu não sou mágico”

Luiz Shimoguiri (PSD)

 

 

 

 

 

 

 

 

“Não fui um funcionário fantasma”

Gilson Nagano (PL)

 

 

 

 

 

 

 

 

“Quem sofreu na pele a briga de vocês dois não vai esquecer assim tão fácil”

Marco Antonio Gorguinho (MDB), sobre Shimoguiri e Elói Quege

 

 

 

 

 

 

 

“Três Barras tem de ter prefeito que conheça a realidade dos bairros”

Edson Rocha (Avante)

 

 

 

 

 

 

 

“Vamos escolher se vamos trilhar por esse caminho obscuro ou vamos fazer a verdadeira mudança”

André Neves (PRTB)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EXPECTATIVA

O debate deste domingo, 8, a uma semana das eleições, entre os candidatos a prefeito de Canoinhas, tem pelo menos uma incógnita: quem será o alvo de Ivan Krauss (PRTB) ou o candidato vai tentar manipular os adversários unicamente para expor suas propostas?

 

 

 

As redes sociais dão um indício. Krauss tem batido mais em Beto Passos (PSD) do que em Norma Pereira (PSDB). Pode haver uma união entre ele e Norma para bater em Passos, mas pode ser, também, que ele mire em Norma visando eliminá-la da disputa.

 

 

 

Norma, pelo que vem apresentando nos programas de rádio, não vai partir para a ofensiva. Todas as provocações que soltou em seu programa e nas redes sociais saíram da boca do candidato a vice Paulinho Basilio (MDB) ou terceiros.

 

 

 

O comportamento de Passos é mais previsível. Até aqui só bateu quando apanhou. Não deve ser diferente no debate. Se for provocado, vai reagir.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PELAS REDES

Norma Pereira (PSDB) postou vídeo destacando o potencial turístico de Canoinhas. “A Rota das Capelas é um potencial turístico de nossa cidade que precisa ser valorizado. Precisamos melhorar os acessos, as condições e tudo mais que necessite para ressaltar o nosso turismo. Em nosso governo o turismo vai ser SIM valorizado. É nosso compromisso! Confie!”

 

 

 

 

Ivan Krauss (PRTB) postou trecho da entrevista concedida ao JMais na qual fala sobre a pandemia. “Nós já dizíamos lá atrás, que fechar tudo não seria uma solução viável. Os meses comprovaram isso! Nós vamos cuidar desse problema com muita atenção e com muito trabalho de Equipes técnicas. Estudos já estão sendo feitos; tratativas com pessoas ligadas ao setor de saúde e economia pra fazer a contenção dessa situação sem maiores riscos.”

 

 

 

 

Já Beto Passos (PSD) postou vídeo falando sobre suas visitas ao interior. “Estivemos em muitas localidades do nosso interior. Na Encruzilhada, a nossa equipe esteve conosco para registrar o apoio de quem vive no campo, das famílias que reconhecem a transformação de Canoinhas com a nossa gestão. Para o trabalho continuar, vote 55!”





Deixe seu comentário: