Cinco suplentes assumem vagas na Câmara de Vereadores de Major Vieira

Gilberto Havrelhuck

Eles ocuparão os cargos por um mês

 

SUPLENTES

Na noite desta segunda-feira, dia 1º, os suplentes de vereador Cláudio Cesar Gadotti (PP), Osmar Ruthes (PP), Soleima Aparecida de Oliveira (PSD), Solange Valdmann(PP) e Miguel Barbosa (MDB) assumiram o cargo dos titulares. Eles permanecem na Câmara até  30 de abril.

 


Os suplentes foram convocados para assumir as vagas devido aos pedidos de licença dos vereadores Vilma Müller Kiem (PSD), Juraci Allievi (PP), Marcio Veiga (PP), Augustinho Barrankevicz (PP) e Vicente Paulitzki (MDB).

 

 

Ao assumir a vaga, o vereador suplente passa a ocupar o cargo e os encargos do vereador licenciado.

 

 

Na sessão de ontem, o presidente Osni Novak convocou sessão extraordinária para a próxima quarta-feira, 3, às 19 horas, devido ao projeto de lei que estabelece a estrutura e o funcionamento do Conselho Tutelar de Major Vieira. A sessão extraordinária é necessária devido ao prazo que o projeto deve tramitar, pois sábado, 6, termina o prazo para o lançamento do edital das eleições unificadas para conselheiro tutelar, e por isso, o projeto precisa ser analisado antes.

 

 

 

 

INTIMIDAÇÃO

Vereador Nilson Cochask (PR) relatou que vem sofrendo intimidação por causa dos requerimentos solicitando informações sobre as contas do Hospital Santa Cruz de Canoinhas (HSCC).  “Pessoas pediram para que eu parasse por aqui. Queriam saber quem está por trás dos meus pedidos de informação. Existe, e queriam saber, quem está junto comigo nesse requerimento. Tem muita gente junto comigo, é a comunidade. Estou aqui para representar a comunidade, que tanto clama por transparência. Se não tem nada de errado não vejo porque não haver transparência. Não vou parar. Não adianta virem atrás de mim. Não sou de voltar atrás do que começo a fazer”, desabafou na sessão desta segunda-feira, dia 1º.

 

 

 

DEFESA

Vereadora Norma Pereira (PSDB) fez uma defesa do HSCC, afirmando que como membro do Conselho Deliberativo do Hospital ela não poderia apoiar o requerimento, mas que isso mudará quando houver nova eleição para o Conselho, já que como vereadora ela não pode seguir no Conselho. Norma garantiu que não há o que esconder e que a direção do HSCC não se furtará a entregar todos os pedidos de informação feitos por Cochask.

 

 

 

 

EXAMES

A discussão sobre o HSCC se deu depois que os vereadores autorizaram o Município de Canoinhas a pagar até R$ 600 por cirurgias eletivas feitas no Hospital Santa Cruz a título de complementação aos valores irrisórios e injustos pagos pelo SUS e também pelo que paga o CIS Amurc.

 

 

 

 

IMPUGNAÇÕES

Seis empresas pediram a impugnação de um edital de licitação divulgado pela prefeitura de Canoinhas. Elas afirmam haver direcionamento para determinada empresa. A questão foi abordada pelo vereador Paulinho Basilio (MDB), que pediu explicações a assessoria jurídica do Município.

 



 

Vereador Cel Mario Erzinger (MDB) disse que muitas vezes as especificações mais claras são importantes para se evitar que o Município “compre gato por lebre”. Ele citou o exemplo da Polícia Militar, onde já montou editais. Vereadores Nilson Cochask e Paulo Glinski também defenderam que as licitações sejam mais específicas para “não abrir brecha para a malandragem vir se aproveitar do Município” nas palavras de Glinski.

 

 

 

 

 

“Quando eu pensei em solicitar o trabalho, já estava pronto”

Do vereador Chico Mineiro (PR) elogiando a clarividência do secretário de Meio Ambiente, Hilário Kath

 

 

 

 

 

HINO NA ESCOLA

Vai à votação nesta terça-feira, 2, projeto de lei de autoria do vereador Chico Mineiro (PR) que dispõe sobre a execução do Hino Nacional e do Hino de Canoinhas nas escolas municipais. Ontem Chico fez uma defesa do projeto na tribuna.

 

 

 

 

 

BARREIRA

Vereadores Paulinho Basilio e Cel Mario Erzinger apresentaram projeto de lei que veda a nomeação para cargos em comissão na esfera municipal de pessoas condenadas com base na Lei Maria da Penha.

 

 

 

 

REAJUSTE

A Câmara de Vereadores de Major Vieira aprovou reajuste salarial de 3,57% para eles e os funcionários do Legislativo ativos e inativos, a título de revisão geral anual, correspondente ao INPC acumulado do período de fevereiro de 2018 à janeiro de 2019. O reajuste é retroativo a janeiro.

 

 

 

 

Deixe seu comentário: